10 tratamentos caseiros para aliviar a dor muscular

Alguns tratamentos caseiros para dor muscular, como aplicar compressas frias ou quentes, massagear o músculo afetado com óleos essenciais ou tomar um chá de ervas, ajudam a reduzir a dor, o inchaço e a inflamação no local ou a relaxar o músculo, melhorando a dor e o desconforto.

A dor muscular, também conhecida por mialgia, ocorrer em qualquer local do corpo, como pescoço, costas, panturrilha ou peito, sendo normalmente causada pelo excesso de atividade física ou má postura, o que pode resultar em contraturas musculares, distensão ou estiramento muscular, ou ainda devido a condições de saúde, como a fibromialgia, por exemplo. Veja outras causas de dor muscular

Esses tratamentos caseiros podem ajudar a aliviar a dor muscular, no entanto, quando a dor é frequente ou aumenta de intensidade ao longo do tempo, deve-se consultar o clínico geral ou ortopedista que para identificar sua causa e indicar o tratamento mais adequado.

Os principais tratamentos caseiros para a dor muscular são:

1. Aplicar compressas de gelo 

A melhor forma de aliviar a dor muscular aguda é utilizando gelo, que tem um efeito analgésico, ajuda a reduzir o inchaço e a inflamação no local e permitir alongar os músculos.

Para aplicar a compressa de gelo, deve-se colocar gelo dentro de uma bolsa térmica ou colocar um saco de gel no congelador para resfriar, e depois envolver a bolsa ou o saco de gel, em uma toalha limpa e seca, e aplicar no músculo afetado, deixando agir por 15 a 20 minutos, de 3 a 4 vezes por dia. Saiba mais sobre quando e como usar corretamente o gelo para aliviar dores musculares.

2. Aplicar compressas quentes

Nas primeiras 48 horas após a lesão, é recomendado aplicar a compressa de gelo, mas depois disso, deve-se utilizar compressas quentes, pois ajuda a relaxar o músculo, melhorando a dor e o desconforto.

A compressa quente deve ser utilizada após dois ou três dias, pois é o tempo necessário para que o gelo diminua a dor e a inflamação no músculo. Essa compressa ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo na região afetada, acelera a cicatrização e relaxa os músculos.

A compressa quente pode ser preparada adicionando água quente em uma bolsa térmica, que deve ser envolvida em uma toalha limpa aplicada na região afetada cerca de 20 minutos, de 2 a 3 vezes por dia.

Assista o vídeo a seguir com a fisioterapeuta Marcelle Pinheiro sobre como alternar a aplicação das compressas frias e quentes corretamente:

3. Aplicar compressas de sal quente

Um excelente remédio caseiro para dor muscular é a compressa de sal quente, pois ajuda a diminuir a dor e estimula a circulação, acelerando o processo de recuperação muscular.

Ingredientes

  • 500 g de sal;
  • Meia de tecido grosso.

Modo de preparo

Aquecer o sal em uma frigideira por aproximadamente 4 minutos e colocar em uma meia limpa, de tecido grosso, de forma a ficar mole. De seguida, aplicar a compressa sobre o músculo dolorido e deixar atuar por 30 minutos, 2 vezes ao dia.

4. Massagear com óleos essenciais

As massagens regulares com óleos essenciais ajudam a reduzir a dor muscular. Isto porque os óleos essenciais de alecrim e de hortelã-pimenta, ajudam a estimular a circulação, e o óleo essencial de erva-de-São-João tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias.

Ingredientes

  • 15 gotas de óleo essencial de alecrim;
  • 5 gotas de óleo essencial de hortelã-pimenta;
  • 5 gotas de óleo essencial de erva-de-São-João;
  • 1 colher de sopa de óleo de amêndoas.

Modo de preparo

Misturar os óleos num frasco de vidro escuro, limpo e seco. Agitar bem e massagear o músculo com um pouco da mistura, todos os dias até melhorar. Saiba mais benefícios que a massagem tem para a saúde.

5. Descansar e alongar

Após uma lesão muscular, é muito importante deixar repousar a região afetada, para ajudar na recuperação e alivia a dor e o desconforto.

No entanto, quando a dor intensa inicial e o inchaço ficarem menores, deve-se alongar a região afetada, suavemente, movimentando-a para evitar a rigidez progressiva. Os alongamentos ajudam a estimular a circulação e evitam cicatrizes. Veja quais os exercícios de alongamento ideais para dor nas costas.

6. Tomar chá de ervas

Tomar chá de valeriana, gengibre, salgueiro-branco, filipêndula ou garra do diabo, ajuda também nas dores musculares devido às suas propriedades sedativas, anti-inflamatórias e anti reumáticas.

Além disso, salgueiro branco, conhecido cientificamente como Salix alba, é rico em salicina, que é uma substância semelhante ao ingrediente principal da aspirina, que age reduzindo a dor e a inflamação no músculo, aliviando a dor muscular causada por distensão ou estiramento muscular. Veja outros benefícios do salgueiro branco

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de extrato de valeriana;
  • 1 colher de sopa de extrato de casca de salgueiro-branco;
  • 1 colher de sobremesa de extrato de gengibre.

Modo de preparo:

Misturar os extratos e guardar num frasco de vidro escuro, limpo e seco. Tomar meia a uma colher de chá, diluída em 60 mL de água morna, cerca de 4 vezes ao dia. Veja outras opções de chás para dor muscular.

Este chá não deve ser consumido por crianças, por mulheres grávidas ou em amamentação, por pessoas que têm alergia à aspirina ou que estejam usando anticoagulantes.

Além disso, o uso deste chá não é indicado para pessoas com problemas gastrointestinais, como úlceras, gastrite, refluxo gastroesofágico, colite ou diverticulite.

7. Passar arnica na pele

A arnica é uma planta medicinal, da espécie Arnica montana, que ajuda a diminuir a dor e a tratar a distensão muscular causada por atividades físicas ou no caso de torcicolo, contusões e inflamações, por exemplo, devido às lactonas na sua composição com ação anti-inflamatória e analgésica.

A arnica pode ser usada na forma de creme, óleo, tintura ou mesmo em compressas preparadas com o chá dessa planta. Saiba como preparar uma pomada de arnica caseira

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) das flores secas de arnica;
  • 250 mL de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as flores secas de arnica na água fervente e deixar repousar por 10 minutos. Coar, mergulhar a compressa e aplicar morno sobre o músculo afetado de 2 a 3 vezes por dia. 

O chá de arnica não deve ser usado na pele com feridas abertas ou que sangram, e nos olhos, e nunca deve ser ingerida, devido aos seus efeitos tóxicos.

Além disso, a arnica não deve ser usada por pessoas alérgicas à esta planta ou com doenças no fígado, por crianças com menos de 12 anos, mulheres grávidas ou em amamentação.

8. Tomar açafrão

A inflamação do músculo pode ser atenuada com a ajuda do açafrão, que é uma planta medicinal com uma longa raiz cor de laranja, que pode ser transformada em pó e usada como especiaria em vários países, especialmente na Índia .

A dose recomendada é de 300 mg, duas vezes ao dia, mas também se pode usar o açafrão em pó e adicioná-lo à comida, como em pratos de caril, sopas e pratos à base de ovos, arroz e legumes. Veja mais benefícios do açafrão.

9. Banho com sais de Epsom

Os sais de Epsom são ricos em sulfato de magnésio que é facilmente absorvido pela pele, facilitando a circulação do sangue, eliminando toxinas, relaxando os músculos e aliviando a dor muscular causada por distensão ou estiramento muscular, especialmente na panturrilha.

Esses sais devem ser usados somente para banho, até 3 vezes por semana, e não devem ser consumidos.

Ingredientes

  • ½ xícara de sais de Epsom;
  • 2 a 3 litros de água morna.

Modo de preparo

Colocar os sais de Epsom em um recipiente com 2 a 3 litros de água morna ou uma quantidade de água suficiente para cobrir os pés e chegar até pelo menos o meio da panturrilha. Diluir bem os sais, mexendo a água com a mão, e colocar a perna no interior da água durante cerca de 15 minutos. 

Outra opção é colocar 1 copo de sais de Epsom em um recipiente com 1 litro de água morna e mexer até que os sais estejam bem diluídos. Em seguida, adicionar essa solução na água da banheira e ficar imerso, do pescoço para baixo, por aproximadamente 15 a 20 minutos.

O banho com sais de Epsom é contra-indicado para crianças, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas com problemas nos rins, como insuficiência renal grave, miastenia gravis, fraqueza muscular, baixa quantidade de cálcio no sangue ou alta quantidade de magnésio no sangue

10. Consumir alimentos anti-inflamatórios

Alguns alimentos como cúrcuma, brócolis ou espinafre e alimentos ricos em ômega-3 como atum, sardinha, salmão, linhaça ou chia, podem ajudar a diminuir a inflamação e, por isso, ajudam a aliviar a dor muscular. 

Esses alimentos devem ser consumidos diariamente ou, no caso dos peixes, pelo menos de 3 a 5 vezes por semana. Confira a lista completa de alimentos anti-inflamatórios.

Assista o vídeo a seguir com a nutricionista Tatiana Zanin com dicas dos melhores alimentos anti-inflamatórios:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • PUMPA, K. L.; et al. The effects of topical Arnica on performance, pain and muscle damage after intense eccentric exercise. European Journal of Sport Science. 14. 3; 2014
  • BOGDUK, N. Pharmacological alternatives for the alleviation of back pain. Expert Opin Pharmacother. 5. 10; 2091-2098, 2004
Mostrar bibliografia completa
  • ZENGION; A. H.; YARNELL, E. Pain Procedures in Clinical Practice: Chapter 20: Herbal and Nutritional Supplements for Painful Conditions. 3. Elsevier, 2011. 187-204.
  • KYRIAKIDOU, Y.; et al. The effect of Omega-3 polyunsaturated fatty acid supplementation on exercise-induced muscle damage. Kyriakidou Y. J Int Soc Sports Nutr. 18. 1; 9, 2021
  • MALANGA, G. A.; et al. Mechanisms and efficacy of heat and cold therapies for musculoskeletal injury. Postgrad Med. 127. 1; 57-65, 2015
  • WANG, Y.; et al. Heat and cold therapy reduce pain in patients with delayed onset muscle soreness: A systematic review and meta-analysis of 32 randomized controlled trials. Phys Ther Sport. 48. 177-187, 2021
  • ANDRADE, J. M.; et al. Rosmarinus officinalis L.: an update review of its phytochemistry and biological activity. Future Sci OA. 4. 4; 2018
  • MEAMARBASHI, A. Herbs and natural supplements in the prevention and treatment of delayed-onset muscle soreness. Avicenna J Phytomed. 7. 1; 16–26, 2017
  • MENON, V. P.; SUDHEER, A. R. Antioxidant and anti-inflammatory properties of curcumin. Adv Exp Med Biol. 595. 105-125, 2007
  • SHARA, M.; STOHS, S. J. Efficacy and Safety of White Willow Bark (Salix alba) Extracts . Phytother Res. 29. 8; 1112-1116, 2015
  • KRIPLANI, P.; et al. Arnica montana L. – a plant of healing: review. Journal of Pharmacy and Pharmacology. 69. 925-945, 2017
  • WALKER, P.; et al. Epsom Salt Ingestion Leading to Severe Hypermagnesemia Necessitating Dialysis. J Emerg Med. 58. 5; 767-770, 2020
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • 7 alimentos antiinflamatórios que você precisa usar

    24:55 | 798169 visualizações
  • BENEFÍCIOS DO ÔMEGA 3 - Fontes naturais e melhores suplementos

    05:43 | 60668 visualizações
  • Alongamento para o Dia a Dia

    01:08 | 327790 visualizações
  • CALOR ou FRIO para Aliviar a Dor | Como Usar Corretamente

    01:39 | 511228 visualizações
  • O que fazer para aliviar a dor nas costas

    02:57 | 785390 visualizações