Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quais são as causas e o que fazer em caso de tontura

A tontura é um sintoma de alguma alteração no organismo, que nem sempre indica uma doença ou condição grave e, na maioria das vezes, acontece por uma situação conhecida como labirintite, mas também pode indicar alterações no equilíbrio, queda da pressão arterial, alterações na função do coração ou efeito colateral de medicamentos.

É mais comum que a tontura surja em idosos, entretanto, também acontece em jovens, e pode surgir em diferentes situações a depender da causa, como ao estar deitado, comum na labirintite, ao se levantar, que surge por quedas de pressão, ou ao fazer algum esforço físico, que acontece em problemas cardíacos ou da pressão.

Quais são as causas e o que fazer em caso de tontura

Sempre que surgem episódios repetidos de tontura, é recomendado agendar uma consulta com o clínico geral ou médico de família para que sejam investigadas as causas possíveis, entretanto, se a tontura for muito forte ou prolongada, durante mais de 1 hora, é recomendado ir ao pronto socorro para uma avaliação e tratamento mais rápidos.

Principais causas de tontura

Existem diversas formas de tontura, que pode aparecer sozinha ou acompanhada de outros sintomas como náuseas, fraqueza nas pernas, dor de cabeça ou sensação de "cabeça vazia". As principais causas são:

1. Vertigem ou Labirintite

A vertigem é a tontura que dá a sensação que tudo está girando ao redor, que pode vir acompanhada de enjoo e zumbido, e normalmente acontece por alterações no ouvido. A vertigem costuma dar tontura mesmo ao estar deitado, e é comum que ela seja desencadeada com movimentos feitos com a cabeça, como virar de lado na cama ou olhar para o lado.

A vertigem paroxística benigna, conhecida popularmente como labirintite simples, é a causa mais comum de vertigem e acontece pelo descolamento dos otólitos, que são pequenos cristais que se localizam nos canais do ouvido, responsáveis por parte do equilíbrio. 

  • O que fazer: o tratamento para a vertigem paroxística benigna é feito pelo otorrino, que pode fazer algumas manobras de reposicionamento dos otólitos, chamada de manobra de Epley, além de recomendar o uso de remédios como Betaístina, de uso diário, e Dramin, nas crises. Além disso, é recomendado observar a presença de rolhas de cera no ouvido, além de evitar o estresse e o consumo de cafeína, açúcar e cigarro, que são situações que podem piorar a crise de tontura.

Outras situações de vertigem menos comuns são a labirintite causada por inflamações ou infecções do ouvido, neurite vestibular e doença de Meniére, por exemplo. Saiba mais sobre as causas e como tratar a labirintite

2. Desequilíbrio

A sensação de desequilíbrio é outra importante causa de tontura, e acontece por causar a sensação de estar cambaleante ou com perda do equilíbrio. Esta situação pode causar um tontura constante e, geralmente, acontece nos idosos ou em situações de:

  • Alterações da visão, como catarata, glaucoma, miopia ou hipermetropia;
  • Doenças neurológicas, como Parkinson, AVC,  tumor cerebral ou Alzheimer, por exemplo;
  • Pancada na cabeça, que pode causar lesões temporárias ou permanentes na região cerebral que regula o equilíbrio;
  • Perda da sensibilidade nos pés e pernas, causada pelo diabetes;
  • Consumo de álcool ou drogas, que alteram a percepção e a capacidade de funcionamento do cérebro;
  • Uso de remédios que podem alterar o equilíbrio, como Diazepam, Clonazepam, Fernobarbital, Fenioína e Metoclopramida, por exemplo. Entenda melhor quais são os remédios que causam tontura.

O que fazer: para tratar o desequilíbrio, é necessário resolver a sua causa, com o adequado tratamento da visão com o oftalmologista ou da doença neurológica com o neurologista. Também é importante a consulta com o geriatra ou clínico geral para que sejam feitos os ajustes da medicação de acordo com a condição e a necessidade de cada pessoa.

Quais são as causas e o que fazer em caso de tontura

3. Queda de pressão

A tontura que acontece por alterações cardíacas e da circulação é chamada de pré-sincope ou hipotensão ortostática, e surge quando a pressão cai e o sangue não é bombeado adequadamente para o cérebro, causando a sensação de desmaio ou de escurecimento e surgimento de pontos brilhantes na visão.

Este tipo de tontura pode surgir ao acordar, levantar, durante um exercício ou, até mesmo, de forma repentina ao estar parado. As principais causas são:

  • Queda brusca da pressão, chamada de hipotensão ortostática, e surge por um defeito no ajuste da pressão, que normalmente não é grave, e acontece por mudanças na postura, como se levantar da cama ou cadeira;
  • Problemas cardíacos, como arritmias ou insuficiência do coração, que dificultam o fluxo de sangue pela circulação;
  • Uso de alguns remédios que causam quedas de pressão, como diuréticos, nitrato, metildopa, clonidina, levodopa e amitriptilina, por exemplo, principalmente em idosos;
  • Gravidez, pois é um período em que há mudanças na circulação e pode haver diminuição da pressão arterial devido ao peso do útero sobre os vasos sanguíneos. Saiba mais detalhes em como evitar e aliviar a tontura na gravidez.

Outras situações, como anemia e hipoglicemia, apesar de não causarem queda da pressão, alteram a capacidade do sangue levar oxigênio e nutrientes para as células cerebrais, e podem causas a sensação de tontura. 

O que fazer: o tratamento para este tipo de tontura também depende da resolução da sua causa, que pode ser feita com um cardiologista, geriatra ou clínico geral, que podem fazer a investigação com exames e ajustes necessários.

4. Ansiedade

Alterações psicológicas, como depressão e ansiedade causam tontura, pois desencadeiam a síndrome do pânico e de alterações na respiração. Estas situações provocam uma tontura que, geralmente, é acompanhada de falta de ar, tremores e formigamento nas extremidades, como mãos, pés e boca.

Esta tipo de tontura também pode acontecer de forma repetida, e surge em períodos de maior estresse.

O que fazer: é necessário tratar a ansiedade, com psicoterapia e, se necessário, medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos, prescritos pelo psiquiatra. 

Mais sobre este assunto:
Carregando
...