Cortisona: o que é, para que serve e efeitos colaterais

Atualizado em dezembro 2023

A cortisona é um corticoide sintético semelhante ao cortisol produzido pelas glândulas supra-renais, que possui potente ação anti-inflamatória e imunossupressora, sendo, por isso, muito indicada para o tratamento de problemas crônicos, como asma, alergias, artrite reumatoide, lúpus, casos de transplante ou problemas dermatológicos, por exemplo.

Alguns tipos de cortisona utilizados para o tratamento de doenças são a hidrocortisona, betametasona, dexametasona, fluticasona, prednisolona ou metilprednisolona, por exemplo, podendo ser usados na forma de injeção, comprimido, colírio, spray nasal, bombinha inalatória ou cremes dermatológicos, por exemplo.

Esses remédios devem ser usados somente com indicação médica, pois durante o tratamento são necessárias consultas regulares para acompanhar o aparecimento de efeitos colaterais. Além disso, a interrupção do tratamento só deve ser feita com orientação médica, pois as doses devem ser reduzidas de forma gradual, quando são usados em altas doses ou por tempo prolongado.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

A cortisona é indicada para o tratamento de:

  • Doenças reumáticas, como artrite reumatoide, espondilite anquilosante, esclerose múltipla, bursite, tenossinovite, artrite gotosa aguda, osteoartrite, sinovites e epicondilites;
  • Doenças de pele, como pênfigo, dermatites, eczema, impetigo, psoríase grave ou líquen plano;
  • Doenças do tecido conjuntivo, como dermatomiosite, cardite reumática aguda, polimialgia reumática, arterite temporal ou granulomatose de Wegener;
  • Distúrbios do sangue, como púrpura trombocitopênica, trombocitopenia, anemia hemolítica autoimune, ​​​​​​anemia eritrocítica e anemia eritroide;
  • Alergias, como rinite alérgica, dermatite de contato e atópica ou urticária;
  • Reações alérgicas ou anafiláticas a medicamentos, alimentos, picadas de inseto ou doença do soro;
  • Doenças oftálmicas, como úlceras da córnea, ceratite, herpes zoster oftálmico, inflamação do segmento anterior, coroidite e uveíte, oftalmia, conjuntivite alérgica, ceratite, coriorretinite, neurite óptica, irites e iridociclites;
  • Doenças respiratórias, como sarcoidose, síndrome de Löefler, beriliose, tuberculose pulmonar, fibrose pulmonar, pneumonite por aspiração, asma brônquica e sinusite;
  • Doenças gastrointestinais, como colite ulcerativa, doença de Crohn ou hepatite crônica;
  • Alterações endócrinas, como insuficiência adrenocortical, hiperplasia adrenal congênita, tireoidite e hipercalcemia associada ao câncer;
  • Câncer, no tratamento paliativo de leucemias, linfomas, micose fungoide e mieloma múltiplo.

Além disso, os remédios à base de cortisona podem ser indicados para o tratamento de edema cerebral, síndrome nefrótica, COVID-19 grave, transplante de órgãos ou síndrome de Stevens-Johnson, Por exemplo.

Tipos de cortisona

Existem vários tipos de corticoides, que são utilizados de acordo com cada problema e que incluem:

1. Corticoides tópicos

Os corticoides tópicos podem ser encontrados em creme, pomada, gel ou loção, e são geralmente utilizados para tratar reações alérgicas ou doenças na pele, como dermatite seborreica, dermatite atópica, urticária ou eczema.

Nomes de remédios: alguns exemplos de corticoides utilizados na pele, são a hidrocortisona, betametasona, mometasona ou dexametasona.

2. Corticoides orais em comprimido

Os comprimidos ou soluções orais são geralmente utilizadas no tratamento de várias doenças endócrinas, osteomusculares, reumáticas, do colágeno, dermatológicas, alérgicas, oftálmicas, respiratórias, hematológicas, neoplásicas e outras.

Nomes de remédios: alguns exemplos de remédios disponíveis em comprimido são a prednisona, prednisolona ou o deflazacorte.

3. Corticoides injetáveis

Os corticoides injetáveis estão indicados para o tratamento de casos de alterações osteomusculares, condições alérgicas e dermatológicas, doenças do colágeno, tratamento paliativo de tumores malignos, entre outros.

Nomes de remédios: alguns exemplos de remédios injetáveis são a hidrocortisona, dexametasona e a betametasona.

4. Corticoides inalatórios

Os corticoides usados por inalação são dispositivos usados no tratamento de asma, doença pulmonar obstrutiva crônica e outras alergias respiratórias.

Nomes de remédios: alguns exemplos de corticoides inalatórios são a fluticasona e a budesonida.

5. Corticoides em spray nasal

Os corticoides em spray servem para tratar a rinite e congestão nasal intensa.

Nomes de remédios: Alguns exemplos de remédios para tratar a rinite e congestão nasal são a fluticasona, mometasona.

6. Corticoides em colírio

Os corticoides em colírio devem ser aplicados no olho, no tratamento de problemas oftálmicos, como conjuntivite ou uveíte, por exemplo, reduzindo a inflamação, irritação e vermelhidão.

Nomes de remédios: Alguns exemplos de corticoide em colírio são a prednisolona ou a dexametasona.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais dos corticoides são mais comuns em casos de uso prolongado e incluem:

  • Cansaço e insônia;
  • Aumento dos níveis de açúcar no sangue;
  • Alterações no sistema imunológico, podendo diminuir a habilidade do organismo para combater infecções;
  • Agitação e nervosismo;
  • Aumento do apetite;
  • Má digestão;
  • Úlcera no estômago;
  • Inflamação do pâncreas e esófago;
  • Reações alérgicas locais;
  • Catarata, aumento da pressão intraocular e olhos salientes.

Conheça outros efeitos colaterais causados pelos corticoides.

Quem não deve usar

O uso de corticoesteroides está contraindicado para pessoas com hipersensibilidade à substância e outros componentes que estejam presentes nas fórmulas e em pessoas com infecções fúngicas sistêmicas ou infecções não controladas.

Além disso, os corticoides devem ser usados com cautela em pessoas com hipertensão, insuficiência cardíaca, insuficiência renal, osteoporose, epilepsia, úlcera gastroduodenal, diabetes, glaucoma, obesidade ou psicose, devendo ser utilizados apenas sob orientação do médico, nestes casos.