O que fazer para tratar pés e tornozelos inchados

outubro 2022

Algumas formas para desinchar os pés ou os tornozelos são fazer um banho de contraste, tomar um chá diurético, beber mais líquidos durante o dia ou elevar as pernas, ajudam a melhorar a circulação sanguínea e linfática, facilitar o retorno venoso e aumentar eliminação de líquidos, aliviando o inchaço nos pés e tornozelos.

Os pés e os tornozelos inchados podem surgir com o envelhecimento natural do corpo, gravidez ou por ficar muito tempo em pé, por exemplo. No entanto, também pode acontecer devido a condições de saúde, como insuficiência venosa, renal ou cardíaca, ou trombose. Veja as principais causas de pés e tornozelos inchados.  

Esses tratamentos caseiros para pés e tornozelos inchados, podem ajudar a aliviar o inchaço, e complementar o tratamento indicado pelo angiologista ou clínico geral. Além disso, se o inchaço ocorrer em apenas um lado, e for acompanhado de sintomas, como falta de ar, inchaço repentino, vermelhidão na pele, ou dor no peito, deve-se procurar o pronto-socorro mais próximo imediatamente.

O que fazer para desinchar os pés e tornozelos

Algumas formas de tratar os pés e tornozelos inchados são:

1. Banho de contraste

O banho de contraste é feito alternando o uso de água quente que promove a dilatação dos vasos sanguíneos e de água fria que promove a constrição desses vasos. Esta técnica, usada em fisioterapia, é muito eficiente para ajudar a drenar o líquido e desinchar os pés e os tornozelos.

Para fazer o banho de contraste é necessário dois recipientes, como baldes ou bacias com capacidade para cobrir os pés e o tornozelos. Em seguida deve-se colocar água quente em um recipiente e água fria ou gelada no outro. 

Antes de colocar os pés na água quente deve verificar com o cotovelo a temperatura da água, que não deve estar muito quente, para não queimar na pele. E para garantir que a água está bem fria, pode adicionar alguns cubinhos de gelo na água.

Em seguida, deve-se mergulhar os pés e os tornozelos primeiro na água quente, durante 3 a 5 minutos, no máximo. E depois, mergulhar os pés na bacia com água fria, por 1 ou 2 minutos, no máximo. Repetir esse procedimento até 3 vezes seguidas, sendo que deve-se terminar sempre com a água fria.

Esse tratamento caseiro não deve ser realizado se tiver alguma ferida na pele, quando a pele está muito sensível ou dormente, ou se houver muitas varizes nos tornozelos.

Assista o vídeo a seguir com a fisioterapeuta Marcelle Pinheiro com dicas de como fazer o banho de contraste corretamente: 

2. Elevar as pernas

Colocar as pernas para cima, de modo que os pés fiquem acima do nível do coração, por pelo menos 20 minutos por dia, ajuda a estimular a circulação sanguínea, melhora o sistema linfático e facilita o retorno venoso, além de proporcionar relaxamento, aliviando o inchaço dos pés e tornozelos de forma mais rápida.

Uma forma fácil de elevar os pés e tornozelos é deitar na cama e colocar as pernas na cabeceira. É importante ficar sempre de barriga para cima e colocar algumas almofadas por baixo das pernas para não forçar os joelhos.

Outra forma de colocar as pernas para cima, é apoiar as pernas em almofadas ou travesseiros, por exemplo.

3. Beber mais líquidos

A ingestão de líquidos durante o dia pode ajudar a desinchar os pés e os tornozelos, pois quando o corpo está bem hidratado, retém menos líquidos. 

Além disso, beber mais água estimula a produção de urina, o que acaba eliminando o excesso de água e toxinas do organismo.

Por isso, é importante tomar pelo menos 2 a 3 litros de líquidos por dia, como água ou chás, por exemplo, mas a quantidade ideal de líquidos por dia pode variar de pessoa para pessoa. Veja como calcular a quantidade de líquidos que deve ser ingerida por dia

4. Fazer exercícios para os pés

Fazer exercícios com os pés e tornozelos ajuda a melhorar a circulação sanguínea e linfática, diminuindo ou evitando o aparecimento do inchaço.

Para fazer os exercícios para os pés e os tornozelos inchados, pode-se sempre que possível dobrar e esticar os pés para cima e para baixo, pelo menos 30 vezes, ou girar cada pé em um círculo 8 vezes para um lado e 8 vezes para o outro.

5. Massagem

A massagem ajuda a diminuir o inchaço nas pernas por estimular a circulação sanguínea e ajudar a melhorar a movimentação e eliminação de líquidos nos pés, tornozelos e pernas, além de ser relaxante. 

Para fazer a massagem deve-se aplicar movimentos suaves no sentido dos pés para o coração. Passar um creme hidratante ou um óleo de amêndoas doce, por exemplo, também é uma excelente forma de tornar a massagem ainda mais relaxante. Deve-se massagear cada pé e tornozelo, durante cerca de 1 minuto.

Outra opção para reduzir os pés e tornozelos inchados é a drenagem linfática que pode ser feita por um profissional ou em casa. Veja como fazer drenagem linfática em casa.

6. Escalda pés com sais de Epsom

Os sais de Epsom são ricos em sulfato de magnésio que é facilmente absorvido pela pele, facilitando o fluxo sanguíneo, reduzindo o inchaço nos pés ou tornozelos.

Este banho de imersão é muito fácil de preparar e permite aliviar o inchaço rapidamente no final do dia, além de promover relaxamento.

Para fazer o escalda pés com sais Epsom deve-se adicionar ½ xícara de sais de Epsom recipiente com 2 a 3 litros de água morna ou uma quantidade de água suficiente para cobrir os pés e chegar até pelo menos os tornozelos.

Em seguida, diluir bem os sais, mexendo a água com a mão, e colocar os pés no interior da água durante cerca de 15 minutos. Após esse período, enxaguar os pés e os tornozelos e secar com uma toalha limpa e seca. Este processo pode ser feito até 2 vezes por semana.

O escalda-pés com sais de Epsom pode deixar a pele dos pés ressecada, e por isso, é recomendado utilizar um hidratante após o seu uso, para evitar irritação da pele ou rachaduras.

Esse escalda-pés não deve ser feito por mulheres grávidas ou por pessoas com diabetes, problemas renais ou cardíacos, sem recomendação médica. Veja outras opções escalda pés para pés e tornozelos inchados

7. Movimentar as pernas

Movimentar as pernas pode ajudar a diminuir o inchaço nos pés e tornozelos pois melhora a circulação sanguínea e linfática.

Uma boa forma de movimentar as pernas é praticar atividades físicas leves como caminhada ou hidroginástica, por exemplo, pelo menos 30 minutos, 3 vezes por semana.

Outra forma de movimentar os pés e os tornozelos, no caso de pessoas que trabalham sentadas por muito tempo, é andar um pouco a cada hora, dentro da empresa ou andar um quarteirão na hora do almoço, por exemplo. 

No entanto, se o trabalho exigir ficar de pé por muito tempo, é importante flexionar os joelhos e os tornozelos a cada hora ou levantar-se com as pontas dos pés para ajudar a panturrilha a bombear o sangue das pernas para o coração, diminuindo o inchaço nos pés e tornozelos.

8. Diminuir o consumo de sal

A ingestão de grandes quantidades de sal na alimentação pode causar inchaço nos pés e tornozelos, e isto ocorre porque o sal contém muito sódio que retém água e, por isso, se tiver em grandes quantidades no corpo, aumenta a retenção de líquidos, causando inchaço. 

Uma boa opção para evitar o acúmulo de líquido nos pés e tornozelos é usar sal com baixo teor de sódio ou o sal de ervas aromáticas, por exemplo. Saiba como preparar o sal de ervas aromáticas.

9. Tomar um chá diurético

Os chás diuréticos, como o chá verde, chá de salsinha ou chá de cavalinha, por exemplo, possuem propriedades diuréticas naturais e substâncias como flavonoides, minerais como potássio ou cafeína, que têm propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, melhorando a má circulação e ajudando a eliminar o excesso de líquido que causa inchaço nos pés e tornozelos.

Para obter os benefícios dos chás diuréticos, deve-se escolher um dos chás para tomar, e beber ao longo do dia. Veja como preparar os chás diuréticos

10. Consumir alimentos bons para circulação

Alguns alimentos possuem nutrientes com ação anti-inflamatória e antioxidantes, como o ômega-3, as frutas cítricas ou a pimenta caiena, por exemplo, que ajudam a melhorar a circulação sanguínea, e combater a má circulação, aliviando ou evitando o inchaço nos pés e tornozelos. Veja a lista completa de alimentos bons para a circulação

A quantidade de nutrientes desses alimentos varia de acordo com cada pessoa, além disso, pessoas com problemas nos rins ou no coração, devem sempre ter a orientação do médico ou do nutricionista, uma vez que alimentos ricos em potássio e magnésio devem ser evitados, como banana, uva passa, amêndoas, sementes de abóbora, castanha do pará ou semente de linhaça.  

Quando ir ao médico

É importante ir ao médico ou procurar o pronto-socorro mais próximo, sempre que o inchaço ocorrer em apenas um pé ou tornozelo, ou for acompanhado de outros sintomas, como:

  • Falta de ar;
  • Tosse ou expectoração;
  • Dor no peito;
  • Dor de cabeça;
  • Dor abaixo das costelas;
  • Dor ou inchaço persistente nos pés ou tornozelos;
  • Inchaço repentino;
  • Pele esticada ou brilhante;
  • Vermelhidão da região inchada;
  • Febre;
  • Formigamento dos pés, tornozelos ou pernas.

Além disso, deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo caso a pessoa apresentar dor ou inchaço nas pernas após viagens de avião ou quando ficam muito tempo sentadas, pois pode ser sintoma de trombose. Saiba identificar todos os sintomas de trombose

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em outubro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • RODRIGUEZ-LEYVA, D.; et al. The cardiovascular effects of flaxseed and its omega-3 fatty acid, alpha-linolenic acid. Can J Cardiol. 26. 9; 489–496, 2010
  • ROSAS, F.; et al. Tratamento médico do linfedema dos membros inferiores. Angiologia e Cirurgia Vascular. 15. 2; 86-96, 2019
Mostrar bibliografia completa
  • BRITO, A. P. N. P.; et al . Investigação de edema postural de membros inferiores em agentes de trânsito. Jornal Vascular Brasileiro. 12. 4; 1-7, 2013
  • COOPER, G. The impact of chronic oedema on quality of life in the elderly. Br J Community Nurs. 23. 4; S10-S12, 2018
  • MOTTELSON, Mathis N.; et al. Mechanisms in fluid retention – towards a mutual concept. Clinical Physiology and Nuclear Medicine. 40. 2; 67–75, 2019
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.

Tuasaude no Youtube

  • Tratamento caseiro para PÉS INCHADOS

    03:50 | 1995290 visualizações
  • Alimentação para combater o inchaço e a retenção de líquido

    03:43 | 727108 visualizações
  • Como Beber Mais Água

    04:51 | 1041162 visualizações