Bronquiolite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
maio 2022

A bronquiolite é uma inflamação aguda das vias aéreas mais estreitas do pulmão, conhecidas como bronquíolos, que acontece com maior frequência em bebês com menos de 2 anos devido à uma infecção por vírus. Quando estes canais inflamam, aumentam a produção de muco que dificulta a passagem do ar, causando dificuldade para respirar e chiado, dificuldade para dormir e respiração rápida.

Na maior parte dos casos, os sintomas de bronquiolite melhoram em 2 ou 3 semanas sem precisar de tratamento específico, no entanto, é muito importante que o bebê seja avaliado pelo pediatra quando surjam os primeiros sintomas, não só para descartar outras doenças, mas também para avaliar a necessidade de internamento, já que algumas crianças podem apresentar sintomas muito intensos.

Sintomas de bronquiolite

Nos primeiros dois dias, a bronquiolite causa sintomas semelhantes aos de uma gripe ou resfriado, como tosse persistente, febre acima de 37,5º C, nariz entupido e coriza. Estes sintomas normalmente duram um ou dois dias e depois evoluem para:

  • Chiado ao respirar;
  • Respiração rápida;
  • Alargamento das narinas ao respirar;
  • Aumento da irritabilidade e cansaço;
  • Diminuição do apetite;
  • Dificuldade para dormir.

Embora os sintomas possam ser assustadores para os pais, a bronquiolite tem cura e geralmente não é grave, podendo ser tratada em casa com alguns cuidados simples que aliviam os sintomas e facilitam a respiração. Veja como deve ser feito o tratamento da bronquiolite em casa.

No entanto, é sempre importante consultar o pediatra quando surge alguma alteração na saúde do bebê, pois assim pode ser feita uma avaliação e ser indicado o tratamento mais adequado. É fundamental que o pediatra seja consultado caso sejam identificados sintomas mais urgente, como quando o bebê apresenta muita dificuldade para respirar, tem a pele dos pés e mãos azulada, não come, é possível notar afundamento dos músculos das costelas ao respirar ou a febre não diminui após 3 dias.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de bronquiolite geralmente é feito pelo pediatra após avaliar os sinais e sintomas apresentados pela criança, assim como todo o histórico de saúde. Em alguns casos, especialmente quando a bronquiolite demora para passar ou quando os sintomas são muito intensos, o pediatra pode pedir alguns exames de sangue para despistar outras infecções.

Principais causas

A bronquiolite é causada principalmente pelo vírus sincicial respiratório, o VSR, no entanto pode acontecer também devido à infecção pelos vírus adenovírus e influenza, que são responsáveis pela gripe comum e pelo resfriado. Além disso, a inflamação aguda dos bronquíolos pode ser consequência da inalação de poeira, gases tóxicos ou fumaça.

Apesar da bronquiolite poder acontecer em todas as crianças, é mais frequente em bebês com menos de dois anos, já que suas vias aéreas são mais estreitas. Além disso, os sintomas parecem ser mais graves em bebês com idade inferior a 12 meses, portadores de doenças pulmonares ou cardíacas e/ ou que possuem baixo peso.

Bebês prematuros ou com o sistema imune enfraquecido também têm maior risco de desenvolver um quadro de bronquiolite mais grave, que pode precisar de internamento no hospital.

Como é feito o tratamento

Não existe um remédio antiviral para eliminar o vírus que está provocando a bronquiolite, mas normalmente o vírus é eliminado pelo organismo naturalmente após 2 ou 3 semanas.

Durante esse tempo é importante cuidar do bebê da mesma forma que se trata um resfriado, deixando-o repousar, evitando alterações de temperatura, fazendo nebulizações com soro e mantendo-o bem hidratado com leite e água. Além disso, em casos de febre, por exemplo, deve-se consultar o pediatra para usar remédios como o Paracetamol ou o Ibuprofeno, para aliviar os sintomas.

Raramente é necessário que o bebê fique internado no hospital, sendo que esses casos acontecem apenas quando existe muita dificuldade para respirar.

Fisioterapia na bronquiolite

A fisioterapia em crianças e bebês com bronquiolite pode ser importante especialmente nos casos mais graves, para reduzir as consequências da infecção no sistema respiratório e, por isso, também pode ser recomendada pelo pediatra.

Após a infecção, algumas crianças podem ficar com lesão nos tecidos pulmonares, principalmente dos brônquios e bronquíolos, o que causa aumento da produção de muco e prejudica a respiração. A fisioterapia ajuda na desobstrução dos pulmões através da realização de exercícios respiratórios, reduzindo a dificuldade em respirar.

Como evitar que a bronquiolite volte a surgir

A bronquiolite acontece quando um vírus é capaz de chegar no pulmão, causando inflamação das vias respiratórias. Assim, para evitar que este problema surja é recomendado:

  • Evitar que o bebê brinque com outros bebês com gripe ou resfriados;
  • Lavar as mãos antes de pegar no bebê, especialmente após estar em contato com outras pessoas;
  • Limpar frequentemente os brinquedos e superfícies onde ao bebê brinca;
  • Vestir o bebê adequadamente, evitando alterações bruscas de temperatura;
  • Evitar ir em locais com muita fumaça ou poeira.

Embora esta infecção seja muito comum em qualquer bebê até aos 2 anos de idade, o risco de a desenvolver é maior quando o bebê nasceu prematuro, tem problemas cardíacos, não foi amamentado ou tem irmãos que frequentam escolas e outros locais muito povoados.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em maio de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em fevereiro de 2016.
Revisão médica:
Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, em 1993 com registro profissional no CRM PR - 14218.