Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Tratamento da diabetes gestacional, possíveis riscos e como evitar

A diabetes gestacional geralmente se desenvolve perto do 3º trimestre de gravidez devido a uma resistência à insulina provocada pelos hormônios da gestação. Este tipo de diabetes normalmente desaparece depois do parto e, raramente, gera sintomas, embora, em alguns casos, possa surgir visão turva e muita sede.

O seu tratamento deve ser iniciado ainda durante a gestação com uma dieta adequada ou com o uso de remédios, como hipoglicemiantes orais ou insulina, dependendo dos valores de açúcar no sangue.

A diabetes gestacional quase sempre tem cura após o parto, no entanto, é importante seguir corretamente o tratamento proposto pelo médico, já que existe um risco elevado de se desenvolver diabetes mellitus tipo 2 em cerca de 10 a 20 anos e também de sofrer com a diabetes gestacional numa outra gravidez.

Tratamento da diabetes gestacional, possíveis riscos e como evitar

Como é feito o tratamento

O tratamento para diabetes gestacional tem como objetivo promover a saúde da mãe e do bebê, evitando complicações como baixo peso para a idade gestacional e distúrbios respiratórios e metabólicos, por exemplo. É importante que o tratamento seja feito sob orientação de um nutricionista, do obstetra e do endocrinologista para que o controle da glicemia seja eficaz.

O tratamento para a diabetes gestacional deve ser feita por meio de mudança nos hábitos alimentares e prática de atividade física para que os níveis de glicose no sangue fiquem controlados:

1. Alimentação na diabetes gestacional

A alimentação na diabetes gestacional deve ser orientada por um nutricionista para que não existam deficiências nutricionais para a mãe ou para o bebê. Por isso, é recomendado que a gestante coma alimentos com baixo índice glicêmico, como frutas com casca, assim como diminuir a quantidade de açúcar e carboidratos simples da alimentação.

É recomendado dar preferência a alimentos pobres em carboidratos ou que possuam carboidratos complexos, que são aqueles que possuem baixo índice glicêmico devido à elevada quantidade de fibras que possuem. Assim, pode ser recomendado que a gestante consuma grãos integrais, carnes, peixe, oleaginosas, leite e derivados e sementes. Veja mais sobre a alimentação na diabetes gestacional.

É importante que a glicemia seja medida em jejum e após as refeições principais, pois assim é possível que tanto a gestante quanto o médico consigam ter um controle dos níveis de glicose no sangue, além de que de acordo com os níveis de glicose o nutricionista pode alterar o plano alimentar.

Confira também no vídeo a seguir mais informações sobre a alimentação na diabetes gestacional:

2. Prática de exercícios

Os exercícios são importantes para promover a saúde da gestante e manter os níveis de glicose circulante equilibrados. A prática de exercícios da gravidez é segura quando não são identificados fatores que possam colocar em risco a vida da mãe ou do bebê. Por isso, é importante que os exercícios sejam iniciados após autorização médica e que sejam feitos sob orientação de um profissional de educação física.

A prática de exercício pela gestante com diabetes gestacional promove diminuição da quantidade de glicose em jejum e após as refeições, sem que seja necessário fazer uso de insulina para controlar os níveis de glicose circulante.

Apesar de ser considerado seguro, as gestantes precisam ter alguns cuidados antes, durante e após os exercícios, como comer algo antes do exercício, beber água antes, durante e após a atividade, ter atenção à intensidade do exercício e prestar atenção no aparecimento de algum sinal ou sintoma que seja indicativo de interrupção do exercício, como sangramento vaginal, contrações uterinas, perda de líquido amniótico, fraqueza muscular e dificuldade para respirar antes do exercício.

3. Uso de remédios

O uso de remédios normalmente são indicados quando a diabetes é descontrolada e os elevados níveis de glicose no sangue representam grande risco para a grávida e seu bebê, e quando os níveis de glicose não regularizam mesmo com mudança nos hábitos alimentares e prática de exercícios de forma regular.

Assim, o médico pode indicar o uso de hipoglicemiantes orais ou de insulina, que devem ser recomendados pelo médico e utilizados de acordo com a sua orientação. É importante que a mulher faça a medição da glicemia diariamente e nos períodos indicados pelo médico para que seja verificado se o tratamento está sendo eficaz.

Tratamento da diabetes gestacional, possíveis riscos e como evitar

Como identificar a diabetes gestacional

Os sintomas de diabetes gestacional muitas vezes são confundidos com as alterações comuns da gravidez, podendo haver excesso de fome, muita fome, ganho de peso, maior vontade para urinar, cansaço excessivo, inchaço nas pernas e nos pés, visão turva e infecções urinárias frequentes. Saiba reconhecer os sintomas de diabetes gestacional.

Como estes sintomas são comuns na gravidez o médico deve solicitar o exame da glicose pelo menos 3 vezes durante a gestação, sendo geralmente o primeiro exame realizado na 20ª semana de gestação. Para confirmar o diagnóstico de diabetes gestacional o médico normalmente indica a realização do exame de curva glicêmica para verificar os níveis de glicose ao longo do tempo. Entenda como é feito o diagnóstico da diabetes gestacional.

Possíveis complicações

As complicações da diabetes gestacional podem afetar a gestante ou o bebê, podendo ser:

Riscos para a grávidaRiscos para o bebê
Rompimento da bolsa aminótica antes da data previstaDesenvolvimento da síndrome da angústia respiratória, que é a dificuldade para respirar ao nascer
Parto prematuroBebê muito grande para a idade gestacional, que aumenta o risco de obesidade na infância ou adolescência
Feto que não vira de cabeça para baixo antes do partoDoenças cardíacas
Aumento do risco de pré-eclampsia, que é a elevação súbita da pressãoIcterícia
Possibilidade de parto cesária ou de laceração do períneo no parto normal devido ao tamanho do bebêHipoglicemia após o nascimento

Estes riscos podem ser diminuídos se a mulher seguir o tratamento corretamente, por isso, a grávida com diabetes gestacional deve ser acompanhada no pré-natal de alto risco.

Como evitar a diabetes gestacional

A diabetes gestacional nem sempre pode ser prevenida porque está relacionada as alterações hormonais típicas da gestação, no entanto, pode-se diminuir o risco de desenvolvimento da diabetes gestacional ao:

  • Estar no peso ideal antes de engravidar;
  • Fazer o pré-natal;
  • Aumentar de peso de forma lenta e gradual;
  • Alimentar-se de forma saudável e
  • Praticar exercícios moderados.

A diabetes gestacional pode surgir em gestantes com mais de 25 anos, obesas ou quando a gestante tem uma intolerância aos açúcares. Entretanto, também pode se desenvolver em mulheres mais novas ou com peso normal devido as alterações hormonais.

Bibliografia >

  • ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE. Tratamento do Diabetes Mellitus Gestacional no Brasil. 2019. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/videos/item/download/322_a6505932f7e6c56001864ce41fc1babf>. Acesso em 27 Dez 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem