Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Choque cardiogênico

O choque cardiogênico acontece quando o coração perde sua capacidade para bombear sangue em quantidade adequada para os órgãos, causando diminuição acentuada da pressão arterial, falta de oxigênio nos tecidos e acúmulo de líquidos nos pulmões.

Este tipo de choque é uma das maiores complicações do infarto agudo do miocárdio e se não for tratado com urgência, pode levar à morte em quase 50% dos casos. Assim, se existir suspeita de choque cardiogênico, é muito importante ir imediatamente ao hospital para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

Choque cardiogênico

Principais sinais e sintomas

Os sintomas que podem indicar um possível choque cardiogênico são:

  • Respiração rápida;
  • Aumento exagerado do batimento cardíaco;
  • Desmaio repentino;
  • Pulso fraco;
  • Suor sem causa aparente;
  • Pele pálida e extremidades frias;
  • Diminuição da quantidade de urina.

Nos casos onde há acúmulo de líquido nos pulmões ou edema pulmonar, também pode surgir falta de ar e sons anormais ao respirar, como chiado, por exemplo.

Uma vez que o choque cardiogênico é mais comum após um infarto, estes sintomas são também acompanhados dos sintomas de infarto, como sensação de pressão no peito, formigamento no braço, sensação de bola na garganta ou náuseas. Veja uma lista mais completo dos sinais que podem indicar um infarto.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico de choque cardiogênico precisa ser feito o mais rápido possível no hospital e, por isso, caso exista suspeita é muito importante ir rapidamente à urgência do hospital. O médico poderá utilizar alguns exames, como medição da pressão arterial, eletrocardiograma ou raio X do peito, para confirmar o choque cardiogênico e iniciar o tratamento mais adequado.

Possíveis causas do choque cardiogênico

Embora o infarto seja a causa mais frequente de choque cardiogênico, outros problemas também podem causar esta complicação. Outras possíveis causas incluem:

  • Doenças das válvulas cardíacas;
  • Insuficiência ventricular direita;
  • Miocardite aguda;
  • Doença arterial coronariana;
  • Arritmias cardíacas;
  • Trauma direto no coração;
  • Intoxicação do coração por medicamentos e toxinas;

Além disso, na fase mais avançada da sepse, que é uma infecção generalizada do organismo, também pode surgir choque cardiogênico, resultando quase sempre em morte. Confira como identificar um quadro de sepse, para iniciar o tratamento e evitar o choque cardiogênico.

Como é feito o tratamento

O tratamento para choque cardiogênico geralmente é iniciado logo na urgência do hospital, mas depois é necessário ficar internado em uma unidade de cuidados intensivos, onde podem ser feitos vários tipos de tratamento para tentar aliviar os sintomas, melhorar o funcionamento do coração e facilitar a circulação sanguínea:

1. Uso de medicamentos

Além do soro que é aplicado diretamente na veia para manter a hidratação e alimentação, o médico pode ainda usar:

  • Remédios para aumentar a força do coração, como Noradrenalina ou Dopamina;
  • Aspirina, para diminuir o risco de formação de coágulos e facilitar a circulação do sangue;
  • Diuréticos, como Furosemida ou Espironolactona, para diminuir a quantidade de líquidos no pulmão.

Estes remédios também são administrados diretamente na veia, pelo menos durante a primeira semana de tratamento, podendo depois ser tomados oralmente, quando o quadro melhorar.

Choque cardiogênico

2. Cateterismo

Este tipo de tratamento é feito para restaurar a circulação para o coração, caso tenha ocorrido um infarto, por exemplo. Para isso, o médico geralmente insere um cateter, que é um fino longo e comprido, através de uma artéria, geralmente na região do pescoço ou da virilha, até ao coração para remover um possível coágulo e permitir que o sangue volte a passar adequadamente.

Entenda mais sobre como é feito o cateterismo e para que serve.

3. Cirurgia

A cirurgia normalmente só é utilizada nos casos mais graves ou quando os sintomas não melhoram com o uso de medicamentos ou cateterismo. Nestes casos, a cirurgia pode servir para corrigir uma lesão no coração ou para fazer um bypass cardíaco, no qual o médico coloca outra artéria no coração para que o sangue passe até à região que está sem oxigênio devido à presença de um coágulo.

Quando o funcionamento do coração está muito afetado e nenhuma técnica funciona, a última etapa do tratamento consiste em fazer um transplante cardíaco, porém, é necessário encontrar um dador compatível, o que pode ser bastante complicado. Saiba mais sobre o transplante de coração.

Principais complicações

As complicações do choque cardiogênico são a falência de múltiplos órgãos nobres como rins, cérebro e fígado, sendo responsável pela maioria das mortes de pacientes internados nos cuidados intensivos. Estas complicações podem ser evitadas sempre que o diagnóstico e o tratamento são feitos precocemente.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar