Sal de Epsom: para que serve e como usar

Dezembro 2020

O sal de Epsom, também conhecido como sulfato de magnésio, é um mineral que possui propriedade anti-inflamatória, antioxidante e relaxante, podendo ser adicionado ao banho, ingerido ou diluído em água com diversos objetivos.

O principal uso do sal de Epsom é para promover o relaxamento, isso porque esse mineral ajuda a regular os níveis de magnésio no corpo, o que pode favorecer a produção de serotonina, que é um neurotransmissor relacionado com a sensação de bem estar e relaxamento. Além disso, ao regular os níveis de magnésio no organismo é possível também prevenir o desenvolvimento de doenças cardíacas, AVC, osteoporose, artrite e fadiga crônica, por exemplo. 

O sal de Epsom pode ser comprado em drogarias, farmácias, lojas de produtos naturais ou encontrado em farmácias de manipulação.

Sal de Epsom: para que serve e como usar

Para que serve

O sal de Epsom possui ação analgésica, relaxante, calmante, anti-inflamatória e antioxidante, podendo ser indicado para diversas situações, como por exemplo:

  • Reduzir inflamações;
  • Favorecer o funcionamento correto dos músculos;
  • Estimular a resposta nervosa;
  • Eliminar toxinas;
  • Aumentar a capacidade de absorção de nutrientes;
  • Promover o relaxamento;
  • Auxiliar no tratamento de problemas de pele;
  • Ajudar a aliviar dores musculares.

Além disso, o sal de Epsom pode também ajudar a combater os sinais e sintomas da gripe, no entanto é importante que o tratamento indicado pelo médico também seja realizado.

Como usar 

O sal de Epsom pode ser usado tanto em escalda pés, quanto em compressas ou em banhos, por exemplo. No caso das compressas, pode acrescentar 2 colheres de sopa de sal de Epsom em uma xícara e água quente e, em seguida, molhar uma compressa e aplicar sobre a região afetada. Já no caso do banho, pode-se acrescentar 2 xícaras de sal de Epsom na banheira com água quente.

Outra forma de usar o sal de Epsom é fazer um esfoliante caseiro com 2 colheres (de chá) de sal de Epsom e creme hidratante. Confira outras opções de esfoliantes caseiros.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • COZZOLINO Silvia. Biodisponibilidade de nutrientes. 4º. Brasil: Manole Ltda, 2012. 629-641.
  • GROBER Uwe; WENER Tanja et al. Myth or Reality—Transdermal Magnesium?. Nutrients. 9. 8; 1-8, 2017
  • CILIA Abad. SULFATO DE MAGNESIO: ¿UNA PANACEA?. INCI. 30. 9; 36-50, 2005
  • WIENECKE Elmar; NOLDEN Claudia. [Long-term HRV analysis shows stress reduction by magnesium intake]. MMW Fortschr Med. 158. 6; 12-16, 2016
Mais sobre este assunto: