Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é a vaginose bacteriana e como tratar

A vaginose bacterina é uma infecção vaginal provocada pelo excesso de bactérias, especialmente a Gardnerella vaginalis e a Gardnerella mobiluncos, no canal vaginal, causando sintomas como coceira intensa, queimação ou desconforto ao urinar, cheiro fétido e corrimento branco pastoso, que também pode apresentar coloração amarelada ou cinza. Veja quais são os sintomas da vaginose bacteriana. 

Esta infecção não é considerada uma DST, pois é provocada por uma alteração na flora vaginal normal da mulher, onde acontece uma diminuição na concentração de lactobacilos e predomínio de uma espécie de bactérias sobre outras.

Embora possa causar muito desconforto, a vaginose pode ser facilmente tratada com o uso de antibióticos e, por isso, é muito importante ir ao ginecologista para identificar o problema e iniciar o tratamento adequado. Além disso, como a vaginose possui sintomas muito semelhantes à candidíase também é importante avaliar se a infecção está sendo realmente causada por bactérias ou por fungos, já que o tratamento é diferente. Confira como é feito o tratamento da candidíase.

O que é a vaginose bacteriana e como tratar

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da vaginose bacteriana normalmente é feito através do exame preventivo, também chamado de papanicolau, num exame de rotina, ou quando este é solicitado pelo ginecologista, quando a mulher relata sintomas da doença, por exemplo. No entanto, algumas mulheres podem ter com vaginose mas não apresentar sintomas, sendo a infecção descoberta numa consulta no ginecologista, especialmente no caso de candidíase. Conheça outros problemas vaginais que podem causar corrimento branco.

Os critérios para o diagnóstico da vaginose bacteriana são a inclusão de qualquer uma das seguintes condições: corrimento vaginal branco homogênea em grande quantidade; secreção vaginal com pH > 4,5; cheiro de peixe ao misturar a secreção vaginal com solução de KOH a 10% ou demonstração microscópica dos micro-organismos causadores da infecção.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a vaginose bacteriana geralmente é feito com o uso de antibióticos, como o metronidazol, que podem ser aplicados diretamente no local, na forma de pomadas ou óvulos, ou comprimidos para ingestão oral.

O uso do antibiótico deve ser feito durante 7 dias ou de acordo com a indicação do ginecologista e não deve ser interrompido com a melhora dos sintomas. Durante o tratamento recomenda-se ainda usar preservativo em todas as relações e evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Veja como é feito o tratamento da vaginose.

Como evitar 

Para prevenir o surgimento de uma vaginose bacteriana é recomendado não fazer duchas vaginais, usar preservativo em todas as relações, restringir o número de parceiros e realizar exames ginecológicos pelo menos uma vez ao ano.

Riscos da vaginose bacteriana

Na maioria dos casos, a vaginose bacteriana não causa grandes complicações, porém, em pessoas com o sistema imune mais enfraquecido, pode:

  • Infectar o útero e as trompas de falópio, gerando uma doença inflamatória pélvica, também conhecida como DIP;
  • Aumentar a probabilidade de infecção por AIDS, em casos de exposição ao vírus;
  • Aumentar as chances de a mulher ser infectada por outras doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia ou gonorreia.

Além disso, no caso das grávidas, este tipo de infecção pode ainda aumentar o risco de parto prematuro ou de o recém-nascido nascer com peso abaixo da média.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar