Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Disenteria: o que é, qual a diferença da diarreia e tratamento

A disenteria é caracterizada pelo aumento no número e frequência de evacuações, mudança na consistência das fezes e presença de muco ou sangue nas fezes e que normalmente está associada a dores e cólicas abdominais, sendo normalmente indicativa de lesão na mucosa intestinal.

Na maioria das vezes a disenteria está relacionada com infecções bacterianas, principalmente por Shigella spp., Campylobacter spp., e Escherichia coli, no entanto é também possível observar disenteria nas infecções provocadas pelo protozoário Entamoeba histolytica, principalmente quando a carga parasitária é elevada.

Disenteria: o que é, qual a diferença da diarreia e tratamento

Sintomas de disenteria

O principal sintoma de disenteria é a presença de sangue e muco nas fezes, já que é indicativo de que há lesão na mucosa intestinal. Além da presença de sangue nas fezes, outros sintomas podem ser percebidos, como por exemplo:

  • Aumento da frequência para evacuar;
  • Fezes amolecidas;
  • Náuseas e vômitos, que podem conter sangue;
  • Cansaço;
  • Desidratação;
  • Falta de apetite.

Na disenteria, a diarréia pode ser intensa ou durar muitos dias, havendo maior risco de desidratação, que pode ser grave, por isso, pessoas com esses sintomas devem procurar rapidamente auxílio médico e beber no mínimo 2 litros de água e soro de reidratação oral por dia.

Além disso, no caso de serem percebidos os sintomas de disenteria é importante que o tratamento seja iniciado logo em seguida para evitar que surjam outras complicações além da desidratação, como hemorragias intestinais e desnutrição.

Diferença entre diarreia e disenteria

A disenteria pode ser considerada uma diarreia em que pode ser observada muco ou sangue, principalmente nas fezes. De forma que, como consequência de uma infecção intestinal, no caso de ser observada a presença de sangue nas fezes, é considerado pelo médico que a pessoa está com disenteria e não diarreia.

Além de poder ser diferenciado pela ausência ou presença de sangue nas fezes, que é o que acontece na disenteria, essas duas situações também podem ser diferenciadas de acordo com as causas. A diarreia está principalmente relacionada com o consumo de alimentos contaminados por vírus ou bactérias, principalmente Norovírus e Salmonella spp., enquanto que a disenteria é principalmente causada por bactérias como Shigella spp. e Campylobacter spp.. Conheça os principais tipos de diarreia e o que fazer.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da disenteria é feito pelo clínico geral, pediatra ou pelo gastroenterologista por meio da avaliação dos sintomas descritos pela pessoa e por meio da realização de exame de fezes. Normalmente é solicitada a realização do exame parasitológico de fezes, com o objetivo de identificar a presença de parasitas intestinais, como a Entamoeba histolytica e, assim, diagnosticar a disenteria amebiana.

Além do parasitológico de fezes, é recomendada a realização de coprocultura seguida de antibiograma, em que as fezes são processadas no laboratório e uma amostra é incubada para que seja verificado o crescimento de bactérias. Após o crescimento bacteriano é feita a identificação da bactéria responsável pela disenteria bem como o seu perfil de sensibilidade e resistência aos antibióticos, sendo essa informação importante para o médico indicar o tratamento mais adequado.

Tratamento para disenteria

É importante que o tratamento da disenteria seja iniciado logo que seja feito o diagnóstico, de preferência assim que surgirem os primeiros sintomas, para evitar que surjam complicações como desidratação, desnutrição, abscesso no fígado ou megacólon tóxico, por exemplo. 

O tratamento para disenteria consiste em repor toda a água perdida através das fezes e dos vômitos, com líquidos como água, sucos, chás e água de coco, por exemplo, além do soro de reidratação oral. Além disso, a alimentação deve ser com alimentos leves, de fácil digestão e com muitos líquidos, como legumes cozidos, sopa de legumes, gelatina e frutas, por exemplo. 

Dependendo da causa da disenteria, o médico também pode recomendar o uso de antimicrobianos como Ciprofloxacino, Sulfametoxazol-Trimetoprim ou Metronidazol, por exemplo. O uso de remédios para suspender a diarréia, como a Loperamida, não é indicado e deve ser usado somente sob orientação médica. Confira mais opções de remédios e tratamentos naturais para a diarréia passar mais rápido.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Doenças diarreicas agudas (DDA): causas, sinais e sintomas, tratamento e prevenção. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doencas-diarreicas-agudas>. Acesso em 09 Dez 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Diarreia aguda: diagnóstico e tratamento. 2017. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2017/03/Guia-Pratico-Diarreia-Aguda.pdf>. Acesso em 09 Dez 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem