Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Implante contraceptivo: o que é, vantagens e como funciona

O implante contraceptivo, como o Implanon e o Organon, é um método contraceptivo que é introduzido no braço da mulher entre o 1º e 5º dia do ciclo menstrual, sob anestesia local, e que atua liberando hormônios na corrente sanguínea de forma contínua de modo a prevenir a ovulação e promover a atrofia do endométrio, o que evita a gravidez.

O implante anticoncepcional consiste em um pequeno tudo de de silicone, com cerca de 3 cm de comprimento e 2 mm de diâmetro, que deve ser aplicado pelo ginecologista no consultório após avaliação da saúde geral da mulher e análise das vantagens e desvantagens.

Implante contraceptivo: o que é, vantagens e como funciona

Como funciona o implante

O implante possui uma elevada dose do hormônio progesterona, que é liberada gradualmente no sangue ao longo de 3 anos, o que evita a ovulação. Dessa forma, não existem óvulos maduros que possam ser fecundados por um espermatozoide, caso ocorra uma relação sexual desprotegida.

Além disso, este método também deixa o muco do útero mais espesso, o que dificulta a passagem dos espermatozoides até as trompas de Falópio, o local onde normalmente acontece a fecundação.

O implante contraceptivo também altera a motilidade tubária, de forma que caso exista ovulação o óvulo não consegue ser deslocado ao longo da tuba uterina, e promove a atrofia do endométrio, evitando que ocorra implantação de possível embrião e, consequentemente, prevenindo o desenvolvimento de gravidez.

Principais vantagens

O implante anticoncepcional tem várias vantagens como o fato de ser um método prático e com uma duração de 3 anos, evitando ter que tomar a pílula todos os dias. Além disso, o implante não interfere com o contato íntimo, melhora os sintomas da TPM, permite que a mulher amamente e impede a menstruação.

Possíveis desvantagens

Embora tenha muitas vantagens, o implante não é o método contraceptivo ideal para todas as pessoas, já que também podem existir desvantagens como:

  • Período menstrual irregular, especialmente nos primeiros tempos;
  • Ligeiro aumento do peso;
  • Precisa ser trocado no ginecologista;
  • É um método mais caro.

Além disso, existe ainda um maior risco de efeitos colaterais como dor de cabeça, manchas na pele, náuseas, variações de humor, acne, cistos nos ovários e diminuição da libido, por exemplo. Estes efeitos geralmente duram menos de 6 meses, pois é o período que o corpo precisa para se acostumar com a alteração hormonal.

Quem não deve usar

O implante contraceptivo é um método anticoncepcional seguro, no entanto não é recomendado para mulheres que possuam trombose venosa ativa, em caso de tumor no fígado benigno ou maligno, doença no fígado grave ou inexplicada, sangramento vaginal sem causa específica, câncer de mama, durante a gravidez ou em caso de suspeita de gravidez.

Implante contraceptivo: o que é, vantagens e como funciona

Dúvidas mais comuns sobre o implante

Algumas das dúvidas mais comuns sobre o uso deste método contraceptivo são:

1. É possível engravidar?

O implante anticoncepcional é tão eficaz como a pílula e, por isso, a gravidez indesejada é muito rara. No entanto, caso o implante seja colocado após os primeiros 5 dias do ciclo, e caso a mulher não use preservativo por pelo menos 7 dias após a colocação do implante, há um risco superior de engravidar, já que não existem quantidades suficientes de hormônios que atuem na prevenção da gravidez.

2. Como se coloca o implante?

O implante deve ser sempre colocado por um ginecologista após anestesia no local da aplicação do implante, que deve ser colocado no braço com a ajuda de um aparelho semelhante a uma injeção. O implante pode ser retirado em qualquer momento através de um pequeno corte na pele, depois de colocar uma ligeira anestesia na pele.

3. Quando se deve trocar?

Normalmente, o implante anticoncepcional tem uma validade de 3 anos, devendo ser trocado antes do último dia, já que após esse momento a mulher deixa de estar protegida contra uma possível gravidez.

4. O implante engorda?

Devido à alteração hormonal causada pelo uso do implante, algumas mulheres podem apresentar tendência para engordar mais facilmente nos primeiros 6 meses. No entanto, caso se mantenha uma dieta equilibrada, é possível que o aumento de peso não aconteça.

5. O implante protege contra IST's?

O implante apenas impede a gravidez, pois, como não impede contra o contato com fluídos corporais, não protege contra infecções sexualmente transmissíveis como AIDS ou sífilis, por exemplo. Por isso, mesmo com a colocação do implante, é importante utilizar o preservativo em todas as relações sexuais.

Esta informação foi útil?

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.

Bibliografia

  • ANVISA. IMPLANON . Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=18098332016&pIdAnexo=3518099>. Acesso em 27 Ago 2019
  • BRAGA, Giordana C.; VIEIRA, Carolina S. Anticoncepcionais reversíveis de longa duração: Implante Liberador de Etonogestrel (Implanon®). FEMINA. Vol 43. 2015
  • MANICA, Daniela; NUCCI, Marina. Sob a pele: implantes subcutâneos, hormônios e gênero. Horizontes Antropológicos. 47 ed; 93-129, 2017
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem