Prednisona: para que serve, como tomar e posologia

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
agosto 2022

A prednisona é um corticóide indicado para o tratamento de problemas e condições inflamatórias como artrite reumatóide, lúpus eritematoso sistêmico, infecções, alergias e problemas na pele e nos olhos. Pode ainda ser usada no tratamento do câncer.

Este remédio pode ser encontrado em farmácias ou drogarias, na forma de comprimidos de 5 mg ou 20 mg, com os nomes comerciais Corticorten, Meticorten ou Prednis, ou como genérico sob a designação “prednisona”, vendido mediante a apresentação de receita médica.

A prednisona deve ser usada sempre com orientação médica, pois o uso prolongado e indevido deste medicamento pode levar ao surgimento de efeitos colaterais, como aumento do colesterol e triglicerídeos, por exemplo.

Para que serve

A prednisona é indicada para o tratamento de:

  • Alterações endócrinas, como insuficiência adrenocortical, hiperplasia adrenal congênita ou tireoidite não-supurativa;
  • Reumatismo, como artrite psoriática ou reumatoide, espondilite anquilosante, bursite, tenossinovite aguda inespecífica, artrite gotosa aguda, osteoartrite pós-traumática, sinovites osteoartríticas e epicondilites;
  • Colagenoses, em casos particulares de lúpus eritematoso sistêmico e cardite reumática aguda;
  • Doenças de pele, como pênfigo, algumas dermatites, micoses e psoríase grave;
  • Alergias, como rinite alérgica, dermatite de contato e atópica, doenças do soro e reações de hipersensibilidade a drogas;
  • Doenças oftálmicas, como úlceras marginais alérgicas da córnea, herpes zoster oftálmico, inflamação do segmento anterior, coroidite e uveíte posterior difusa, oftalmia simpática, conjuntivite alérgica, ceratite, coriorretinite, neurite óptica, irites e iridociclites;
  • Doenças respiratórias, como Sarcoidose sintomática, Síndrome de Löefler, beriliose, alguns casos de tuberculose, pneumonite por aspiração e asma brônquica;
  • Distúrbios do sangue, como púrpura trombocitopênica idiopática e trombocitopenia secundária em adultos, anemia hemolítica adquirida, ​​​​​​anemia eritrocítica e anemia eritroide.

Além disso, a prednisona pode ser indicada para o tratamento paliativo do câncer, como leucemias ou linfomas, ou auxiliar no tratamento da hipercalcemia associada ao câncer.

A prednisona também pode ser indicada para o tratamento das exacerbações agudas da esclerose múltipla, para reduzir o inchaço em casos de síndrome nefrótica idiopática e lúpus eritematoso, para a o tratamento de manutenção nos casos de colite ulcerativa ou enterite regional, ou para alguns casos de tuberculose, por exemplo.

Esse remédio age como anti-inflamatório potente e imunossupressor, devendo ser usado somente com indicação médica.

Como tomar e posologia

A prednisona deve ser tomada por via oral, com um copo de água, e de preferência após uma refeição para evitar irritação no estômago. Os comprimidos da prednisona devem ser engolidos inteiros, sem partir ou mastigar, e nos horários estabelecidos pelo médico.

A posologia da prednisona varia com a idade e condição a ser tratada e inclui:

  • Adultos: a dose normalmente recomendada varia de 5 a 60 mg por dia, devendo-se iniciar com doses baixas, que podem ser aumentadas pelo médico, conforme a resposta ao tratamento. Após a obtenção de resposta favorável, o médico pode reduzir a dose;
  • Crianças: a dose inicial normalmente recomendada de prednisona pode variar de 0,14 mg/Kg a 2 mg/kg de peso corporal por dia, ou de 4 mg a 60 mg por metro quadrado de superfície corporal por dia, conforme orientado e calculado pelo pediatra.

A posologia da prednisolona deve ser reduzida pouco a pouco pelo médico até atingir a dose de manutenção, que é a menor dose com resposta clínica adequada.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com prednisona são aumento do apetite, náusea, má digestão, dor de estômago, úlcera péptica, pancreatite, esofagite ulcerativa, acne, pele seca, hematomas ou descoloração da pele, cicatrização lenta de feridas, nervosismo, fadiga, insônia, dor de cabeça ou tontura.

Além disso, a prednisona pode causar causar reações alérgicas, distúrbios nos olhos, como catarata, glaucoma, exoftalmia, intensificação de infecções secundárias por fungos ou vírus dos olhos, além de redução da tolerância aos carboidratos, manifestação de diabetes mellitus latente e aumento das necessidades de insulina ou hipoglicemiantes orais em diabéticos.

O tratamento com doses elevadas de corticóides pode causar o aumento acentuado dos triglicerídeos e colesterol no sangue. Veja mais sobre os efeitos colaterais dos corticoides.

A prednisona engorda?

Um dos efeitos colaterais mais comuns dos corticóides, como a prednisona, é o aumento de peso de forma gradual ou alterações na forma ou localização da gordura corporal, como rosto, braços, pernas, cintura, abdômem ou nuca, por exemplo, especialmente nos casos tratamento prolongado.

Quem não deve usar

A prednisona não deve ser usada por pessoas com infecções fúngicas sistêmicas ou infecções não controladas, ou por pessoas que tenham alergia à prednisona ou a algum dos componentes da fórmula.

Além disso, a prednisona não deve ser usada durante a gravidez, especialmente no primeiro trimestre, pois pode causar defeitos congênitos ou baixo peso ao nascer, e também não é recomendada durante a amamentação pois pode passar para o bebê pelo leite materno, e seu uso só deve ser feito se recomendado pelo médico.

A prednisona pode afetar o crescimento de crianças, sendo que seu uso deve ser feito somente com recomendação e acompanhamento do pediatra.

Qual a diferença entre a prednisona e prednisolona?

A prednisona é um profármaco da prednisolona, ou seja, a prednisona é uma substância inativa, que para se tornar ativa precisa de ser transformada no fígado em prednisolona, para exercer a sua ação.

Assim, se a pessoa ingerir prednisona ou prednisolona, a ação exercida pelo medicamento será a mesma, já que a prednisona é transformada e ativada, no fígado, em prednisolona. Por esta razão, a prednisolona apresenta mais vantagens para pessoas com problemas de fígado, já que não precisa de ser transformada no fígado para exercer atividade no organismo. Veja as principais indicações da prednisolona e como tomar.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em agosto de 2022. Revisão clínica por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • YASIR, M.; GOYAL, A.; BANSAL, P.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Corticosteroid Adverse Effects. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK531462/>. Acesso em 23 jun 2022
  • DRUGS.COM. Prednisone. 2022. Disponível em: <https://www.drugs.com/prednisone.html>. Acesso em 23 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • ORGANON FARMACEUTICA LTDA. Meticorten (prednisona) comprimidos de 5 mg e 20 mg. 2021. Disponível em: <https://docs.google.com/gview?url=https://uploads.consultaremedios.com.br/drug_leaflet/Bula-Meticorten-Paciente-Consulta-Remedios.pdf?1649086090&embedded=true>. Acesso em 23 jun 2022
  • Gutiérrez-Restrepo J.. Efectos adversos de la terapia con glucocorticoides. Iatreia. Vol.34. 2.ed; 137-50, 2021
  • HUSHER, D.; et al. Dose-related patterns of glucocorticoid-induced side effects. Ann Rheum Dis. 68. 7; 1119-24, 2009
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.