Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas de câncer de mama: nódulos e outras alterações

Os sintomas iniciais de câncer de mama estão relacionados com alterações na mama, principalmente o surgimento de um pequeno nódulo indolor. No entanto, também é importante saber que muitos dos nódulos que surgem na mama são benignos e, por isso, não representam uma situação de câncer.

Se suspeitar que pode estar com câncer de mama, selecione os seus sintomas e veja qual o seu risco:

  1. 1. Presença de nódulo ou caroço que não dói
    Sim
    Não
  2. 2. Alteração na coloração ou forma do mamilo
    Sim
    Não
  3. 3. Liberação de líquido pelo mamilo
    Sim
    Não
  4. 4. Alterações na pele da mama, como vermelhidão ou pele mais dura
    Sim
    Não
  5. 5. Inchaço ou alteração no tamanho de uma das mamas
    Sim
    Não
  6. 6. Coceira frequente na mama ou no mamilo
    Sim
    Não
  7. 7. Alteração na coloração ou forma da aréola
    Sim
    Não
  8. 8. Formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo
    Sim
    Não
  9. 9. Veias facilmente observáveis e que aumentam de tamanho
    Sim
    Não
  10. 10. Presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento
    Sim
    Não
  11. 11. Caroços ou inchaço na região das ínguas da axila
    Sim
    Não
Imagem que indica que o site está carregando

A melhor forma de identificar estas alterações é procurar um mastologista e fazer o autoexame regular da mama, pois ajuda a mulher, e o homem, a entender melhor a anatomia da sua mama ao longo do tempo, permitindo identificar pequenas alterações logo que surjam.

Sintomas de câncer de mama: nódulos e outras alterações

Estes sintomas podem surgir em simultâneo ou isoladamente, e podem ser sintomas de câncer na mama inicial ou já avançado. Além disso, a presença de um algum destes sintomas não significa necessariamente a existência de câncer na mama, mas, deve-se consultar o médico mastologista, pois pode ser um nódulo benigno ou uma inflamação do tecido mamário, que necessita de tratamento. Veja quais são os exames que confirmam o câncer de mama.

Assista ainda ao vídeo seguinte e saiba como fazer o auto-exame da mama corretamente:

Como fazer o AUTOEXAME DA MAMA

74 mil visualizações

Quem pode ter câncer de mama

Qualquer pessoa pode desenvolver um câncer de mama, seja homem ou mulher, sendo que apresentam maior risco as pessoas com:

  • Idade maior que 50 anos;
  • Histórico familiar de câncer de mama;
  • Obesidade e estilo de vida sedentário;

Além disso, também existem alterações genéticas que podem aumentar a tendência para desenvolver este tipo de câncer, como as que acontecem nos genes BRCA1 e BRCA2. No entanto, existem testes que podem ser feitos e que ajudam a identificar a alteração mesmo antes do câncer surgir, dando a oportunidade de evitar o câncer.

Veja como é feito este tipo de teste genético e como pode ajudar a evitar o câncer de mama.

Sintomas de câncer de mama no homem

Os sintomas de câncer de mama masculino são semelhantes aos sintomas de câncer de mama na mulher, por isso, quando existe algum tipo de alteração na mama, é importante consultar um mastologista para diagnosticar o problema e iniciar o tratamento adequado.

Saiba sobre o câncer da mama masculino.

Sintomas de câncer de mama: nódulos e outras alterações

Principais tipos de câncer de mama

Existem vários tipos diferentes de câncer de mama, a depender do seu desenvolvimento, sendo que alguns são mais agressivos que outros. Os principais são:

  • Carcinoma ductal in situ (CDIS): é um tipo de câncer de mama em fase inicial que se desenvolve nos ductos e, dessa forma, tem elevadas chances de cura;
  • Carcinoma lobular in situ (CLIS): é o segundo tipo mais comum nas mulheres e também se encontra em fase inicial, mas localiza-se nas glândulas produtoras de leite. Este tipo é pouco agressivo e fácil de tratar;
  • Carcinoma ductal invasivo (CDI): é o tipo de câncer de mama mais comum e significa que está numa fase mais avançada em que o câncer se iniciou na glândula produtora de leite, mas se espalhou para fora, podendo criar metástases;
  • Carcinoma lobular invasivo (CLI): é mais raro e muitas vezes mais difícil de identificar. Este tipo de câncer também pode estar relacionado com o surgimento de câncer no ovário;
  • Carcinoma inflamatório da mama: é um câncer agressivo, mas muito raro.

Além destes tipos de câncer de mama, também existem outros que são ainda mais raros, como o carcinoma medular, o carcinoma mucinoso, carcinoma tubular ou o tumor filoide maligno.

Como identificar o câncer de mama avançado

Os sintomas de câncer de mama maligno avançado incluem, além da piora dos sintomas e lesões na mama, outros sinais não relacionados com as mamas, como náuseas, dor nos ossos, perda de apetite, fortes dores de cabeça e fraqueza muscular.

Geralmente, estes sintomas são causados pois o câncer avançado causa metástases das células malignas para outros órgãos do corpo, como pulmões e cérebro, por isso, eles devem ser pesquisados pelo mastologista e pelo oncologista clínico o mais depressa possível. Conheça outras causas de desconforto ou dor nas mamas.

Como prevenir o câncer de mama

A prevenção do câncer de mama é feita ao se adotar um estilo de vida saudável. Por isso, é orientado ter uma alimentação saudável, com frutas, legumes e verduras, a prática de exercícios físicos regulares, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e eliminar o cigarro.

Entretanto, para prevenir eficazmente este câncer, é necessário realizar de forma regular a mamografia. Idealmente, a mamografia deve ser feita anualmente entre os 50 e os 69 anos de idade, mas as diretrizes indicam que esse tempo pode ser estendido até 2 anos entre cada exame, especialmente se a mulher não tiver qualquer fator de risco ou alteração na mama. Já mulheres com mais de 35 anos e fatores de risco devem fazer a mamografia todos os anos.

Além disso, também é importante a realização do autoexame da mama mensal, 3 a 5 dias após o término da menstruação. A importância do autoexame é sempre relembrada nas campanhas anuais do governo, conhecidas como outubro rosa. Entenda o passo-a-passo de como fazer o autoexame da mama de forma correta.

Bibliografia >

  • LOWDERMILK, Deitra L. et al. Saúde da Mulher e Enfermagem Obstétrica. 10.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. 214-217.
  • GOLDMAN, Lee; SCHAFER, Andrew I. . Goldman-Cecil Medicine . 25.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 1378.
  • SOGIMIG. Manual de Ginecologia e Obstetrícia. 5.ed. Belo Horizonte: Coopmed, 2012. 335-342.
  • HIPOLABOR. OUTUBRO ROSA: CONHEÇA 5 TIPOS DE CÂNCER DE MAMA E OS PRINCIPAIS TRATAMENTOS. Disponível em: <https://www.hipolabor.com.br/blog/2018/10/25/outubro-rosa-conheca-5-tipos-de-cancer-de-mama-e-os-principais-tratamentos/>. Acesso em 23 Out 2019
  • CANADIAN CANCER SOCIETY. Breast Cancer: understanding your diagnosis. 2015. Disponível em: <https://www.cancer.ca/~/media/cancer.ca/CW/publications/Breast%20cancer%20UYD/32064-1-NO.pdf>. Acesso em 23 Out 2019
  • AMERICAN CANCER SOCIETY. Breast Cancer Early Detection and Diagnosis. 2019. Disponível em: <https://www.cancer.org/content/dam/CRC/PDF/Public/8579.00.pdf>. Acesso em 23 Out 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem