Quando começar a introdução alimentar no bebê

A introdução alimentar é o período em que o bebê deixa de se alimentar apenas de leite materno, ou de fórmula infantil, e começa a comer outros alimentos, como frutas, cereais, tubérculos, vegetais, leguminosas e proteínas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, a introdução de alimentos na dieta do bebê deve acontecer somente a partir dos 6 meses, pois o leite materno, ou a fórmula infantil, fornecem todos os nutrientes que o bebê precisa até esta idade.

Aos 6 meses, o bebê deve começar a comer uma papa feita com frutas frescas, nos lanches da manhã e da tarde, e uma papa feita com cereais ou tubérculos, vegetais, leguminosas e proteínas, no almoço ou no jantar. Veja quais alimentos incluir na introdução alimentar do bebê.

É importante que os alimentos sejam oferecidos de forma separada no prato, amassados com um garfo ou raspados (no caso de algumas frutas), sem usar mixer ou liquidificador, para ajudar no desenvolvimento da mastigação e no reconhecimento dos diferentes sabores e texturas.

Quando começar a introdução alimentar no bebê

Porque iniciar apenas aos 6 meses

O Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Pediatria orientam que se inicie a introdução alimentar apenas aos 6 meses porque, até essa idade, o leite materno, ou a fórmula infantil, ainda oferecem todos os nutrientes que o bebê precisa.

Além disso, a partir dos 6 meses, o bebê tem maior necessidade de nutrientes, como ferro e zinco, e já tem o reflexo de engolir mais desenvolvido e o estômago pronto para receber diferentes alimentos.

Não é recomendado introduzir alimentos na dieta antes dos 6 meses, pois isso pode aumentar as chances de infecções intestinais ou ainda causar alergias ou intolerâncias alimentares, já que o sistema imune e a digestão ainda estão se desenvolvendo.

Como começar a introdução alimentar

Ao iniciar a alimentação do bebê, deve-se priorizar os alimentos naturais, como:

  • Frutas frescas, como mamão, banana, abacate, manga, laranja ou kiwi;
  • Vegetais frescos, como tomate, chuchu, abóbora, quiabo, berinjela ou cenoura;
  • Leguminosas, como feijão, lentilha, grão de bico ou ervilha;
  • Tubérculos, como aipim, batata, batata baroa, cará, inhame ou batata doce;
  • Proteínas, como ovos, peixes, carne, frango ou tofu;
  • Cereais, como arroz, macarrão, milho, aveia ou quinoa.

Além disso, é importante também higienizar bem as mãos, os alimentos e os utensílios durante o preparo dos alimentos e antes das refeições, para prevenir contaminações dos alimentos e evitar doenças.

Dicas para facilitar a introdução alimentar

É recomendado que a introdução dos novos alimentos seja feita em local tranquilo, com boa interação entre todos os membros da família, sem televisão, celular ou outras distrações. Alguns cuidados que podem ajudar neste momento são:

  • Olhar e conversar com o bebê durante as refeições;
  • Oferecer os alimentos de forma separada no prato;
  • Não deixar o bebê sozinho durante a alimentação;
  • Oferecer os alimentos de forma lenta e paciente;
  • Estar atento aos sinais de fome, como quando o bebê chora e segura a mão da pessoa que está oferecendo a comida e abre a boca;
  • Saber reconhecer quando o bebê está saciado, como virar o rosto ou não abrir mais a boca para receber os alimentos;
  • Não oferecer recompensas, chantagear ou castigar o bebê, para evitar que tenha aversão aos alimentos.

Durante a introdução alimentar pode-se também estimular o bebê a segurar o talher aos poucos e deixar ele pegar os alimentos com as mãos. Esse é um dos princípios do BLW, um método que é muito utilizado para ajudar na introdução alimentar e que permite o desenvolvimento da coordenação motora do bebê. Saiba o que é e como aplicar o método BLW na introdução alimentar.

Ao iniciar a alimentação do bebê, é importante também começar a dar água, que deve ser filtrada ou fervida e oferecida em copo ou xícara ao longo do dia. Veja a quantidade recomendada de água de acordo com a idade do bebê.

Veja com a nossa nutricionista outras dicas para ajudar na introdução alimentar da criança:

Alimentos que devem ser evitados

Durante a introdução alimentar alguns alimentos devem ser evitados, como refrigerantes, produtos industrializados, doces e chocolates. Além disso, a adição de sal ou açúcar nas preparações também precisa ser evitada, pois podem contribuir para a formação de hábitos alimentares inadequados, favorecendo o aparecimento de doenças como diabetes ou obesidade. Veja quais alimentos não devem ser oferecidos para os bebês.

Como o sistema digestivo do bebê ainda está em  desenvolvimento, alguns alimentos, como mel e produtos com corantes, como gelatinas e sucos industrializados, também devem ser evitados, pois podem causar alergias ou intolerâncias alimentares. Saiba como identificar alergias alimentares no bebê.

Receitas para a introdução alimentar

Veja algumas receitas simples e saborosas para começar a introdução alimentar do bebê:

1. Canja de frango com cenoura e arroz

O frango é um alimento fonte de proteínas importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê. Além disso, a cenoura e o arroz são boas fontes de fibras, importantes para manter o bom funcionamento do intestino e evitar a prisão de ventre.

Ingredientes:

  • 1 peito de frango sem pele e cortado em cubos;
  • 1 xícara de chá de arroz;
  • 1 cebola média picada;
  • 2 dentes de alho picados;
  • 2 cenouras médias cortadas em cubos;
  • 2 batatas médias cortadas em cubinhos cortadas em cubos;
  • 2 tomates pequenos cortados cubos;
  • 100 gramas de vagem cortadas em cubos;
  • 2 folhas de couve cortada em tiras finas;
  • 1/2 colher de sopa de azeite;
  • 1 litro e ½ de água filtrada;
  • 1 colher de sopa de salsinha picada.

Modo de preparo:

Em uma panela, aquecer o azeite e refogar a cebola, o alho, a vagem e as cenouras. Acrescentar o peito de frango e deixar dourar por mais 5 a 10 minutos. Juntar os tomates, colocar a água, as batatas, misturar bem e cozinhar por mais quinze minutos. Acrescentar o arroz, abaixar o fogo e cozinhar por 10 a 15 minutos. Colocar as folhas de couve e cozinhar por 5 minutos. Apagar o fogo e salpicar a salsinha.

Em um prato, colocar 1 colher de sopa de frango e desfiar com um garfo. Acrescentar 1 colher de sopa de cenoura com a couve e desfiar ou amassar. Colocar 1 colher de sopa do arroz e amassar com um garfo. Adicionar 1 colher de sopa das batatas cozidas e amassar com um garfo. Servir os alimentos de forma separada no prato para o bebê.

2. Papinha de manga e banana

A manga e a banana são frutas ricas em carboidratos, fornecendo energia para a formação dos músculos e o desenvolvimento da coordenação motora. Além disso, são ricas em vitaminas que fortalecem o sistema de defesa, prevenindo doenças como gripe e resfriados.

Ingredientes:

  • 1/2 banana;
  • ¼ de manga pequena.

Modo de preparo:

Lavar bem e descascar a manga e a banana. Cortar a banana ao meio e amassar com um garfo em um prato. Depois, picar e amassar a manga com um garfo, e colocar no prato junto com a banana. Servir as frutas com uma colher e de forma separada para o bebê, para facilitar o reconhecimento dos diferentes sabores dos alimentos.

Confira outras receitas de papinhas de acordo com a idade do bebê:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE, DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA, COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO. Guia alimentar para crianças menores de 2 anos. 2018. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/julho/12/Guia-Alimentar-Crianca-Versao-Consulta-Publica.pdf>. Acesso em 18 Ago 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Manual de orientação do departamento de nutrologia: alimentação do lactente ao adolescente, alimentação na escola, alimentação saudável e vínculo mãe-filho, alimentação saudável e prevenção de doenças, segurança alimentar. 2012. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/publicacoes/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao.pdf>. Acesso em 18 Ago 2021
Mais sobre este assunto: