TPM: o que é, sintomas e tratamentos (remédios e opções caseiras)

Dezembro 2021

A TPM, conhecida também por tensão pré-menstrual, é uma síndrome causada por alterações hormonais naturais do ciclo menstrual e que pode gerar sintomas emocionais, como ansiedade, crises de choro, raiva, irritabilidade e depressão em algumas mulheres, e que surgem por volta de 1 a 2 semanas antes da menstruação.

Além disso, alguns sinais e sintomas físicos também podem surgir durante a TPM, como inchaço, dor de cabeça, cansaço excessivo, acne e ganho de peso, que tendem a diminuir logo após o início da menstruação.

A prática de atividade física, alimentação balanceada e alguns chás podem ajudar a prevenir e melhorar sinais e sintomas da TPM. No entanto, algumas mulheres podem apresentar sintomas mais fortes, precisando também de remédios, que devem ser usados somente sob a orientação de um médico. Veja outras dicas para prevenir e aliviar os sintomas da TPM.

TPM: o que é, sintomas e tratamentos (remédios e opções caseiras)

Principais sinais e sintomas

Os sinais e sintomas físicos e emocionais da TPM surgem entre 1 a 2 semanas antes da menstruação e a intensidade de cada um varia de mulher para mulher.

1. Sinais e sintomas físicos

Os principais sinais e sintomas físicos da TPM podem incluir:

  • Dor muscular e nas articulações;
  • Seios doloridos;
  • Cólica;
  • Dor de cabeça;
  • Ganho de peso;
  • Acne;
  • Cansaço excessivo.

Além disso, enjoos e vômitos também são alguns dos sinais e sintomas físicos que podem surgir durante a TPM. Conheça outros sintomas que podem surgir na TPM.

2. Sintomas emocionais

Alguns dos sintomas emocionais mais comuns que podem surgir durante a TPM são:

  • Ansiedade ou estresse;
  • Alteração do apetite;
  • Raiva ou irritabilidade frequente;
  • Dificuldade de concentração;
  • Crises de choro;
  • Insônia ou excesso de sono;
  • Depressão;
  • Diminuição da libido.

Alguns sinais e sintomas podem ser mais graves em algumas mulheres, caracterizando o transtorno disfórico pré-menstrual, condição que causa sintomas parecidos com a TPM, mas que podem gerar crises de ansiedade, maior agressividade e ausências no trabalho, por exemplo, dificultando tarefas simples do dia a dia. Entenda o que é e como tratar o transtorno disfórico pré-menstrual.

Como confirmar o diagnóstico

Por não existirem exames de laboratório para diagnosticar a TPM, o clínico geral, ou ginecologista geralmente faz uma avaliação dos sinais e sintomas relatados. Para isso, o médico também pode pedir a anotação, por pelo menos 2 meses, sobre o início e término dos sinais e sintomas, e do tempo de duração da menstruação.

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras, a presença de 5 ou mais sinais e sintomas físicos e emocionais, 5 dias antes da menstruação, indicam a presença de TPM.

Como os sinais e sintomas da TPM podem ser confundidos com outras situações, como problemas na tireoide, depressão ou ansiedade, o médico também pode pedir alguns testes mais específicos, como exame de sangue e de imagem para melhor avaliação.

Principais causas

Apesar das causas da TPM ainda não serem totalmente conhecidas, acredita-se que essa condição seja causada pela variação dos hormônios estrogênio e progesterona no sistema nervoso central, que diminuem os níveis de serotonina, um neurotransmissor que ajuda a regular o humor, o sono, a ansiedade e o apetite.

Além disso, algumas teorias indicam que a predisposição genética e as deficiência de serotonina, vitamina B6 e magnésio, também podem causar a TPM.

Como é feito o tratamento

O tratamento para aliviar os sinais e sintomas da TPM deve ser feito de acordo com a gravidade dos sintomas e de forma individualizada, podendo ser feito com o uso de remédios ou com opções naturais.

1. Tratamento com remédios

Os remédios para tratar os sintomas mais intensos da TPM e que devem ser usados somente sob prescrição e acompanhamento de um clínico geral, ou ginecologista, são:

  • Anticoncepcionais orais, como etinilestradiol e drospirenona, que inibem as alterações hormonais do ciclo menstrual, diminuindo o inchaço;
  • Injeção de progesterona, como a medroxiprogesterona, que é um anticoncepcional que interrompe a menstruação por 3 meses, inibindo os sinais e sintomas da TPM;
  • Anti-inflamatórios, como ibuprofeno e ponstan, que aliviam dores de cabeça, cólicas, dores nas mamas ou nas pernas;
  • Antieméticos, como dimenidrinato ou bromoprida, podem ser úteis para controlar os enjoos nesta fase;
  • Antidepressivos, como sertralina e fluoxetina, que ajudam a aumentar a quantidade de serotonina, aliviando alguns sintomas da TPM, como irritabilidade, ansiedade, depressão e compulsão alimentar;
  • Ansiolíticos, como alprazolam e lorazepam, que têm propriedades calmantes, aliviando os sintomas de estresse, ansiedade e irritabilidade.

O tratamento para mulheres com transtorno disfórico pré-menstrual é feito da mesma forma que a TPM. No entanto, podem ser necessárias doses maiores dos medicamentos e acompanhamento com psiquiatra, para ajustar os medicamentos e psicólogo, para ajudar no controle da ansiedade, irritabilidade ou estresse.

2. Tratamentos naturais

TPM: o que é, sintomas e tratamentos (remédios e opções caseiras)

Os tratamentos naturais podem ser suficientes para aliviar os sintomas mais leves da TPM, mas também podem ser usados para complementar a terapia feita com uso de remédios, em casos de sintomas mais fortes. Alguns tratamentos naturais para TPM incluem:

  • Exercícios físicos, como ioga, caminhada ou bicicleta ajudam a aumentar os níveis de serotonina e endorfina no organismo, diminuindo o estresse e ansiedade, além de melhorar o funcionamento do intestino e a circulação sanguínea, combatendo o inchaço;
  • Suplementos, como magnésio, óleo de prímula, cálcio, vitamina E e vitamina B6, podem melhorar os níveis de serotonina no organismo, aliviando os sintomas da TPM;
  • Fitoterápicos, na forma de chás, comprimidos ou extratos, como valeriana, passiflora, agnocasto e hipericão, podem ser usados para aliviar diversos sintomas de TPM, como ansiedade, cansaço, irritabilidade, insônia e dores nos seios;
  • Acupuntura, que promove o relaxamento, diminuindo a dor de cabeça, o estresse e a ansiedade, e melhorando a qualidade do sono. Veja como a acupuntura pode ajudar a tratar a TPM.

Durante a TPM é recomendado manter uma dieta balanceada, priorizando alimentos ricos em ômega 3, como peixes, abacate, amêndoas e azeite, que têm propriedades anti-inflamatórias, ajudando a diminuir sintomas, como  irritabilidade, dor de cabeça, ansiedade e insônia.

Além disso, é importante também priorizar a ingestão de vegetais e frutas frescas, que têm boas quantidades de fibras, potássio, magnésio e vitamina B6, ajudando a combater o inchaço, a prisão de ventre e melhorando o bem estar geral. Conheça todos os alimentos que devem ser priorizados durante a TPM.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA E CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Projeto diretrizes: Tensão Pré-Menstrual. 2011. Disponível em: <https://amb.org.br/files/_BibliotecaAntiga/tensao_pre_menstrual.pdf>. Acesso em 17 Dez 2021
  • MAYO CLINIC. Premenstrual syndrome (PMS). Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/premenstrual-syndrome/symptoms-causes/syc-20376780>. Acesso em 17 Dez 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. TPM sem tensão. Disponível em: <https://www.endocrino.org.br/tpm-sem-tensao/>. Acesso em 17 Dez 2021
  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Tensão Pré-Menstrual – Critérios para diagnóstico. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/422-tensao-pre-menstrual-criterios-para-diagnostico>. Acesso em 17 Dez 2021
  • BRILHANTE, Aline V. M. et al. Síndrome pré-menstrual e síndrome disfórica pré-menstrual: aspectos atuais. FEMINA. Vol. 38. 7.ed; 373-378, 2010
  • INFORMEDHEALTH.ORG. Premenstrual syndrome: Treatment for PMS. 2017. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK279264/>. Acesso em 17 Dez 2021
  • APPLETON, Sarah M.. Premenstrual Syndrome: Evidence-based Evaluation and Treatment. Clinical Obstetrics and Gynecology . Vol.61. 1.ed; 1-10, 2018
Mais sobre este assunto: