Melhores remédios para aliviar a cólica menstrual

julho 2022

Os remédios para cólicas menstruais, como os anti-inflamatórios, os analgésicos ou os antiespasmódicos, podem ser indicados pelo ginecologista para aliviar a cólica menstrual e o desconforto abdominal provocados pela descamação do endométrio, que é a camada interna do útero, e a contração do útero, que causam dor ou cólicas no período menstrual. 

Além disso, podem ainda ser utilizadas algumas opções naturais, como a realização de uma alimentação adequada ou a aplicação de calor na região abdominal, que são uma boa forma para complementar o tratamento com remédios, ajudando a aliviar a cólica mais rapidamente.

O tratamento da cólica menstrual, que também é chamada de dismenorréia, deve sempre ser orientado pelo ginecologista, especialmente se a cólica for muito forte ou acompanhada de sintomas como náuseas, vômitos, dor de cabeça ou dor nas pernas, por exemplo, para que seja identificada sua causa, e indicado o melhor remédio de forma individualizada. Confira as principais causas da dismenorréia.

Os principais remédios que podem ser indicados pelo ginecologista para aliviar a cólica menstrual são:

1. Anti-inflamatórios não esteróides

Os anti-inflamatórios não esteroides, também conhecidos como AINES, geralmente são indicados pelo ginecologista para a cólica menstrual, pois agem reduzindo a produção de prostaglandinas no corpo, que são substâncias inflamatórias relacionadas ao aumento das contrações no útero. Desta forma, esses remédios ajudam a aliviar a dor da cólica menstrual.

Os anti-inflamatórios não esteróides que normalmente são indicados pelo ginecologista são:

  • Ibuprofeno (Alivium, Atrofem, Advil);
  • Ácido mefenâmico (Ponstan);
  • Cetoprofeno (Profenid, Algie);
  • Piroxicam (Feldene, Cicladol);
  • Naproxeno (Flanax, Naxotec);
  • Ácido acetilsalicílico (Aspirina).

Embora possam aliviar a dor e o desconforto provocado pelas cólicas menstruais, estes remédios devem ser utilizados durante um período de tempo o mais curto possível, devido aos efeitos colaterais que apresentam, como dor de estômago, náuseas ou inchaço, por exemplo. Só devem ser usados sob orientação do médico, nas doses por ele recomendadas

2. Analgésicos

Os analgésicos como o paracetamol (Tylenol) ou a dipirona (Novalgina), podem ser indicados pelo médico para a cólica menstrual, pois agem inibindo a produção de prostaglandinas ou ciclooxigenases, que são substâncias responsáveis pela dor. Veja como tomar corretamente o paracetamol ou a dipirona.

Esses remédios podem ser encontrados em farmácias ou drogarias, e embora sejam vendidos sem necessidade de apresentar receita médica, o ideal é que sejam tomados com indicação do ginecologista, pois são contraindicados para pessoas com problemas de fígado ou que tenham a função da medula óssea prejudicada.

3. Antiespasmódicos

Os antiespasmódicos, como a escopolamina ou butilbrometo de escopolamina, agem diminuindo as contrações ou espasmos dos músculos do útero, aliviando de forma rápida e prolongada, a dor abdominal causadas pelas cólicas menstruais.

A escopolamina pode ser encontrada em farmácias e drogarias com o nome comercial Buscopan simples, na forma de drágeas de 10 mg ou gotas de 10 mg/mL, sendo que a dose recomendada para adultos é de 1 a 2 drágeas, ou 20 a 40 gotas, de 3 a 5 vezes por dia, conforme orientação médica.

Além disso, existe outra formulação contendo escopolamina e dipirona, tendo forte ação analgésica no alívio da dor, causada pela cólica menstrual e pode ser encontrado com o nome comercial Buscopan Composto, Atrovex ou Buscoplex, por exemplo. Saiba como tomar o Buscopam composto

A escopolamina não deve ser usada por pessoas que tenham miastenia gravis, dilatação ou estreitamento do intestino, ou que sejam alérgicas à escopolamina, dipirona ou qualquer outro componente da fórmula.

4. Anticoncepcionais hormonais

Os anticoncepcionais hormonais, contendo uma combinação de estrógeno e progesterona, ou somente progesterona, inibem a ovulação, levando também à diminuição de prostaglandinas no útero, reduzindo o fluxo menstrual e aliviando a dor.

Os principais anticoncepcionais hormonais que podem ser indicados pelo ginecologista são:

Os anticoncepcionais hormonais, podem ser indicados pelo ginecologista como a primeira opção de tratamento para a cólica menstrual, para mulheres que desejam evitar uma gravidez ou não possuem contra-indicações para o uso dos anticoncepcionais. O uso de anticoncepcionais hormonais pode reduzir em cerca de 90% as cólicas menstruais. Conheça as vantagens e desvantagens de cada tipo de anticoncepcional.

No entanto, é importante ressaltar que embora os anticoncepcionais hormonais ajudam a evitar uma gravidez, esses métodos contraceptivos não previnem infecções sexualmente transmissíveis, sendo recomendado utilizar camisinha ou outro método de barreira em todas as relações sexuais. Confira as principais IST´s

Opções de remédios naturais

Alguns remédios naturais, como o chá de gengibre ou o chá de calêndula, possuem propriedades anti-espasmódicas, analgésicas, anti-inflamatórias e calmantes, que ajudam a aliviar a dor da cólica, podendo ser usado para complementar o tratamento com remédios indicados pelo médico. Saiba preparar os chás para aliviar a cólica menstrual.

Outras formas naturais que contribuem para a redução das cólicas menstruais são a prática regular e moderada de exercício físico, fazer um banho morno e relaxante e/ou aplicar compressas de água quente na região abdominal, porque o calor promove a vasodilatação, contribuindo para o alívio da dor. Veja outras formas naturais para acabar com a cólica menstrual rápido

Além disso, realizar uma suplementação com magnésio, vitaminas B6 e B1, ácidos graxos e ômega 3, também pode ajudar a reduzir das cólicas menstruais. 

Assista ainda o vídeo seguinte e veja algumas dicas que podem ajudar a aliviar a cólica menstrual:

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022.

Bibliografia

  • SMITH, R. P.; ET AL. IN: UPTODATE. Dysmenorrhea in adult females: Treatment. 2022. Disponível em: <https://www.uptodate.com/contents/dysmenorrhea-in-adult-females-treatment>. Acesso em 11 jul 2022
  • MARJORIBANKS, J.; et al. Nonsteroidal anti-inflammatory drugs for dysmenorrhoea. Cochrane Database Syst Rev. CD001751, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • ZAHRADNIK, H. P.; et al. Nonsteroidal anti-inflammatory drugs and hormonal contraceptives for pain relief from dysmenorrhea: a review. Contraception. 81. 185, 2010
  • DALL'ACQUA, Roberta; BENDLIN, Tania. Dismenorreia. FEMINA . 43. 6; 2015
  • UNIVERSIDADE ABERTA DO SUS - ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Amélia - Dismenorreia. Disponível em: <https://www.unasus.unifesp.br/biblioteca_virtual/pab/1/unidades_casos_complexos/unidade27/unidade27_ft_dismenorreia.pdf>. Acesso em 02 jul 2019
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.

Tuasaude no Youtube

  • Como aliviar a CÓLICA MENSTRUAL

    05:53 | 391513 visualizações
  • Como aliviar os sintomas de TPM

    04:16 | 172764 visualizações