Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) - Sintomas e Tratamento

A Síndrome Respiratória do Oriente Médio - MERS, provoca febre, tosse e espirros, podendo causar pneumonia ou insuficiência renal quando o sistema imune está enfraquecido, devido ao HIV ou tratamentos para câncer por exemplo, e nestes casos há um maior risco de morte.

O tratamento desta síndrome consiste apenas no alívio dos sintomas porque ela é causada por um vírus, chamado Coronavírus que pode ser transmitido de pessoa para pessoa através das gotículas de saliva que se espalham através da tosse e dos espirros.

Para se proteger é importante manter uma distancia segura de 6 metros do doente, e além disso, para não pegar esse vírus, é aconselhado não viajar para regiões onde existam casos desta doença porque ela ainda não tem vacina, nem tratamento específico.

Sintomas da Síndrome Respiratória do Oriente Médio

​Os sintomas da Sintomas da Síndrome Respiratória do Oriente Médio podem ser:

  • Febre acima de 38ºC;
  • Tosse persistente;
  • Falta de ar;
  • Alguns pacientes podem apresentar náusea, vômito e diarreia.
Principais sintomasPrincipais sintomas
Como o vírus se espalhaComo o vírus se espalha

Estes sintomas podem aparecer de 2 a 14 dias após o contato com o vírus e por isso, em caso de suspeita deve-se ir ao pronto socorro e informar que esteve num dos locais afetados pelo coronavírus, porque esta é uma doença que deve ser de conhecimento das autoridades.

Algumas pessoas apesar de estarem contaminadas apresentam somente sintomas leves, semelhantes ao de uma gripe comum. No entanto, elas podem transmitir a doença para outros e estes ficarem gravemente afetados devido ao seu próprio estado de saúde antes de estarem contaminadas.

Como se proteger 

​A melhor forma de prevenir a Síndrome Respiratória do Oriente Médio é evitar o contato com pessoas ou animais contaminados além de evitar viajar para os países do Oriente Médio, durante épocas de epidemia. Quem vive nestes locais deve usar uma máscara no rosto para se proteger.

Os países que pertencem ao Oriente Médio incluem:

  • Israel, Arábia Saudita, Emirados Árabes,
  • Iraque, Cisjordânia, Gaza, Jordânia, Líbano, Oman,
  • Qatar, Síria, Iêmen, Kuwait, Bahrain, Eu Corri.

Até que a epidemia de MERS tenha sido controlada deve-se ponderar a necessidade de viajar para esses países e evitar o contato com camelos e dromedários porque acredita-se que eles também podem transmitir o coronavírus.

Como evitar a transmissão 

Como ainda não existe uma vacina específica para Síndrome Respiratória do Oriente Médio, para evitar a contaminação de outras pessoas é recomendado que o paciente não frequente o trabalho ou a escola e tenha os seguintes cuidados:

Lavagem correta das mãosLavagem correta das mãos
Usar lenço descartável quando tossirUsar lenço descartável quando tossir
  • Lavar as mãos com água e sabão com frequência, e a seguir utilizar álcool em gel para desinfetar as mãos;
  • Sempre que espirrar ou tossir colocar um lenço de papel sobre o nariz e a boca para conter as secreções e evitar que o vírus se espalhe e a seguir, jogue o lenço no lixo;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz ou boca sem ter lavado as mãos;
  • Evitar o contato próximo com outras pessoas, evitando beijos e abraços;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, pratos ou copos com outras pessoas;
  • Passar um pano com álcool em todas as superfícies frequentemente tocadas como maçanetas das portas, por exemplo.

Um outro cuidado importante que a pessoa infectada deve ter é evitar o contato com outras pessoas, mantendo uma distância segura de aproximadamente 6 metros de distância.

Como é o Tratamento

O tratamento consiste no alívio dos sintomas e geralmente é feito em casa. No entanto, alguns pacientes podem ter complicações como pneumonia ou comprometimento dos rins e nestes casos devem permanecer internados para receber os cuidados necessários.

Pessoas saudáveis que ficam contaminadas tem mais chances de serem curadas, no entanto, pessoas com o sistema imune comprometido, que tenha diabetes, câncer, problemas cardíacos ou pulmonares e doença renal tem maior probabilidade de serem contaminadas ou de serem gravemente afetadas, com maior risco de morte.

Durante a doença o paciente deve permanecer de repouso, ficando de quarentena, e seguir todas as orientações do médico para evitar transmitir o vírus para outras pessoas. Os paciente gravemente afetados, que desenvolvem pneumonia ou insuficiência renal devem permanecer internados no hospital para que recebam todos os cuidados necessários. Nesses casos, o paciente pode necessitar de respirar com ajuda de aparelhos e fazer hemodiálise para filtrar o sangue adequadamente, prevenindo complicações.

Como fortalecer o sistema imune 

Para fortalecer o sistema imune e facilitar a recuperação é aconselhado beber 2 litros de água por dia e investir numa alimentação saudável, ingerindo maior quantidades de legumes, verduras, frutas e carnes magras, enquanto que os alimentos industrializados e processados devem ser evitados.

Melhorar o funcionamento intestinal pode contribuir para uma recuperação mais rápida e por isso é recomendado ingerir iogurtes com probióticos e ingerir mais alimentos ricos em fibras. Veja exemplos em: Probióticos e Alimentos ricos em Fibras.

Sinais de melhora

Nas pessoas que possuem um bom estado de saúde e não têm nenhuma doença crônica e que raramente ficam doentes, os sinais de melhora podem surgir em poucos dias com a diminuição da febre e do mal-estar geral.

Sinais de piora e complicações 

O sinais de piora costumam surgir nos pacientes que sofrem com outras doenças ou que possuem o sistema imune frágil. Nesses casos, a doença pode se agravar e surgirem sintomas como aumento da febre, muito catarro, dificuldade para respirar, dor no peito e calafrios que são sugestivos de pneumonia, ou sintomas como diminuição da produção de urina e inchaço corporal, que são sugestivos de insuficiência renal.

Os pacientes que apresentam estes sintomas devem permanecer internados no hospital para receber todo o tratamento necessário, porém nem sempre é possível salvar sua vida.

Veja como pode ser feito o tratamento destas complicações em:

Mais sobre este assunto:
Carregando
...