Coceira na garganta e tosse: 10 causas e o que fazer

Atualizado em abril 2023

A coceira na garganta e tosse podem ser causadas por alergias respiratórias, gripes, resfriados, sinusite, exposição a substâncias irritantes, refluxo gastroesofágico ou COVID-19, que podem causar irritação ou inflamação na garganta, estimular a produção de muco e desencadear o reflexo da tosse.

Dependendo da sua causa, a coceira na garganta e tosse podem estar acompanhadas de outros sintomas, como nariz escorrendo ou entupido, dificuldade para engolir, dor de garganta, febre ou falta de ar, por exemplo.

É importante consultar o otorrinolaringologista sempre que surgir coceira na garganta e tosse seca persistente ou com catarro, ou quando está acompanhada de outros sintomas, para que seja identificada sua causa e indicado o tratamento mais adequado.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas

As principais causas de coceira na garganta e tosse são:

1. Alergia respiratória

A alergia respiratória pode levar ao surgimento de garganta coçando e tosse seca persistente, além de coriza, olhos lacrimejando ou espirros, por exemplo.

Geralmente, a alergia respiratória é causada por alergia à poeira, ácaro ou pelo de animais, pólen das árvores ou das flores, poluição ou fumaça, provocando a liberação de histamina no corpo, uma substância responsável pelos sintomas da alergia. Saiba todos os sintomas e causas da rinite.

O que fazer: o tratamento da alergia respiratória deve ser feito com orientação do otorrinolaringologista que pode recomendar o uso de remédios anti-histamínicos para aliviar os sintomas alérgicos. Além disso, é fundamental identificar a causa da alergia, pois assim é possível evitar novas crises alérgicas. Confira os principais anti-histamínicos que podem ser indicados pelo médico.

2. Ar seco e ar condicionado

Quando o ar está mais seco e/ou frio, a mucosa da garganta tende a perder umidade, e a garganta tende a ficar mais seca e irritada, causando coceira na garganta, tosse seca, pigarro ou até rouquidão.

Além disso, o uso do ar condicionado também pode deixar o ar do ambiente mais seco, favorecendo a irritação da garganta e o surgimento dos sintomas.

O que fazer: o ideal é evitar o ar condicionado e a exposição a ambientes secos. Além disso, é aconselhado beber muita água. Outra medida, é usar um umidificador de ambiente, pois aumenta umidade do ar, reduzindo a secura e irritação na garganta. Veja como usar o umidificador corretamente.

3. Exposição a substâncias irritantes

A exposição a substâncias irritantes, como a fumaça do cigarro ou poluição, podem provocar irritação na garganta e causar sintomas de coceira na garganta, tosse seca, sensação de garganta arranhando, ou até dor na garganta.

Além disso, a irritação na garganta devido à exposição a substâncias irritantes, pode levar à inflamação da garganta e surgimento de pigarro, que é acúmulo de muco ou catarro na garganta.

O que fazer: evitar a exposição a substâncias que provoquem irritação na garganta é a medida mais eficaz. No caso do hábito de fumar, deve-se consultar o clínico geral que pode indicar medidas para parar de fumar ou remédios, como bupropiona ou vareniclina. Veja os principais remédios para parar de fumar.

4. Consumo excessivo de álcool ou cafeína

A coceira na garganta e tosse também pode ser causada pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou cafeína, pois o álcool têm um efeito irritativo direto na garganta, além da cafeína poder causar irritação no estômago e relaxamento do esfíncter esofágico que pode levar a um refluxo do conteúdo do estômago até a boca.

O que fazer: deve-se evitar o consumo frequente ou excessivo de bebidas alcoólicas ou cafeína. Além disso, no caso de alcoolismo, pode ser recomendado pelo psiquiatra, o uso de remédios, além de acompanhamento com psicólogo. Saiba como é feito o tratamento do alcoolismo.

5. Gripe e resfriado

A gripe e o resfriado podem causar coceira na garganta, tosse, espirros e nariz escorrendo ou entupido, dor de garganta, febre e dor de cabeça e no corpo.

A gripe e o resfriado acontecem devido a infecções por vírus, como influenza ou Rhinovírus, por exemplo, que podem entrar pelo nariz e chegar até a mucosa da garganta, provocando irritação e inflamação na garganta, resultando nos sintomas.

O que fazer: deve-se manter o corpo hidratado, bebendo bastante líquido e fazer repouso. Além disso, o otorrinolaringologista pode recomendar o uso de remédios analgésicos, anti-inflamatórios ou descongestionantes, como paracetamol, ibuprofeno ou desloratadina, por exemplo, para ajudar a aliviar os sintomas. Saiba como diferenciar gripe de resfriado.

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Otorrinolaringologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

6. Faringite

A faringite é uma inflamação na faringe, localizada na parte de trás da garganta, que pode ser provocada por vírus ou bactérias, causando dor de garganta, dificuldade para engolir e sensação de garganta coçando ou arranhando e tosse.

Além disso, em alguns casos podem surgir outros sintomas como febre, dor de cabeça, mal estar geral e rouquidão.

O que fazer: o tratamento da faringite varia de acordo com os sintomas e a causa, podendo ser indicado pelo otorrinolaringologista o uso de remédios analgésicos, anti-inflamatórios, ou uso de antibióticos para combater as bactérias. Além disso, é importante fazer repouso e beber bastante líquidos durante o tratamento. Confira os principais tratamentos para a faringite.

7. Sinusite

A sinusite é uma inflamação dos seios nasais, que são pequenas cavidades que ficam no crânio, ao redor do nariz e dos olhos, geralmente provocada por doenças alérgicas ou infecções por vírus, fungos ou bactérias, causando acúmulo de catarro no nariz.

O excesso de catarro no nariz pode levar ao surgimento de gotejamento pós-nasal, que é quando o catarro goteja pela garganta, causando tosse, inchaço, irritação ou coceira na garganta.

O que fazer: o tratamento da sinusite geralmente é feito com remédios indicados pelo otorrinolaringologista como analgésicos, anti-inflamatórios, descongestionantes nasais ou antibióticos. Além disso, para complementar o tratamento médico, pode-se fazer a lavagem nasal com soro fisiológico, ou inalações para ajudar a fluidificar o catarro, facilitando sua eliminação e aliviando os sintomas.

Assista o vídeo a seguir com o enfermeiro Manuel Reis com dicas de como fazer a lavagem nasal para sinusite:

8. Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago em direção à boca, causando irritação na garganta e sintomas como garganta coçando, tosse seca e sensação de garganta arranhando.

Esses sintomas podem ser piores à noite, pois ao deitar não se tem a força da gravidade para ajudar o conteúdo gástrico a permanecer no estômago, causando seu retorno em direção à boca e irritação da garganta. Veja outras causas de tosse seca noturna.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento do refluxo gastroesofágico indicado pelo gastroenterologista com o uso de antiácidos, protetores gástricos ou aceleradores do esvaziamento gástrico, para evitar o retorno do ácido do estômago para a boca, aliviando os sintomas. Confira os principais remédios para o refluxo gastroesofágico.

9. COVID-19

A COVID-19 é uma infecção respiratória em que os primeiros sintomas que podem surgir são febre, cansaço excessivo, dor de garganta e tosse seca, que pode causar irritação na garganta e sensação de coceira na garganta.

O que fazer: é importante que a pessoa fique em isolamento, e faça o teste de COVID-19, que pode ser o teste rápido, para confirmar a infecção, ou o exame de PCR indicado pelo clínico geral, que também pode receitar o uso de medicamentos que ajudem a aliviar os sintomas. Entenda como é feito o tratamento da COVID-19.

10. Doenças pulmonares

Algumas doenças pulmonares, como pneumonia, bronquite, bronquiolite, DPOC ou tuberculose, podem causar coceira na garganta e tosse seca ou com catarro, além de falta de ar, dificuldade para respirar, febre ou dor no peito.

O que fazer: deve-se consultar o pneumologista para fazer o diagnóstico da infecção respiratória e indicar o tratamento mais adequado específico para pneumonia, bronquite, bronquiolite, DPOC ou tuberculose.

Vídeos relacionados