Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Para que serve a betametasona e como usar

Setembro 2020

A betametasona, também conhecida como dipropionato de betametasona, é um medicamento com ação anti-inflamatória, anti-alérgica e anti-reumática, vendido comercialmente com os nomes de Diprospan, Dipronil ou Dibetam, por exemplo.

A betametasona pode ser usada em pomada, comprimidos, gotas ou injetável e só deve ser usado por indicação médica, aliviando sintomas como coceira, vermelhidão, alergias, condições dermatológicas, colagenoses, inflamação dos ossos, articulações e tecidos moles ou câncer.

Alguns cremes e pomadas têm na sua composição betametasona, como Betaderm, Betnovate, Candicort, Dermatisan, Diprogenta, Naderm, Novacort, Permut, Quadriderm e Verutex.

Para que serve a betametasona e como usar

Para que serve

A betametasona em creme ou comprimido é indicado para aliviar a inflamação, desconforto e coceira em algumas doenças, sendo as principais:

  • Doenças osteoarticulares: artrite reumatoide, osteoartrite, bursite, espondilite anquilosante, epicondilite, radiculite, coccidinia, dor ciática, lumbago, torcicolo, cisto ganglionar, exostose, fascite;
  • Condições alérgicas: asma brônquica crônica, febre do feno, edema angioneurótico, bronquite alérgica, rinite alérgica sazonal ou perene, reações medicamentosas, doenças do sono e picadas de insetos;
  • Condições dermatológicas: dermatite atópica, neurodermatite, dermatite de contato ou solar grave, urticária, líquen plano hipertrófico, necrobiose lipoídica diabética, alopécia areata, lúpus eritematoso discoide, psoríase, queloides, pênfigo, dermatite herpetiforme e acne cística;
  • Colagenoses: Lúpus eritematoso sistêmico; esclerodermia; dermatomiosite; periarterite nodosa. Neoplasias: Para o tratamento paliativo de leucemias e linfomas em adultos; leucemia aguda da infância.

Além disso, pode ser usado no tratamento da Síndrome adrenogenital, colite ulcerativa, ileíte regional, bursite, nefrite e síndrome nefrótica, sendo necessário nesses casos que o uso de betametasona seja suplementado com mineralocorticoides. A betametasona injetável é recomendada quando o medicamento não responde aos corticoides sistêmicos.

Como usar

O modo de uso da betametasona depende da idade da pessoa e condição que deseja ser tratada, bem como da forma em que é usada. Assim, no caso de cremes com betametasona é recomendado que tanto adultos quanto crianças usem uma pequena quantidade do creme na pele de 1 a 4 vezes por dia por um período máximo de 14 dias.

Em adultos a dose inicial por variar entre 0,25 mg a 8,0 mg por dia, sendo esta última a dose máxima diária. No caso das crianças, a dose inicial pode variar de 0,017 mg a 0,25 mg por kg de peso.

Para que serve a betametasona e como usar

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais da betametasona estão relacionados com a dose e tempo do tratamento, podendo haver pressão alta, coceira, fraqueza e dor muscular, perda de massa muscular, osteoporose, fraturas vertebrais, inflamação do pâncreas, distensão abdominal, esofaringite ulcerativa e comprometimento da cicatrização dos tecidos.

Algumas pessoas podem relatar também equimoses, eritema facial, aumento da sudorese, vertigem, dor de cabeça, irregularidades menstruais, desenvolvimento de Síndrome de Cushing, diminuição da tolerância aos carboidratos, manifestações clínicas de diabetes com aumento das necessidades diárias de insulina ou agentes hipoglicemiantes orais.

Apesar de existirem vários efeitos adversos relacionados com o uso da betametasona, essas reações podem ser revertidas apenas com a alteração da dose ou suspensão do tratamento, devendo ser orientado pelo médico.

Quando não é indicado

O uso de betametasona deve ser orientado pelo médico, não sendo recomendada para pessoas que possuem infecção ativa e/ou sistêmica, hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou outros corticoides e para crianças com menos de 2 anos, além de também não ser recomendado para mulheres com gravidez de risco ou durante a amamentação.

Além disso, a betametasona não deve ser administrada no músculo em pessoas com púrpura trombocitopênica idiopática e não deve ser aplicado na veia ou na pele em casos de pacientes com colite ulcerativa não específica, se houver possibilidade de perfuração iminente, abscesso ou outra infecção piogênica, diverticulite, anastomose intestinal recente, úlcera péptica ativa ou latente, insuficiência renal ou hipertensão, osteoporose e miastenia.

Interações medicamentosas

A betametasona pode interagir com outros medicamentos e, por isso, não devem ser consumidos em conjunto, já que pode haver interferência no efeito. Assim, os medicamentos que não devem ser usados juntamente com a betametasona são: fenobarbital, fenitoína, rifampicina e efedrina, estrógenos, digitálicos, anfotericina B; cumarínicos, anti-inflamatórios não hormonais e álcool, salicilatos, ácido acetilsalicílico, hipoglicemiantes e glicocorticoides.

Bibliografia >

  • EMS. Betametasona. Disponível em: <https://www.ems.com.br/arquivos/produtos/bulas/bula_betametasona_10197_1044.pdf>. Acesso em 30 Set 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem