Corrimento antes da menstruação: 10 causas e o que fazer

Atualizado em janeiro 2023

O aparecimento de corrimento antes da menstruação é uma situação relativamente comum, desde que esse corrimento seja esbranquiçado, sem cheiro e com uma consistência ligeiramente elástica e escorregadia. Esse é um corrimento que normalmente aparece devido às alterações hormonais do ciclo menstrual e que é comum depois da liberação do óvulo.

No entanto, se o corrimento apresentar outra coloração ou se tiver outras características estranhas como mau cheiro, consistência mais grossa, alteração na cor ou outros sintomas associados como dor, ardência ou coceira, dor ou sangramento durante o contato íntimo, ou irritação na vulva, pode ser um sinal de infecção, por exemplo.

Desta forma,é importante consultar o ginecologista sempre que surgir corrimento antes da menstruação, especialmente se acompanhado de outros sintomas, para que seja diagnosticada sua causa e iniciado o tratamento mais adequado.

Imagem ilustrativa número 1

Causas de corrimento antes da menstruação

As principais causas de corrimento antes da menstruação são:

1. Ovulação

Na fase de ovulação do ciclo menstrual, que geralmente inicia-se por volta do dia 14 do ciclo, é normal a mulher, que não utiliza anticoncepcionais, apresente um corrimento transparente e fino, semelhante à clara de ovo crua.

Nessa fase do ciclo menstrual, ocorre um aumento dos níveis de estrogênio, o que leva o corpo a produzir o hormônio luteinizante (LH), que é responsável por liberar o óvulo mais maduro e fazê-lo sair do ovário.

O que fazer: o corrimento transparente e fino é normal durante a ovulação em mulheres que não tomam anticoncepcionais, não sendo necessário nenhum tipo de tratamento, especialmente se não existem outros sintomas associados. Nesta fase, caso exista relação sexual durante esse período, é provável que aconteça fecundação e consequente gravidez. Veja como saber se está no período fértil.

2. Fase lútea do ciclo menstrual

A fase lútea do ciclo menstrual inicia-se depois da liberação do óvulo pelos ovários, formando o corpo lúteo, que começa a produzir progesterona em maior quantidade, para continuar preparando o revestimento do útero para o caso de uma possível gravidez.

Nessa fase, que ocorre, em média, nos últimos 12 dias do ciclo, é normal a mulher apresentar um corrimento branco que não apresenta cheiro, chamado de leucorreia, e que é constituído principalmente por leucócitos. 

O que fazer: esse tipo de corrimento antes da menstruação é normal, no entanto, caso tenha um mau cheiro, for espesso e tiver acompanhado de coceira, dor ou irritação na região vaginal, pode ser um tipo de infecção e deve ser avaliado por um ginecologista. Confira outras causas do corrimento branco antes da menstruação e o que fazer.

3. Gravidez

Um dos sintomas comuns que pode surgir logo no início da gravidez, é a presença de um corrimento ou um pequeno sangramento, nos primeiros 15 dias após a concepção, devido a implantação do embrião no endométrio, e, neste caso, o corrimento é rosado ou amarronzado, dura cerca de 2 a 3 dias, e pode provocar cólicas iguais às da menstruação. Veja quais são os primeiros sintomas de gravidez

O que fazer: caso a mulher tenha tido contato íntimo desprotegido durante a fase de ovulação, e apresente corrimento ou um pequeno sangramento antes da data prevista para a próxima menstruação, é possível que esteja grávida, sendo recomendado fazer um teste de gravidez. Se confirmada a gravidez, deve-se consultar o ginecologista para iniciar o acompanhamento pré-natal. Saiba como é feito o pré-natal.

4. Desequilíbrio hormonal

O desequilíbrio hormonal causado por início ou troca de anticoncepcionais, presença de cistos nos ovários ou pré-menopausa, pode levar ao surgimento de corrimento rosado antes da menstruação.

Isso acontece porque, nesses casos, a menstruação pode acabar vindo mais cedo do que a mulher estava esperando, fazendo com que o sangramento possa se misturar com o corrimento esbranquiçado que é comum antes da menstruação, causando, assim, um corrimento mais rosado.

O que fazer: caso o corrimento rosado apareça acompanhado de outros sintomas como dor durante a relação sexual, sangramento ou dor pélvica, pode ser um sinal de infecção. Nesses casos, é recomendado consultar o ginecologista para identificar a causa e iniciar o tratamento adequado. Veja mais as principais causas para o corrimento rosado ao longo do ciclo.

5. Candidíase

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans, que é encontrado naturalmente na região genital, levando ao surgimento de corrimento esbranquiçado semelhante a queijo cottage, mas que também pode se apresentar amarelado, e acompanhado de sintomas como coceira intensa na região genital, vermelhidão e inchaço na vulva, sensação de queimação ao urinar.

Este tipo de infecção é bastante comum, e pode surgir antes da menstruação ou em qualquer outra fase do ciclo menstrual, devido a alterações hormonais hormonais, uso de anticoncepcionais contendo estrogênio, diabetes ou até uso de antibióticos, que podem levar a um desequilíbrio da microbiota vaginal, favorecendo o crescimento de fungos.

O que fazer: o tratamento da candidíase vaginal deve feito com orientação do ginecologista que pode indicar o uso de remédios antifúngicos, como miconazol, tioconazol, nistatina, fluconazol ou itraconazol, na forma de pomadas, cremes, óvulos vaginais ou comprimidos. Veja todos os remédios indicados para candidíase.

6. Vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana é uma infecção na vagina normalmente causada pela bactéria do gênero Gardnerella sp., causando o aparecimento de corrimento vaginal branco ou acinzentado, de consistência pastosa e com cheiro forte e desagradável, semelhante a peixe podre, que se intensifica durante o contato íntimo ou a menstruação.

Além disso, esse tipo de infecção pode causar o aparecimento de outros sintomas como coceira na região externa da vagina e ardor ou desconforto ao urinar.

O que fazer: é importante ir ao ginecologista para fazer o tratamento mais adequado, que geralmente inclui o uso de antibióticos orais ou vaginais, como o metronidazol ou a clindamicina, por exemplo, que devem ser usados pelo tempo de tratamento estabelecido pelo médico, pois a vaginose não tratada pode aumentar o risco de contrair uma infecção sexualmente transmissível ou uma doença inflamatória pélvica. Entenda melhor como é feito o tratamento da vaginose bacteriana.

7. Cervicite

A cervicite é uma inflamação do colo do útero, causando sintomas como corrimento vaginal cinza, branco ou amarelado, que pode surgir antes da menstruação ou em qualquer fase do ciclo menstrual, além de sangramento fora do período menstrual ou após o contato íntimo, dor durante a relação sexual ou ao urinar, dor pélvica ou irritação na vulva.

A cervicite é mais frequentemente causada por infecções sexualmente transmissíveis, como gonorreia, clamídia ou tricomoníase, mas também pode surgir devido a alergia a produtos de higiene íntima, desequilíbrio hormonal ou uso de absorvente interno. Veja outras causas da cervicite.

O que fazer: deve-se consultar o ginecologista que deve indicar o tratamento de acordo com a causa da cervicite, podendo ser recomendado o uso de antibióticos ou antifúngicos, e evitar produtos que possam causar alergia. Além disso, durante o tratamento é recomendado que a mulher não tenha contato íntimo e o seu parceiro deve consultar um urologista para avaliar se também tem alguma infecção. Confira todas as opções de tratamento para cervicite.

8. Uso de anticoncepcionais

O uso de anticoncepcionais, especialmente os que contêm apenas progesterona, pode causar corrimento marrom ou pequenos sangramentos de escape, chamado de spotting, antes da menstruação, sendo mais comum de ocorrer nos primeiros meses de uso do anticoncepcional, que é a fase em que o corpo ainda está se adaptando à pilula.

O que fazer: geralmente esse tipo de corrimento, melhora alguns meses após o início do tratamento com os anticoncepcionais, sendo recomendado apenas fazer acompanhamento regular com o ginecologista. No entanto, se a mulher teve contato íntimo desprotegido e o corrimento marrom aparecer associado com dor, desconforto na relação sexual ou ardor ao urinar, pode ser indicativo de uma infecção sexualmente transmissível, como a gonorreia, que deve ser devidamente tratada com o uso dos antibióticos receitados pelo ginecologista. Veja o que pode indicar o corrimento marrom antes da menstruação.

9. Tricomoníase

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível que pode causar corrimento esverdeado antes da menstruação e geralmente é acompanhado de cheiro desagradável, coceira e ardência na região vaginal.

Além da tricomoníase, esse tipo de corrimento verde, pode ser causado por outras infecções sexualmente transmissíveis, como clamídia ou gonorreia, por exemplo. 

O que fazer: nesses casos, é recomendado que a mulher consulte com um ginecologista para identificar a infecção e iniciar o tratamento mais adequado. Veja outras causas do corrimento esverdeado e o que fazer.

10. Doença inflamatória pélvica

A doença inflamatória pélvica (DIP), é uma inflamação que tem origem na vagina e que progride afetando o útero, as trompas e os ovários, se espalhando por uma grande área pélvica, levando ao surgimento de corrimento vaginal amarelado ou esverdeado com mau cheiro, e outros sintomas como febre acima de 38ºC, dor no pé da barriga e até sangramento vaginal. Veja outras causas de corrimento amarelado.

A doença inflamatória pélvica acontece na maioria dos casos como consequência de uma infecção sexualmente transmissível que não foi devidamente tratada, como gonorreia ou clamídia, mas também pode surgir devido a infecção no momento do parto, introdução de objetos contaminados na vagina durante a masturbação ou endometriose, por exemplo. 

O que fazer: o tratamento da doença inflamatória pélvica é feito com o uso de antibióticos receitados pelo ginecologista, como azitromicina, levofloxacino ou clindamicina, por exemplo, na forma de comprimido ou injeção. Durante o tratamento também se deve evitar ter relações sexuais, para facilitar a recuperação. Veja os principais tratamentos para a doença inflamatória pélvica

Quando ir ao médico

É importante consultar o ginecologista quando:

  • O corrimento apresentar cheiro desagradável;
  • Surgirem outros sintomas como dor ou irritação na região genital, ao urinar, ou durante a relação sexual;
  • A menstruação estiver atrasada por 2 meses ou mais.

Além destas situações também é recomendado consultar o ginecologista regularmente, pelo menos uma vez ao ano, para realizar os exames de diagnósticos preventivos, como o papanicolau. Veja os principais sinais de que você deve ir ao ginecologista.