Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Bronquiolite: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
dezembro 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento
  5. Prevenção

A bronquiolite é a inflamação e obstrução dos bronquíolos, uma parte das vias aéreas que conduz o ar para os pulmões, que provoca sintomas como tosse, chiado no peito, respiração rápida e, nos casos mais graves, dificuldade para respirar.

Normalmente, a bronquiolite é causada pela infecção por um vírus respiratório, como o vírus sincicial respiratório (VSR) e o rinovírus, sendo mais comum em bebês com menos de 2 anos e com histórico de doenças pulmonares, desnutrição ou baixo peso ao nascimento, por exemplo.

Em caso de suspeita de bronquiolite, é importante consultar o pediatra para confirmar o diagnóstico. O tratamento normalmente envolve medicamentos antitérmicos e a lavagem nasal com soro fisiológico e, nos casos mais graves, pode necessitar ser feito no hospital.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de bronquiolite

Os principais sintomas de bronquiolite no bebê são: 

  • Febre;
  • Nariz escorrendo ou entupido;
  • Tosse;
  • Chiado no peito;
  • Respiração rápida;
  • Irritabilidade;
  • Diminuição do apetite;
  • Dificuldade para dormir.

A  bronquiolite normalmente começa parecida com um resfriado, no entanto, os sintomas tendem a piorar até o 3º ou 4º dia após o início, provocando respiração rápida e chiado no peito, e podem demorar de 2 a 3 semanas para desaparecer. 

Em caso de suspeita de bronquiolite, é importante consultar o pediatra para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado. 

A bronquiolite no bebê é grave?

A bronquiolite no bebê algumas vezes pode ser grave, especialmente caso surjam sintomas como alargamento das narinas, balanço da cabeça, marcas das costelas ou movimentação excessiva da barriga ao respirar. Nestes casos, é importante procurar uma emergência para que seja feita uma avaliação.  

Além disso, caso o bebê não consiga mamar, comer ou ingerir líquidos, também é recomendado procurar a emergência pediátrica, já que pode indicar maior gravidade da  bronquiolite. 

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de bronquiolite geralmente é confirmado pelo pediatra levando em consideração os sintomas apresentados. Além disso, especialmente quando os sintomas são mais intensos, também podem ser indicados outros exames, como o raio-X de tórax e hemograma.

Principais causas

A bronquiolite no bebê normalmente é causada pela infecção das vias aéreas por vírus respiratórios, como o vírus sincicial respiratório (VSR) e o rinovírus, que provoca a inflamação da parede dos bronquíolos, produção de secreções e obstrução do fluxo de ar para os pulmões.

Além disso, a bronquiolite é mais comum em bebês com menos de 2 anos de idade, que não foram amamentados, que possuem doenças pulmonares ou que prejudicam a imunidade, possuem desnutrição ou nasceram com baixo peso. 

A bronquiolite passa de uma pessoa para outra?

Os vírus que causam a bronquiolite podem passar de uma pessoa para outra ao serem liberados nas gotículas de saliva ou secreções nasais de uma pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar, e inalados por outras pessoas, o que permite a sua multiplicação nas vias aéreas. 

Como é feito o tratamento

O tratamento da bronquiolite normalmente envolve o uso de medicamentos antitérmicos, em caso de febre, e medidas como a lavagem nasal com soro fisiológico e aspiração das secreções. Além disso, também é importante manter o bebê hidratado com leite e água. Veja como é feito o tratamento da bronquiolite em casa.

No entanto, nos casos mais graves, o tratamento pode precisar ser feito com a criança no hospital, podendo ser indicado o uso de oxigênio, alimentação por sonda e, em caso de suspeita de infecção bacteriana, antibióticos, por exemplo.  

Não existe um remédio antiviral específico para eliminar o vírus que está provocando a bronquiolite, que tende a ser eliminado naturalmente pelo organismo após 2 ou 3 semanas.

Fisioterapia na bronquiolite

A fisioterapia em caso de bronquiolite também pode ser indicada pelo pediatra, especialmente nos casos mais graves, para ajudar na desobstrução dos pulmões através da realização de exercícios respiratórios, melhorando a respiração do bebê.

Como evitar que a bronquiolite

Para evitar a bronquiolite, é recomendado:

  • Evitar o contato direto do bebê com pessoas resfriadas ou gripadas;
  • Lavar as mãos antes de pegar no bebê, especialmente após estar em contato com outras pessoas;
  • Limpar frequentemente os brinquedos e superfícies onde ao bebê brinca;
  • Vestir o bebê adequadamente, evitando alterações bruscas de temperatura.

Além disso, caso os cuidadores também estejam gripados ou resfriados, é importante lavar as mãos com frequência e utilizar a máscara ao cuidar o bebê para evitar o desenvolvimento de bronquiolite.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • STATPEARLS. Bronchiolitis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441959/>. Acesso em 27 dez 2022
  • CABALLERO, Mauricio T; POLAK, Fernando P; STEIN, Renato T. Viral bronchiolitis in young infants: new perspectives for management and treatment. J Pediatr (Rio J). Vol.93, n.1. 75-83, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • SILVER, Alyssa H; NAZIF, Joanne M. Bronchiolitis. Pediatrics in Review. Vol.40, n.11. 568–576, 2019
  • BURNS, Dennis A. R. et al. Tratado de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria. 4.ed. Barueri, SP: Editora Manole, 2017.
Revisão médica:
Drª. Beatriz Beltrame
Pediatra
Formada pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, em 1993 com registro profissional no CRM PR - 14218.