Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Septicemia (ou sepse): o que é, sintomas e como tratar

A septicemia, também conhecida como sepse, é uma infecção grave do organismo que acontece quando uma infecção bacteriana em outra parte do corpo, como pulmões, sistema urinário ou sistema digestivo, por exemplo, consegue se espalhar pela circulação sanguínea, chegando a vários locais do corpo.

Por ser uma infecção grave, quando surgem os primeiros sintomas de septicemia, como febre constante, respiração muito rápida ou batimento cardíaco acelerado, por exemplo, é aconselhado ir imediatamente ao hospital para iniciar o tratamento adequado e evitar colocar a vida em risco.

Septicemia (ou sepse): o que é, sintomas e como tratar

O que pode causar septicemia

A septicemia, ou sepse, pode surgir em qualquer pessoa que tenha uma infecção localizada que não é tratada, como infecção urinária, intestinal ou pneumonia, por exemplo. No entanto, é mais frequente em recém-nascidos, sendo conhecida como septicemia neonatal, ou em idosos, devido ao fato de terem o sistema imune mais enfraquecido.

Além disso, pessoas com queimaduras ou feridas graves, que utilizem sonda vesical ou tenham o sistema imune enfraquecido, também apresentam um risco mais elevado de desenvolver uma septicemia.

Principais sintomas

Os sintomas da septicemia surgem muito rapidamente e são mais frequentes após uma cirurgia ou quando se tem outra infecção no corpo. Perante estas sintomas, deve-se ir urgentemente ao hospital de forma a iniciar o tratamento o mais brevemente possível. 

Alguns dos sintomas que ajudam a identificar uma septicemia, ou sepse, incluem:

  • Febre constante acima de 38ºC;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Respiração muito rápida.

Quando a septicemia não é tratada inicialmente, podem ainda aparecer outros sintomas mais graves como enjoos e vômitos, confusão e dificuldade para pensar, pintinhas vermelhas na pele e diminuição da quantidade de urina.

Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, maiores são as chances de evitar complicações graves, falência dos órgãos internos e a morte. Saiba quais os exames que ajudam a confirmar o diagnóstico de septicemia.

Como é feito o tratamento

O tratamento da septicemia deve ser feito em internamento no hospital e iniciado o mais rápido possível, por profissionais de saúde com experiência na assistência a pacientes criticamente doentes.

Geralmente o tratamento é iniciado com antibióticos, logo após ter sido retirada uma amostra para ser submetida a cultura. A combinação de antibióticos é administrada na veia, na dose máxima recomendada, ajustada à função renal e à situação clínica da pessoa. A duração do tratamento antimicrobiano é de, pelo menos, uma semana, mas vai depender do local onde se iniciou a infecção, da doença subjacente e da sensibilidade de micro-organismos. 

Caso a pressão arterial permaneça muito baixa, mesmo com a administração de fluídos, pode ser necessário administrar medicamentos vasopressores, que causam vasoconstrição, ajudando a regular os níveis de pressão arterial.


Bibliografia

  • CARVALHO, Renan H.; VIEIRA, Janaína F.. Sepse, sepse grave e choque séptico: aspectos clínicos, epidemiológicos e prognóstico em pacientes de Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital Universitário. Revista da Sociedade de Medicina Tropical . 43. 5; 591-593, 2010
  • LONGO, Dan L. et al.. Medicina interna de Harrison. 18.ed. São Paulo: AMGH Editora, 2013. 2223-2231.
  • HOTCHKISS, Richard S. et al.. Sepsis and septic shock. Nat Rev Dis Primers. 2017
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem