Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Roséola infantil: sintomas, contágio e como tratar

A roséola infantil, também conhecida como exantema súbito, é uma doença contagiosa que afeta principalmente bebês e crianças, dos 3 meses aos 2 anos de idade, e provoca sintomas como febre alta repentina, que pode chegar aos 40ºC, diminuição do apetite e irritabilidade, que duram cerca de 3 a 4 dias, seguidas de pequenas manchas cor-de-rosa na pele da criança, principalmente no tronco, pescoço e braços, que podem ou não coçar.  

Esta infecção é causada por alguns tipos de vírus que são da família da herpes, como vírus herpes humano tipos 6 e 7, echovírus 16, adenovírus, dentre outros, que são transmitidos através de gotículas de saliva. Assim, apesar de não se pegar mais de uma vez a infecção pelo mesmo vírus, é possível adquirir roséola mais de uma vez, caso a criança seja infectada por um vírus diferente das outras vezes.

Embora cause sintomas incômodos, a roséola costuma ter uma evolução benigna, sem complicações, e curando-se sozinha. Entretanto, o pediatra pode orientar um tratamento para aliviar os sintomas da criança, como pomadas anti-histamínicas, para aliviar a coceira, ou Paracetamol para controlar a febre, por exemplo.

Roséola infantil: sintomas, contágio e como tratar

Principais sintomas

A roséola infantil têm uma duração de cerca de 7 dias, e apresenta sintomas que surgem na seguinte ordem:

  1. Aparecimento repentino de febre alta, entre 38 a 40ºC, por cerca de 3 a 4 dias;
  2. Diminuição ou desaparecimento da febre de forma repentina;
  3. Surgimento de manchas na pele, de cor avermelhada ou rósea, principalmente no tronco, pescoço e braços, que duram cerca de 2 a 5 dias e desaparecem sem descamar ou alterar a cor.

As manchas na pele podem ser acompanhas ou não de coceira. Outros sintomas que podem aparecer na roséola incluem perda de apetite, tosse, coriza, garganta avermelhada, ínguas pelo corpo ou diarreia.

Para confirmar o diagnóstico de roséola infantil, é muito importante passar pela avaliação do pediatra, que irá avaliar os sintomas da criança e, se necessário, solicitar exames que podem confirmar a doença, pois existem diversas situações que causam febre e manchas avermelhadas no corpo da criança. Conheça outras causas de manchas vermelhas na pele do bebê.

Como acontece a transmissão

​A roséola infantil transmite-se pelo contato com a saliva de outra criança contaminada, através da fala, beijos, tosse, espirros ou brinquedos contaminados com saliva e pode ser transmitida mesmo antes das manchas da pele aparecerem. Os sintomas costumam surgir após 5 a 15 dias do contágio, período em que os vírus se instalam e se multiplicam. 

Esta infecção, normalmente, não é transmitida para os adultos porque a maioria das pessoas têm defesas para a roséola, mesmo que nunca tenha tido a doença, porém é possível que um adulto contraia a roséola, caso tenha o sistema imune enfraquecido. Além disso, é raro a grávida ficar contaminada com o vírus da roséola e desenvolver a doença na gestação, porém, mesmo que adquira a infecção, não existem complicações para o feto.

Como é feito o tratamento

A roséola infantil tem um evolução benigna, pois costuma evoluir para cura naturalmente. O tratamento é orientado pelo pediatra, e consiste em controlar os sintomas da doença, podendo ser indicado o uso de Paracetamol ou Dipirona para diminuir a febre e, assim, evitar convulsões febris.

Além dos remédios, algumas medidas que podem ajudar a controlar a febre são:

  • Vestir a criança com roupas leves;
  • Evitar mantas e cobertores, mesmo se for inverno;
  • Dar banhos na criança somente com água e temperatura ligeiramente morna;
  • Colocar um pano molhado em água fresca na testa da criança por alguns minutos e também nas axilas.

Ao seguir estas orientações, a febre deverá diminuir um pouco sem ter que se recorrer a medicamentos, mas é preciso verificar se a criança tem febre várias vezes ao dia. Enquanto a criança está doente é aconselhado que não frequente a creche nem esteja em contato com outras crianças.

Além disso, outra opção para ajudar a complementar o tratamento e diminuir a febre é o chá de freixo, pois tem propriedades antipiréticas, anti-inflamatórias e cicatrizantes, ajudando a aliviar os sintomas da roséola. No entanto, é importante que o chá de freixo seja indicado pelo pediatra.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem