Tratamento da obesidade: dieta, remédios e cirurgias

O tratamento da obesidade pode ser feito com dieta para emagrecer e com a prática regular de exercícios físicos, ou até mesmo com uso de remédios indicados pelo médico para ajudar a reduzir o apetite e a compulsão alimentar, ou, em alguns casos, a cirurgia bariátrica, pois diminui a área de absorção dos alimentos pelo trato gastrointestinal, o que leva à perda de peso. 

O principal objetivo desses tratamentos é atingir e manter o peso saudável, evitando o desenvolvimento de complicações relacionadas à obesidade como diabetes, pressão alta, colesterol alto, refluxo gastroesofágico ou osteoartrite, e até impotência ou infertilidade, por exemplo. Veja todas as complicações da obesidade e como evitar.

O tratamento da obesidade deve ser realizado por um endocrinologista ou nutrólogo e por uma equipe multidisciplinar contendo nutricionista, bariatra e educador físico, pois geralmente é necessário mais de um tipo de tratamento. Além disso, é importante fazer acompanhamento com um psicólogo para identificar comportamentos que possam estar causando compulsão alimentar ou para ajudar a não desistir do tratamento.

Tratamento da obesidade: dieta, remédios e cirurgias

Os principais tratamentos para obesidade indicados pelos médicos são:

1. Mudanças na dieta

O primeiro passo, tanto para tratar, como para prevenir a obesidade, é fazer mudanças na dieta incluindo uma alimentação balanceada e rica em frutas, legumes, verduras, fibras e água, conforme orientação do médico e do nutricionista. 

Essas mudanças na dieta permitem controlar o consumo de calorias ingeridas durante o dia, que deve ser menor do que o que se gasta para manter o metabolismo do corpo, sendo calculada de acordo com a alimentação habitual, a quantidade de peso que é necessária perder, além da idade, sexo, altura e peso atual.

Use a calculadora para saber quantas calorias você deve ingerir por dia:

kg
Erro
help
Erro
help
kg
Erro
help
Erro
help
anos
Erro
help
cm
Erro
help
Erro
help
Erro
help
Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

A perda de peso constante a longo prazo é considerada a maneira mais segura de perder peso e a melhor forma de mantê-lo permanentemente, pois mudanças drásticas como dietas radicais ou querer emagrecer muito rápido, podem ter resultado rápido, mas provavelmente, recupera-se o peso mais rápido também. Confira uma dieta para emagrecer de forma saudável.

2. Praticar atividades físicas

A prática de atividades físicas, como caminhada ou natação, por exemplo, é outra parte essencial do tratamento da obesidade, pois ajuda a aumentar o metabolismo do corpo, favorecendo o gasto de energia e a queima de calorias, facilitando a perda de peso. 

O ideal é que, para perder peso, sejam feitos de 150 a 300 minutos de atividades físicas por semana, sendo fundamental ter uma avaliação médica antes de iniciar os exercícios para avaliar o estado de saúde, além de ter a orientação de um educador físico para evitar lesões como tendinites ou distensões musculares, por exemplo. Confira os melhores exercícios para emagrecer.  

Além disso, pequenas mudanças nos hábitos de vida como reduzir o uso do carro ou substituir o elevador pelas escadas, por exemplo, ajudam a movimentar mais o corpo, gastar mais calorias e a perder peso. Veja outras formas para movimentar mais no dia a dia para ajudar no tratamento da obesidade.

3. Remédios para obesidade

O uso de remédios para tratar a obesidade é indicados pelo médico quando a pessoa tem IMC superior a 30kg/m2, IMC maior que 27kg/m2 e que tenham outras doenças relacionadas, como diabetes, colesterol elevado e pressão alta, e também nos casos de pessoas com qualquer tipo de obesidade que não conseguem emagrecer com dieta e exercícios.

Os principais remédios indicados para o tratamento da obesidade são:

  • Inibidores do apetite, como sibutramina, anfepramona ou femproporex, pois agem diretamente no centro da saciedade no cérebro, diminuindo o apetite, o que reduz o consumo de calorias ao longo do dia e ajuda no emagrecimento;
  • Redutores da absorção de gorduras, como o orlistate, que agem inibindo algumas enzimas no intestino, o que bloqueia a absorção de parte da gordura dos alimentos, diminuindo a quantidade de calorias ingeridas por dia;
  • Antagonista do receptor CB-1, como rimonabant, que age diretamente no cérebro inibindo o apetite, aumentando a saciedade e diminuindo a compulsão alimentar;
  • Termogênicos, como efedrina, que agem acelerando o metabolismo fazendo com que o corpo gaste a gordura acumulada como principal fonte de energia.

Além disso, também existem medicamentos usados no tratamento de outras doenças que podem ajudar a combater a obesidade, como os antidepressivos, e alguns exemplos são a fluoxetina, sertralina ou bupropiona.

Os remédios para tratamento da obesidade só devem ser utilizados com orientação médica, pois requerem atenção e acompanhamento regular, devido ao risco de efeitos colaterais, como aumento dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, dor de cabeça, diarréia, alteração de humor, irritabilidade, ansiedade ou insônia, por exemplo.

4. Cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica é indicada pelo médico nos casos de obesidade mórbida, com IMC superior a 40kg/m2, ou obesidade moderada, com IMC superior a 35mg/m2, em pessoas que tenham doenças causadas pela obesidade como diabetes, apneia do sono, pressão alta, colesterol alto, doenças cardiovasculares, AVC, arritmias ou osteoartrites.

Os principais tipos de cirurgia bariátrica são:

  • Banda gástrica: é colocada uma faixa ajustável em volta do estômago, diminuindo seu tamanho e contribuindo para que a pessoa coma menos. Veja como é feita a cirurgia da banda gástrica;
  • Bypass gástrico: é feita uma redução do tamanho do estômago e alteração do intestino, que é ligado diretamente ao pequeno estômago, o que diminui a capacidade da pessoa se alimentar de grandes refeições, levando ao emagrecimento. Saiba como é feita e como é a recuperação da cirurgia de bypass gástrico;
  • Derivação biliopancreática: é feita através da remoção de uma grande parte do estômago e uma ligação do estômago com a parte final do intestino delgado;
  • Gastrectomia vertical ou sleeve gástrico: é feita a remoção da parte esquerda do estômago, o que faz com que exista uma diminuição da capacidade do estômago para armazenar comida. Entenda como é feita a cirurgia de gastrectomia vertical.  

O tipo de cirurgia indicada para cada pessoa é decidido pelo paciente em conjunto com o cirurgião gástrico, que avalia as necessidades de cada pessoa e o procedimento que pode melhor se adequar. Entenda melhor como é feita e como é a recuperação da cirurgia bariátrica.

Outra opção de tratamento é a colocação de um balão intragástrico temporário através da endoscopia, sendo indicado como incentivo para algumas pessoas a diminuírem o consumo de alimentos por um período.

Dicas para não desistir do tratamento

O tratamento para obesidade não é fácil de cumprir porque implica a alteração de hábitos alimentares e de estilos de vida que o paciente fez por toda a vida, então, algumas dicas para ajudar a não desistir do tratamento podem ser:

  • Estabelecer objetivos semanais que sejam possíveis de atingir;
  • Pedir ao nutricionista para ajustar a dieta se estiver muito difícil de cumprir;
  • Escolher um exercício físico que goste, e praticar de forma regular;
  • Registrar os resultados, anotando medidas em um papel ou com fotografias semanais.

É importante lembrar que existem programas para emagrecimento gratuitos, que são realizados por hospitais universitários com serviço de endocrinologia em todos os estados, sendo possível se informar sobre encaminhamentos e consultas no posto de saúde.

No vídeo a seguir, veja dicas importantes da nutricionista Tatiana Zanin para emagrecer com mais facilidade:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • JACKSON, V. Margaret.; et al. Latest approaches for the treatment of obesity. Expert Opin Drug Discov. 10. 8; 825-39, 2015
  • THOMPSON; Warren G.; et al. Treatment of obesity. Mayo Clin Proc. 82. 1; 93-101, 2007
  • SANCHEZ-VILLEGAS, Almudena; et al. Physical activity, sedentary index, and mental disorders in the SUN cohort study. Med Sci Sports Exerc. 40. 5; 827-34, 2008
  • TREMBLAY, Mark S.; et al. Sedentary Behavior Research Network (SBRN) – Terminology Consensus Project process and outcome. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity. 14. 75; 1-17, 2017
  • THORP, Alicia A.; et al. Sedentary Behaviors and Subsequent Health Outcomes in Adults A Systematic Review of Longitudinal Studies, 1996 –2011. American Journal of Preventive Medicine. 41. 2; 207–215, 2011
  • MECHANICK, Jeffrey; et al. Clinical Practice Guidelines for the Perioperative Nutritional, Metabolic, and Nonsurgical Support of the Bariatric Surgery Patient—2013 Update: Cosponsored by American Association of Clinical Endocrinologists, The Obesity Society, and American Society for. Surgery for obesity and related diseases. 9. 159-191, 2013
  • ANDREASSON, Kalle; VIDEHULT, Per. Gastric bypass versus sleeve, pros and cons. Lakartidningen. 114. ER3H, 2017
  • WANG, Fu-Gang. Comparison of safety and effectiveness between laparoscopic mini-gastric bypass and laparoscopic sleeve gastrectomy: A meta-analysis and systematic review. Medicine (Baltimore). 96. 50; e8924, 2017
Mais sobre este assunto: