Dismenorreia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
junho 2022

A dismenorreia é uma dor muito forte que pode surgir alguns dias antes ou durante a menstruação, devido à liberação de substâncias inflamatórias que causam contrações no útero. A dor da dismenorreia é semelhante a uma cólica no pé da barriga, e pode causar outros sintomas como náuseas, vômitos, dor de cabeça ou dor nas pernas, por exemplo.

Esta condição é mais comum na adolescência, podendo começar desde a primeira menstruação e continuar ou diminuir ao longo da vida, mas também pode surgir na idade adulta, geralmente devido a algumas doenças como endometriose ou mioma. Dependendo da intensidade da dor, a dismenorreia pode impedir atividades normais no dia a dia da mulher, como trabalhar ou estudar.

Apesar de ser muito intensa, e trazer transtornos para a vida da mulher, a dismenorreia pode ser controlada com remédios como anti-inflamatórios, analgésicos ou a pílula anticoncepcional. Por isso, em caso de suspeita deve-se ir ao ginecologista para investigar a causa da dismenorreia, e iniciar o tratamento mais adequado.

Sintomas de dismenorreia

O principal sintoma da dismenorreia é uma cólica menstrual muito intensa que surge perto do primeiro dia da menstruação. No entanto, também é comum o aparecimento de outros sintomas como:

  • Dor de cabeça;
  • Náuseas;
  • Diarreia;
  • Cansaço excessivo;
  • Dor no fundo das costas;
  • Dor nos quadris;
  • Dor na parte interna das coxas;
  • Dor nas pernas;
  • Sensação de pressão no abdômen;
  • Tonturas.

A dor da dismenorreia tende a ser maior no primeiro dia da menstruação e pode durar entre 12 a 72 horas, diminuindo de intensidade conforme o sangramento menstrual continua e o revestimento do útero é removido. Em alguns casos, a cólica menstrual pode ser sentida até mesmo antes da menstruação descer.

Quando surge algum sintoma indicativo de dismenorreia é aconselhado ir ao ginecologista para fazer uma avaliação clínica, de forma a verificar se existem doenças que possam estar causando os sintomas e iniciar o tratamento mais adequado.

Possíveis causas

As causas da dismenorreia estão relacionadas com a origem da cólica e podem ser classificadas como:

1. Dismenorreia primária

A dismenorreia primária é a cólica que surge antes ou durante a menstruação causada pela liberação de prostaglandinas, que são substâncias inflamatórias produzidas pelo revestimento do útero, fazendo com que os músculos e os vasos sanguíneos do útero se contraiam, causando dor forte que pode estar acompanhada de outros sintomas como náusea, vômito ou dor de cabeça.

Esse tipo de dismenorreia ocorre sem a mulher ter qualquer tipo de doença envolvida, e pode começar desde a primeira menstruação, podendo melhorar ou reduzir por volta dos 20 anos, mas em alguns casos só melhora após a gravidez.

2. Dismenorreia secundária

A dismenorreia secundária é causada por algum problema nos órgãos reprodutivos, como endometriose, mioma, pólipos, adenomiose, cisto no ovário, estenose cervical, doença inflamatória pélvica ou anormalidades no útero ou na vagina, causando cólica forte que pode ocorrer até mesmo fora do período menstrual, além de menstruação abundante ou dor durante ou após a relação sexual. Veja outras causas de cólica fora do período menstrual.

Outras causas da dismenorreia secundária são infecção sexualmente transmissível (IST), uso de DIU, ou cirurgia pélvica já realizada.

Geralmente, os sintomas da dismenorreia secundária iniciam na fase adulta, por volta dos 25 anos e devem ser tratados de acordo com a orientação do ginecologista.

Como é feito o tratamento

O tratamento da dismenorreia deve ser indicado pelo ginecologista e geralmente é feito com uso de remédios para combater a cólica menstrual forte como:

  • Analgésicos como paracetamol ou dipirona para aliviar a dor da cólica;
  • Antiespasmódicos como Atroveran ou Buscopan composto que ajudam a diminuir as contrações do útero que causam a cólica;
  • Anti-inflamatórios como ácido mefenâmico, cetoprofeno, piroxicam, ibuprofeno ou naproxeno, que agem bloqueando a produção de prostaglandinas tendo efeito contra a dor e a inflamação;
  • Pílula anticoncepcional oral pois impedem a ovulação e diminuem o fluxo menstrual, ajudando a controlar a cólica forte causada pela dismenorreia.

Tanto os analgésicos, como os anti-inflamatórios ou antiespasmódicos devem ser tomados poucas horas antes ou logo no início da cólica menstrual, para que tenha o efeito esperado. No caso da pílula esta deve ser tomada conforme as indicações da bula, porque variam entre 21 e 24 dias, com pausa de 4 ou 7 dias entre cada cartela.

No caso da dismenorreia secundária, além dos remédios para aliviar a cólica forte, o médico deve tratar a doença que causou a dismenorreia para melhorar os sintomas, podendo indicar cirurgia no caso de endometriose ou miomas, ou remoção do DIU, por exemplo.

Opções de tratamento natural

Alguns tratamentos naturais podem aliviar a cólica da dismenorreia, como: colocar uma bolsa térmica morna no pé da barriga; tomar um banho morno; fazer massagens relaxantes na barriga; praticar exercícios físicos 3 a 5 vezes por semana e não usar roupas apertadas. Saiba como fazer massagem para a dismenorreia.

Além disso, deve-se evitar bebidas alcoólicas ou com cafeína (como café, chocolate, chá preto e refrigerantes), e aumentar o consumo de proteínas (como salmão ou atum) e vegetais, além de diminuir o consumo de sal e de alimentos ricos em sódio, como os embutidos e enlatados.

Alguns estudos mostram que os suplementos alimentares com vitamina D, E, ou magnésio também podem ajudar a diminuir a cólica forte da dismenorreia.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin com essas e outras dicas para ajudar a aliviar a cólica forte da dismenorreia:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em junho de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • FERRIES-ROWE, Elizabeth; COREY, Elizabeth; ARCHER, Johanna S. Primary Dysmenorrhea: Diagnosis and Therapy. Obstet Gynecol. 136. 5; 1047-1058, 2020
  • BERNARDI, Mariagiulia; et al. Dysmenorrhea and related disorders. F1000Res. 6. 1645; 1-7, 2017
Mostrar bibliografia completa
  • CARROQUINO-GARCIA, Paloma; et al. Therapeutic Exercise in the Treatment of Primary Dysmenorrhea: A Systematic Review and Meta-Analysis. Phys Ther. 99. 10; 1371-1380, 2019
  • PARAZZINI, Fabio; et al. Magnesium in the gynecological practice: a literature review. Magnes Res. 30. 1; 1-7, 2017
  • PATTANITTUM, Porjai; et al. Dietary supplements for dysmenorrhoea. Cochrane Database Syst Rev. 3. 3; CD002124, 2016
  • BAHRAMI, Afsane; et al. High dose vitamin D supplementation can improve menstrual problems, dysmenorrhea, and premenstrual syndrome in adolescents. Gynecol Endocrinol. 34. 8; 659-663, 2018
  • PAKNIAT, Hamideh; et al. Comparison of the effect of vitamin E, vitamin D and ginger on the severity of primary dysmenorrhea: a single-blind clinical trial. Obstet Gynecol Sci. 62. 6; 462-468, 2019
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • Como aliviar a CÓLICA MENSTRUAL

    05:53 | 376561 visualizações
  • Como aliviar os sintomas de TPM

    04:16 | 171699 visualizações