Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é e como tratar o transtorno disfórico pré-menstrual

O transtorno disfórico pré-menstrual, também conhecido como TDPM ou Super TPM, é uma condição que surge antes da menstruação e causa sintomas semelhantes à TPM, como desejos por comida, mudanças de humor, cólicas menstruais ou cansaço excessivo.

No entanto, ao contrário da TPM, no transtorno disfórico, estes sintomas tornam-se incapacitantes e dificultam as tarefas do dia-a-dia. Em algumas mulheres, o transtorno disfórico pré-menstrual pode até levar ao surgimento de crises de ansiedade ou ao desenvolvimento de depressão.

Embora ainda não sejam conhecidas as causas específicas para o surgimento deste transtorno, é possível que aconteça principalmente em pessoas com maior disposição para variações emocionais, pois são acentuadas pelas alterações hormonais da menstruação.

O que é e como tratar o transtorno disfórico pré-menstrual

Principais sintomas da TDPM

Além dos sintomas comuns da TPM, como dor nos seios, inchaço abdominal, cansaço ou alterações do humor, pessoas com transtorno disfórico pré-menstrual devem apresentar um sintoma do tipo emocional ou comportamental, como:

  • Tristeza extrema ou sensação de desespero;
  • Ansiedade e excesso de estresse;
  • Alterações muito bruscas de humor;
  • Irritabilidade e raiva frequente;
  • Crises de pânico;
  • Dificuldade para pegar no sono;
  • Dificuldade para concentrar.

Geralmente estes sintomas surgem cerca de 7 dias antes da menstruação e podem se manter até 3 a 5 dias após o início do período menstrual, no entanto, as sensações de tristeza e ansiedade podem se manter por mais tempo e não desaparecer entre cada menstruação.

Quando a mulher desenvolve depressão, o surgimento frequente deste tipo de sintomas também aumenta o risco de pensamentos suicida e, por isso, é muito importante fazer o tratamento adequado da depressão com um psicólogo ou psiquiatra.

Como confirmar que é TDPM

Não existe um teste ou exame para confirmar o diagnóstico de transtorno disfórico pré-menstrual, por isso, o ginecologista poderá identificar o transtorno apenas através da descrição dos sintomas.

Em alguns casos, o médico pode até pedir exames, como ultrassom ou tomografia computadorizada, apenas para confirmar se não existe nenhuma outra alteração na região pélvica que possa estar causando os sintomas de cólicas abdominais intensas ou inchaço, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento da TDPM é feito para aliviar os sintomas da mulher e, por isso, pode variar de caso para caso. No entanto, as principais formas de tratamento incluem:

  • Antidepressivos, como Fluoxetina ou Sertralina: ajudam a aliviar os sintomas de trsiteza, desespero, ansiedade e alterações do humor e também podem melhorar a sensação de cansaço e dificuldade para dormir;
  • Pílula anticoncepcional: permite regular os níveis hormonais durante todo o ciclo menstrual, podendo reduzir todos os sintomas da TDPM;
  • Analgésicos, como Aspirina ou Ibuprofeno: aliviam a dor de cabeça, as cólicas menstruais ou a dor nos seios, por exemplo;
  • Suplementação de cálcio, vitamina B6 ou magnêsio: podem ser uma opção natural para aliviar os sintomas em alguns mulheres;
  • Plantas medicinais, como Vitex agnus-castus: reduzem a irritabilidade e as alterações de humor frequentes, assim como a dor nos seios, inchaço e as cólicas menstruais.

Além disso, é ainda importante ter um estilo de vida saudável, fazendo uma dieta equilibrada, praticando exercício físico pelo menos 3 vezes por semana e evitando substâncias como o álcool e o cigarro, por exemplo.

Dormir 7 a 8 horas por noite ou praticar técnicas de relaxamentos, como mindfulness, ioga ou meditação, também podem reduzir o estresse e melhorar os sintomas emocionais provocados pelo transtorno disfórico pré-menstrual.

Confira ainda algumas opções caseiras que ajudam a aliviar os sintomas de TPM e que também podem melhorar a TDPM.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...