Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Colelitíase: o que é, sintomas e tratamento

A colelitíase, também conhecida como pedra na vesícula, é uma situação em que há formação de pequenas pedras no interior da vesícula devido ao acúmulo de bilirrubina ou de colesterol no local, o que causa obstrução da via biliar e pode levar ao aparecimento de alguns sintomas, como dor no estômago, costas, vômitos e suor excessivo, por exemplo.  

O tratamento da colelitíase deve ser recomendado pelo gastroenterologista porque pode ser necessário fazer uma cirurgia para remover as pedras da vesícula, no entanto, os cálculos menores podem ser eliminados através de tratamento natural, após recomendação do médico, como o suco de rabanete preto. Conheça os remédios caseiros para pedra na vesícula.

Colelitíase: o que é, sintomas e tratamento

Sintomas da colelitíase

Embora na maioria dos casos a colelitíase não apresente sintomas, quando os cálculos provocam a obstrução das vias biliares podem provocar sintomas como:

  • Dores ou cólicas na região da vesícula;
  • Dor no estômago que irradia para as costelas, para as costas ou para o restante do abdômen;
  • Sensação de mal estar geral;
  • Enjoos;
  • Vômitos;
  • Suores.

Os sintomas podem começar cerca de meia hora a uma hora após as refeições ou de repente, por vezes durante a noite, variando a sua intensidade e a sua duração, sentindo dores durante vários dias.

Além disso, as dores podem ser mais intensas e durarem mais tempo, quando ocorrem complicações como inflamação da vesícula, das vias biliares ou do pâncreas, podendo surgir também outros sintomas como febre e olhos e pele amarelos. Conheça outros sintomas de pedra na vesícula.

Caso surjam estes sintomas, é importante que a pessoa vá no gastroenterologista ou clínico geral para que ele a possa avaliar, fazer o diagnóstico, através de uma ecografia ou uma Tomografia Computorizada abdominal, onde é possível ver os órgãos e, saber se existem ou não os cálculos biliares, e adequar o tratamento.

Principais causas

A colelitíase  pode acontecer como consequência de algumas situações, sendo as principais:  

  • Excesso de colesterol: o colesterol na bile não consegue ser eliminado e acaba se acumulando e formando pedras na vesícula;
  • Muita bilirrubina: acontece quando há problemas no fígado ou no sangue, levando à produção elevada de bilirrubina;
  • Bile muito concentrada: acontece quando a vesícula biliar não consegue eliminar seu conteúdo corretamente, o que torna a bile muito concentrada e favorece a formação de pedras na vesícula.

Essas situações podem acontecer como consequência da obesidade, sedentarismo, alimentação rica em gorduras  e diabetes, além de também poder acontecer devido à cirrose ou uso de algumas medicações, como as pílulas anticoncepcionais.  

Como é feito o tratamento

Na maioria dos casos a colelitíase não provoca sintomas e as pedras são eliminadas sozinhas, não necessitando de tratamento. No entanto, quando as pedras são muito grandes e ficam presas nas vias biliares, pode ser necessário um tratamento, feito por um gastroenterologista, como o uso de ondas de choque ou remédios para pedra na vesícula, como o Ursodiol, que ajudam a destruir e dissolver a pedra, eliminando-a através das fezes.

A cirurgia para retirar a vesícula, conhecida cientificamente como colecistectomia, é o tratamento mais frequente e eficaz, indicada quando a pessoa apresenta sintomas e, pode ser feita por via clássica, através de um corte na barriga, ou por via laparoscópica, onde os instrumentos usados na cirurgia entram na barriga através de pequenas incisões feitas na barriga. Saiba quais as opções de tratamento para pedra na vesícula.

Como deve ser a alimentação

A alimentação é muito importante para tratar a colelitíase porque o consumo de alimentos com gordura aumenta o risco de desenvolver cálculos biliares. Assim, a pessoa deve consultar um nutricionista para que possa recomendar qual a melhor dieta, porém, é fundamental que a alimentação seja pobre em gorduras, evitando frituras, embutidos ou salgadinhos. 

Confira algumas dicas sobre o que pode ou não comer durante o tratamento para pedra na vesícula no vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SANTOS, Jefferson. Colecistite Aguda. Formação de um Manual para orientar a propedêutica inicial ao Abdome Agudo na Emergência do Hospital Geral de Fortaleza., 2018. Hospital Geral de Fortaleza.
  • BVSALUD. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA ICTERÍCIA OBSTRUTIVA NA EMERGÊNCIA. Disponível em: <https://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/04/882609/diagnostico-diferencial-da-ictericia-obstrutiva.pdf>. Acesso em 08 Fev 2021
  • PROLO, Thaiane et al. Fatores nutricionais nas afecções biliares. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba. 19. 4; 167-168, 2017
  • HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - USP. Protocolo Clínico e de Regulação para Litíase Biliar e suas Complicações. 2017. Disponível em: <http://www.hu.usp.br/wp-content/uploads/sites/176/2017/06/432_Digestiva_Pancreas_protocolo_clinico_e_de_regulacao_do_acesso_para_litiase_biliar.pdf>. Acesso em 08 Fev 2021
  • Associação Europeia para o Estudo do Fígado (EASL)*. Normas de Orientação Clínica da EASL sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento dos cálculos biliares . Journal of Hepatology. 95. 146–181, 2016
  • BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE. Pedra na vesícula (cálculo biliar). Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2910-pedra-na-vesicula-calculo-biliar>. Acesso em 08 Fev 2021
Mais sobre este assunto:

Carregando
...