Tratamento para candidíase: remédios e opções caseiras

O tratamento para candidíase pode ser feito com o uso de medicamentos antifúngicos na forma de comprimidos, óvulos vaginais ou pomadas, prescritos pelo médico de acordo com o local afetado pela candidíase, que geralmente pode ocorrer na região vaginal, intestinal ou na pele, por exemplo.

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans que pode afetar mulheres ou homens de qualquer idade, e acontece devido ao crescimento excessivo desse fungo, principalmente quando o sistema imunológico está enfraquecido devido a doenças ou uso de remédios.

Os sintomas da candidíase variam com a região afetada, sendo comum o aparecimento de corrimento esbranquiçado na região genital, formação de placas brancas na boca ou de bolhas na pele, por exemplo. Por isso, é recomendado consultar o médico para identificar o tipo de candidíase e fazer o tratamento conforme orientado pelo médico.

Tratamento para candidíase: remédios e opções caseiras

Os principais tratamentos para candidíase dependem do tipo de candidíase e inclui:

1. Candidíase feminina

O tratamento para candidiase feminina, também chamada de candidíase vaginal, deve ser indicado pelo ginecologista e, normalmente, inclui o uso de remédios como:

  • Pomadas ou cremes vaginais, como terconazol, tioconazol ou nistatina, usados na região externa da vagina ou dentro do canal vaginal, 1 vez por dia, de preferência à noite, utilizando o aplicador fornecido na embalagem;
  • Óvulos vaginais, como miconazol, isoconazol ou terconazol, que devem ser introduzidos na vagina com o dedo ou com a ajuda de um aplicador, 1 vez por dia, de preferência à noite.
  • Comprimidos, como o fluconazol 150 mg ou cetoconazol 200 a 400 mg, tomados por via oral em dose única.

O tempo de tratamento da candidíase feminina pode variar de 1 a 14 dias dependendo do tipo de remédio utilizado, e deve sempre ser feito com orientação do médico. Veja outras opções de tratamento para candidiase feminina.

2. Candidiase masculina

O tratamento para candidiase masculina deve ser feito com a orientação do urologista e inclui o uso de antifúngicos como o clotrimazol, nistatina ou o miconazol, na forma de pomadas ou cremes, utilizados na glande e no prepúcio de 2 a 3 vezes por dia por até 3 semanas, mesmo que os sintomas tenham desaparecido.

Além disso, também pode ser indicado pelo médico o uso do fluconazol comprimido em dose única. Confira outras as opções de tratamento para a candidíase masculina.

3. Candidíase na gravidez

O tratamento para candidíase na gravidez deve ser indicado pelo obstetra, podendo ser indicado o uso de clotrimazol em óvulos ou comprimidos vaginais. Deve-se evitar aplicar esse medicamento com o aplicador, para não comprometer o colo do útero.

A candidíase na gravidez é muito comum porque o sistema imunológico da mulher fica enfraquecido, o que facilita o desenvolvimento de fungos. O tratamento deve ser realizado antes do parto para reduzir o risco de infectar o bebê no momento do parto normal. Saiba mais sobre o tratamento da candidíase na gravidez.

4. Candidíase intestinal

O tratamento da candidíase intestinal normalmente é feito com o uso do fluconazol 150 mg tomado na forma de comprimido por via oral em dose única, e deve sempre ser indicado pelo gastroenterologista.

Além disso, pode-se utilizar suplementos alimentares ou probióticos contendo Lactobacillus ou Saccharomyces boulardii para evitar o crescimento e proliferação do fungo da candidíase, além de fortalecer o sistema imunológico. Entenda melhor como é feito o tratamento da candidíase intestinal.

5. Candidíase recorrente

Nos casos de candidíase recorrente, também chamada de candidíase de repetição ou candidíase crônica, deve-se identificar a causa que pode estar na origem deste problema, que pode estar relacionada com o uso de antibióticos ou anticoncepcional, sistema imunológico enfraquecido, presença de outras doenças, alimentação inadequada ou uso de roupas sintéticas ou muito apertadas, por exemplo.

Assim, dependendo da causa, a prevenção da candidíase recorrente pode ser feita com a alteração do estilo de vida e da alimentação, utilização de probióticos, principalmente quando é necessário tomar um antibiótico, fortalecimento do sistema imune e, em alguns casos, tratamento profilático com um antifúngico oral. Veja todas as opções de tratamento da candidíase recorrente.

6. Candidiase na boca

O tratamento da candidiase na boca, ou candidiase oral, deve ser indicado pelo gastroenterologista e inclui o uso de antifúngicos como nistatina na forma de solução oral, que deve ser bochechada e mantida dentro da boca pelo maior tempo possível antes de engolir, ou o uso do fluconazol na forma de comprimido em dose única, para os casos mais graves.

Além disso, durante o tratamento é importante manter a higiene da boca, escovando os dentes pelo menos 3 vezes por dia. Confira outras opções de tratamento da candidiase na boca.

Opções de tratamento caseiro

O tratamento caseiro para candidíase pode ser feito com iogurte natural, que ajuda a equilibrar o pH da vagina, impedindo a proliferação dos fungos responsáveis pela candidíase vaginal.

Para fazer este tratamento caseiro, pode-se mergulhar um absorvente interno no iogurte natural e introduzi-lo na vagina, deixando-o atuar por, pelo menos, 3 horas. Os homens também podem fazer uso desse tratamento colocando o iogurte sobre a cabeça do pênis.

Assista o video com a nutricionista Tatiana Zanin com outras opções de tratamento caseiro para curar a candidíase mais rápido e como evitar que ela volte:

Cuidados durante o tratamento

Alguns cuidados no tratamento para candidíase incluem:

  • Ter boa higiene corporal, mantendo a região íntima bem seca;
  • Não ter contato íntimo sem preservativo;
  • Utilizar roupa de algodão pouco apertada;
  • Evitar o uso desnecessário de remédios, especialmente antibióticos;
  • Beber bastantes líquidos;
  • Dar preferência para verduras, legumes e fruta;
  • Evitar o consumo de álcool, açúcar e alimentos gordurosos.

Estes cuidados ajudam a tratar e a prevenir o surgimento de candidíase, podendo ser usados por homens e mulheres de qualquer idade.

Sinais de melhora

Os sinais de melhora da candidíase genital incluem a diminuição da coceira, vermelhidão e inchaço, assim como o desaparecimento de corrimento branco. Já os sinais de melhora da candidíase intestinal são, essencialmente, a regulação do trânsito intestinal e a diminuição do cansaço e fraqueza.

Sinais de piora

No caso de a infecção estar piorando, podem surgir sinais de piora como náuseas e vômitos, dor abdominal intensa, febre com arrepios ou perda de apetite por longos períodos. Caso o paciente apresente sinais de piora da candidíase, deve ir ao hospital para iniciar o tratamento adequado.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • ANVISA. Clotrimazol. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=18494202016&pIdAnexo=3543878>. Acesso em 25 Jul 2019
  • CDC. Vulvovaginal Candidiasis. Disponível em: <https://www.cdc.gov/std/tg2015/candidiasis.htm>. Acesso em 25 Jul 2019
  • RUIZ-SÁNCHEZ, D.; et al. Intestinal candidiasis. A clinical report and comments about this opportunistic pathology. Mycopathologia. 156. 1; 9-11, 2002
  • MILSLSOP, Jillian W.; FAZEL, Nasim. Oral candidiasis. Clin Dermatol. 34. 4; 487-94, 2016
  • Sobel JD. . Recurrent vulvovaginal candidiasis. Am J Obstet Gynecol. 214. 1; 15-21, 2016
  • SHENOY, A.; GOTTLIEB, A. Probiotics for oral and vulvovaginal candidiasis: A review. Dermatol Ther. 32. 4; e12970, 2019
  • DOVINIK, A.; et al. Treatment of vulvovaginal candidiasis: a review of the literature. Acta Dermatovenerol Alp Pannonica Adriat. 24. 1; 5-7, 2015
Mais sobre este assunto: