Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Bioplastia: o que é, como funciona e onde pode ser aplicada

A bioplastia é um tratamento estético onde o dermatologista, ou cirurgião plástico, injeta sob a pele uma substância chamada PMMA através de uma seringa fazendo um preenchimento cutâneo. Dessa forma a bioplastia também é conhecida como preenchimento com PMMA.

Esta técnica pode ser feita em qualquer região do corpo, mas é indicada especialmente para pequenas áreas como a face, onde pode ser usado para aumentar o volume dos lábios, uniformizar o queixo, o nariz ou eliminar marcas da idade.

Esse tratamento estético é geralmente seguro quando feito por um profissional qualificado e numa área do corpo pequena para evitar o uso de uma grande quantidade de PMMA.

Bioplastia: o que é, como funciona e onde pode ser aplicada

Como é feita a bioplastia

A bioplastia é feita com anestesia local, e consiste na aplicação de uma injeção contento PMMA que é o polimetilmetacrilato, um material aprovado pela Anvisa, que é compatível com o organismo humano. O produto implantado ajuda a aumentar o volume da região e a sustentar a pele não sendo reabsorvido pelo corpo e por isso tem resultados duradouros.

No entanto o Conselho Federal de Medicina alerta que essa substância só deve ser usada em pequenas doses e o paciente precisa estar ciente dos riscos que corre antes de optar pelo procedimento.

Em que partes do corpo pode ser feita

O preenchimento com PMMA pode ser usado para corrigir sulcos e cicatrizes após cirurgias ou na fase de envelhecimento, para devolver os contornos ou o volume perdido com a idade. Algumas das áreas onde pode ser usada a bioplastia incluem:

  • Bochechas: permite corrigir imperfeições da pele e devolver volume a esta região do rosto;
  • Nariz: permite afinar e levantar a ponta do nariz, assim como diminuir a base do nariz;
  • Queixo: ajuda a delinear melhor o queixo, diminuir imperfeições e corrigir algum tipo de assimetria;
  • Lábios: leva a aumento do volume dos lábios e permite definir seus limites;
  • Nádegas: permite levantar o bumbum e dar mais volume, no entanto, como é uma área grande, tem maiores chances de complicações, por uso de uma quantidade elevada de PMMA;
  • Mãos: devolve elasticidade para a pele e ajuda a disfarçar as rugas que surgem naturalmente com a pele.

A bioterapia também é algumas vezes utilizada em pessoas portadoras do vírus HIV porque podem ficar com deformações no corpo e no rosto devido à doença e à medicação usada, e também pode ser útil para melhorar a aparência de pessoas com a Síndrome de Romberg, caracterizada pela ausência de tecidos e atrofia da face, por exemplo.

Principais benefícios da técnica

Os benefícios do preenchimento com PMMA incluem a melhor satisfação com o corpo, sendo um procedimento mais econômico que outras cirurgias plásticas e que pode ser feita num consultório, de forma rápida. Quando são respeitadas as formas naturais do corpo, o local de aplicação e a quantidade, este pode ser considerado um bom tratamento estético para aumentar a auto-estima.

Possíveis riscos para a saúde

O preenchimento com PMMA tem muitos riscos para saúde, principalmente quando é aplicado em grandes quantidades ou quando é aplicado diretamente no músculo. Os principais riscos são:

  • Inchaço e dor no local da aplicação;
  • Infecções no local da injeção;
  • Morte dos tecidos onde é aplicado.

Além disso, quando é mal aplicada, a bioplastia pode causar deformações na forma do corpo, piorando a autoestima.

Devido a todos estas possíveis complicações, o preenchimento com PMMA só deve ser usado para tratar pequenas áreas e após conversar com o médico sobre todos os riscos.

Caso a pessoa apresente vermelhidão, inchaço ou alteração da sensibilidade no local onde a substância foi aplicada, deve-se ir ao pronto-socorro o quanto antes. As complicações de injetar PMMA no corpo podem surgir 24 horas depois da sua aplicação ou anos depois da sua aplicação no corpo.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...