Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Remédios para controlar a TPM - Tensão Pré Menstrual

O uso de um remédio para TPM - tensão pré menstrual, atenua os sintomas e deixa a mulher mais calma e tranquila, mas para que tenha o efeito esperado, deve ser utilizado conforme a orientação do ginecologista. Bons exemplos são as pílulas anticoncepcionais e os calmantes naturais como passiflora e o suco de maracujá.

No entanto, estes medicamentos não devem ser usados sem o conhecimento do médico porque possuem efeitos colaterais e contraindicações que devem ser respeitadas. Além disso, os remédios indicados podem variar de acordo com sintomas de cada mulher. 

Remédios para controlar a TPM - Tensão Pré Menstrual

Os remédios mais usados para TPM são:

1. Antidepressivos

Os antidepressivos mais indicados pelo médico para controlar a TPM são os inibidores da recaptação da serotonina (IRSS) que incluem fluoxetina, sertralina e paroxetina. Durante a TPM ocorrem mudanças químicas no cérebro, que reduzem a quantidade de serotonina que é uma substância responsável pela regulação do humor, do sono, do apetite e da sensação de bem estar. Os antidepressivos atuam diretamente no cérebro aumentando a quantidade de serotonina, e assim melhoram os sintomas de cansaço, irritabilidade, compulsão alimentar e insônia.

Principais efeitos colaterais: os efeitos colaterais mais comuns dessa classe de antidepressivos são náuseas, redução da libido, tremores e ansiedade. Em geral, esses efeitos surgem no início do tratamento, principalmente nos primeiros 15 dias, e desaparecem com o tempo. 

2. Ansiolíticos

Os ansiolíticos, também chamados de tranquilizantes, são muitas vezes indicados para o controle da TPM, durante um curto período de tempo. Estes remédios ajudam a pessoa a relaxar e reduzem a a ansiedade, tensão ou irritabilidade. O ansiolítico mais indicado pelo médico é o alprazolam, mas devido aos seus efeitos de dependência, não é indicado para uso prolongado.

Principais efeitos colaterais: os ansiolíticos podem causar efeito de dependência e também de tolerância em que são necessárias doses cada vez maiores para se obter o efeito desejado. Além disso, podem diminuir o estado de alerta e afetar a coordenação.

Os ansiolíticos são contraindicados para pessoas que têm glaucoma e lactantes pois pode passar para o bebê pelo leite. Saiba mais sobre o alprazolam.

3. Anticoncepcionais orais

As pílulas anticoncepcionais são indicadas para estabilizar as variações hormonais que ocorrem entre os períodos menstruais. A pílula anticoncepcional mais indicada para a TPM é o Yaz (etinilestradiol e drosperidona). A drosperidona age com a mesma eficácia da espironolactona que é um diurético, reduzindo o inchaço que antecede a menstruação. 

Principais efeitos colaterais: os efeitos colaterais mais comuns do Yaz são alterações do humor, depressão, enxaqueca, náuseas e sangramento entre os períodos menstruais.

O Yaz não deve ser usado por pessoas com história de trombose, embolia pulmonar ou doenças cardiovasculares. Confira mais informações sobre o Yaz.

4. Injeção de Progesterona

A injeção de progesterona age interrompendo temporariamente a menstruação. A injeção mais indicada é a Depo-Provera (medroxiprogesterona) e deve ser feita a cada 3 meses no músculo da nádega . Saiba mais sobre a Depo-Provera.

Principais efeitos colaterais: os efeitos colaterais mais comuns são pequenos sangramentos após a primeira injeção e aumento de peso devido a retenção de líquidos.

A Depo-Provera é contra-indicada na gravidez, no aleitamento, em casos de câncer de mama suspeito ou comprovado, em casos de doenças no fígado e para mulheres com história de trombose.

5. Implantes hormonais

Os implantes hormonais são métodos anticoncepcionais indicados para estabilizar as variações hormonais que ocorrem entre os períodos menstruais e interromper a menstruação. Desta forma, reduzem os sintomas da TPM. As vantagens destes métodos são de melhor controle hormonal pois evitam o esquecimento da pílula anticoncepcional e são uma boa alternativa para mulheres que não podem utilizar estrógenos.

Os implantes hormonais podem ser de dois tipos: 

  1. Implante subcutâneo: o Implanom ou Organom é um implante anticoncepcional, na forma de um pequeno bastão, que é inserido embaixo da pele do braço. Assim, o hormônio etonogestrel é liberado em pequenas quantidades e de forma gradual por até 3 anos. O Implanom ou Organom deve ser inserido e removido apenas por um médico.

    • Principais efeitos colaterais: os efeitos colaterais mais comuns são aparecimento de acne, menstruação irregular, aumento de peso, sensibilidade e dor nas mamas. Saiba mais sobre o implante subcutâneo.
  2. Implante intrauterino: o Mirena é um implante anticoncepcional intrauterino que tem a forma de um T e contém o hormônio levonorgestrel que é liberado de forma gradual em pequenas doses diretamente no útero pelo período máximo de 5 anos. O Mirena deve ser inserido e removido apenas por um médico. Veja as 10 dúvidas comuns sobre o Mirena.
    • Principais efeitos colaterais: os efeitos colaterais mais comuns são dor de cabeça, cólicas especialmente no primeiro mês de uso, aumento ou diminuição da menstruação, depressão, náusea , infecção genital e acne. 

Assim como os anticoncepcionais orais, os implantes hormonais possuem contra-indicações em mulheres com gravidez suspeita ou comprovada, história de trombose e câncer de mama suspeito ou comprovado. 

Opções de remédios naturais para a TPM

Remédios para controlar a TPM - Tensão Pré Menstrual

Os fitoterápicos e os suplementos vitamínicos são uma boa opção para mulheres que têm sintomas mais leves da TPM ou que preferem se tratar com alternativas mais naturais. 

1. Valeriana

A valeriana funciona como um ansiolítico natural reduzindo a ansiedade, provocada pela TPM, sem provocar sono. Pode ser encontrada em farmácias e drogarias na forma de comprimidos. A Valeriana é contra-indicada para mulheres grávidas ou amamentando.

Embora possa ser consumida na forma de chá, a melhor opção para a TPM é tomar a valeriana na forma de comprimido. Neste caso, devem ser ingeridos 2 a 3 comprimidos revestidos 1 a 3 vezes ao dia.

2. Passiflora

A passiflora, assim como a valeriana, reduz a ansiedade, comum durante a TPM, sem provocar sono. O Passiflorine pode ser encontrado em farmácias e drogarias na forma de drágeas ou solução oral. As drágeas contêm lactose na sua composição, não sendo recomendadas para pessoas com intolerância à lactose.

A dose recomendada de Passiflorine é de 2 drágeas, de uma a três vezes ao dia ou 5mL da solução oral, de uma a três vezes ao dia.

3. Hipericão

Também conhecido como Hypericum perforatum ou erva de São João, age como um antidepressivo natural, reduzindo a ansiedade, o cansaço e a insônia, que são sintomas comuns na TPM. O hipericão pode ser utilizado na forma de chá ou comprimidos revestidos e é contra-indicado para mulheres grávidas ou amamentando. 

O hipericão pode se consumido na forma de chá, enretanto a melhor opção para a TPM é na forma de comprimido. Assim, a dose recomendada é de 1 comprimido revestido 1 a 3 vezes ao dia. 

4. Vitex agnus-castus 

O Vitex agnus-castus é utilizado como extrato seco, possui atividade antinflamatória, antimicrobiana, além de aumentar os níveis de progesterona no organismo regulando as variações hormonais que ocorrem na TPM. Assim, reduz os sintomas da TPM como ansiedade, tensão nervosa e cólica e ajuda a regular o ciclo menstrual.

O extrato seco do Vitex agnus-castus pode ser encontrado nas farmácias e drogarias na forma de comprimidos e é contra-indicado para mulheres que estão amamentando. 

A dose recomendada de Vitex agnus-castus é de 1 comprimido de 40mg por dia, em jejum, antes do café da manhã.

5. Cimicifuga racemosa

A Cimicifuga racemosa é utilizada para reduzir os sintomas da TPM como ansiedade, tensão e depressão. É condiderado um fitoestrógeno, agindo como um estrógeno natural e assim ajuda no controle da TPM ao reduzir as alterações hormonais. A Cemicifuga racemosa é contra indicada durante a gravidez e lactação e para mulheres com câncer de mama suspeito ou confirmado. É vendido em farmácias e drogarias na forma de comprimidos. 

A dose recomendada da Cimicifuga racemosa é de 1 comprimido, duas vezes ao dia. 

6. Gamaline V (Borago officinallis)

O Gamaline V é um fitoterápico que tem o ácido gamalinolênico (GLA) na sua composição possuindo propriedades antinflamatórias, além de melhorar a regulação do sistema imunológico, que reduzem os sintomas de dor e inchaço nas mamas durante a TPM. O Gamaline V é vendido na forma de cápsulas e tem como efeitos colaterais diarréia, náusea e desconforto abdominal. 

A dose recomendada de Gamaline V é de 1 cápsula ao dia.

7. Óleo de onagra

O óleo de onagra, também conhecido como óleo de prímula, é rico em ácido gama linoleico, que atua nos hormônios femininos deixando a mulher mais calma durante a TPM. O óleo de onagra pode ser encontrado nas farmácias e drogarias em forma de cápsulas e não possui contraindicações nem efeitos adversos.

A dose recomendada é de 1 cápsula no almoço e outra no jantar.

Além do óleo de onagra, o óleo de borragem também pode ser usado para aliviar os sintomas da TPM. Saiba mais sobre o óleo de borragem.

8. Suplementos vitamínicos

Nos casos de TPM leve, podem ser utilizados suplementos vitamínicos como Vitamina B (40 a 100 mg ao dia), carbonato de cálcio (1.200 a 1.600 mg ao dia), vitamina E (400 a 60 UI aodia) e magnésio (200 a 360 mg até 3 vezes ao dia).

As vitaminas ajudam a reduzir os sintomas da TPM por manter o organismo bem nutrido e equilibrado. Os suplementos vitamínicos podem ser encontrados em farmácias e drogarias na forma de cápsulas ou comprimidos.

Uma outra boa fonte natural de vitaminas são os alimentos. Veja como fazer uma dieta que ajuda a aliviar os sintomas da TPM.

Bibliografia >

  • APPLETON, Sarah M.. Premenstrual Syndrome: Evidence-based Evaluation and Treatment. Clinical Obstetrics and Gynecology . 1-10, 2018
  • RYUA, Aeli; Ryua, KIM, Tae-Hee. Premenstrual syndrome: A mini review. Maturitas. 82. 4; 436-440, 2015
  • PERINI, S.; ISAIA, C.F.. Estudo de Revisão da Eficácia Clínica do Vitex agnus-castus na Saúde Feminina. Estado de Arte/State of Art FIOCRUZ. 43-50, 2007
  • RAKEL, David. Integrative Medicine. 4.ed. Philadelphia: Elsevier, 2018. 794-795.
  • GRUNWALD, JORG; JANICKE, CHRISTOF. A farmácia verde. Espanha: Editora Everest, 2009. 346-347.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem