Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Gripe alérgica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Junho 2020

A "gripe alérgica" é um termo popular utilizado, muitas vezes, para descrever os sintomas da rinite alérgica, que surge principalmente com a chegada do inverno. 

Durante essa estação do ano é mais comum acontecer aglomerações de pessoas em locais fechados, favorecendo o contágio do vírus da gripe. Porém, o tempo frio e seco do inverno também favorece a dispersão de alérgenos no ar, facilitando o aparecimento de alergias. Assim, o que muitas vezes pode parecer uma gripe ou uma virose pode ser, na verdade, um tipo de alergia, como a rinite. 

Como os sintomas da gripe e da rinite são muito parecidos, é comum que sejam confundidas, no entanto, a gripe é provocada por vírus, já a rinite tem causa alérgica, necessitando de tratamento diferentes. Quando surgem sintomas de uma "gripe alérgica", o ideal é procurar um médico alergista ou clínico geral para identificar a causa e indicar o tratamento mais adequado.

Gripe alérgica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais sintomas 

Os sintomas da "gripe alérgica" são muito semelhantes aos da rinite e incluem:

  • Coceira nos olhos e nariz;
  • Irritação na garganta;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Obstrução nasal
  • Espirros.

Geralmente, esses sintomas surgem de forma imediata e não gradualmente, por exemplo, logo após o contato com uma planta ou inalação de poeira. 

Como diferenciar gripe de rinite alérgica

Ao contrário da rinite alérgica, que é caracterizada por sintomas mais localizados na região do rosto, a gripe pode provocar sintomas mais generalizados como febre, mal estar geral e dores no corpo.

Além disso, os sintomas da gripe tendem a ter duração de 7 a 10 dias, enquanto os da rinite podem se manter enquanto houver exposição a determinado alérgeno no ar.

Possíveis causas 

A "gripe alérgica" normalmente pode ser causada por:

  • Mudanças climáticas;
  • Odores fortes (perfumes, produtos de limpeza, fumaça de cigarro);
  • Ácaros da poeira doméstica;
  • Fungos;
  • Pólen.

Embora várias substâncias presentes no ambiente possam causar alergia, a origem da "gripe alérgica" é individual e deve ser sempre avaliada por um médico alergista.

Como é feito o tratamento

Uma vez que o termo "gripe alérgica" é quase sempre utilizado para se referir a uma situação de rinite alérgica, o tratamento tem como objetivo aliviar a alergia que está causando os sintomas. Para isso, medicamentos como corticóides, antialérgicos e descongestionantes nasais podem ser recomendados pelo médico.

Além disso, também pode ser necessário seguir alguns cuidados importantes, como:

  • Deixar os ambientes de casa sempre bem ventilados e ensolarados
  • Fazer a limpeza preferencialmente com pano úmido
  • Evitar produtos com cheiro forte, como os de limpeza, tintas, perfumes e inseticidas
  • Evitar o contato com fumaça de cigarro.

Nos casos em que não houve melhora com as medicações e para quem não pode evitar o contato com o alérgeno, a vacina é uma opção. Ela está indicada se o teste cutâneo ou sanguíneo comprovar o alérgeno. Nesse tratamento, são aplicadas injeções ou gotas sublinguais em quantidades controladas para que o organismo deixe de ter uma reação exagerada a substância responsável pela alergia. 

Opções de remédios caseiros

Alguns chás, como o de eucalipto, são boas alternativas para tratar a "gripe alérgica", pois facilitam a saída das secreções nasais, aliviando os sintomas.

Confira outros remédios caseiros para aliviar os sintomas da "gripe alérgica"

Como prevenir crises de "gripe alérgica"

As crises de "gripe alérgica" podem ser atenuadas com algumas medidas no ambiente em que se vive:

  • Evitar carpetes, tapetes, bichos de pelúcia e roupas com pouco uso, para evitar o acúmulo de poeira; 
  • Trocar a roupa de cama semanalmente;
  • Manter sempre que possível o ambiente arejado e ventilado com janelas abertas;
  • Evitar contato com bichos de estimação caso se observe que eles sejam os causadores dos sintomas.

É importante ressaltar que os sintomas podem ser, muitas vezes, prevenidos evitando o contato com os alérgenos conhecidos. Esta é, na verdade, a única forma efetivamente comprovada contra as crises de "gripe alérgica". Portanto, identificar o causador das crises é fundamental.

Bibliografia >

  • RUBINI, Norma de P.M. et al. Guia prático sobre controle ambiental para pacientes com rinite alérgica. Arq Asma Alerg Imunol. Vol.1, n.1. 7-22, 2017
  • FOMIN; Angela B. F. et. al.. Nasofibroscopia para o diagnóstico dos agravos da rinite alérgica em crianças e adolescentes. Revista Brasileira de alergia e imunopatologia. 24. 6; 220-228, 2001
  • MANUAL DE OTORRINOLARINGOLOGIA PEDIATRICA DA IAPO. Imunoterapia específica com alérgenos no tratamento da rinite alérgica. Disponível em: <http://www.iapo.org.br/manuals/VI_Manual_br_Imunoterapia%20especifica.pdf>. Acesso em 20 Mar 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem