Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
Fechar Coronavírus: Informações sobre COVID-19 Ler mais
O que você precisa saber?

Principais sintomas de pedra na vesícula

O principal sintoma de pedra na vesícula é a cólica biliar, que é uma dor súbita e intensa no lado direito do abdômen. Normalmente essa dor surge cerca de 30 minutos a 1h após a refeição, mas passa depois que acaba a digestão dos alimentos, pois a vesícula deixa de ser estimulada para liberar a bile.

É importante que a pedra na vesícula seja identificada rapidamente por meio de exames de imagem e, assim, seja iniciado o tratamento, que pode ser feito com o uso de medicamentos para dissolver as pedras ou cirurgia, dependendo da quantidade de pedras e a frequência que acontecem os sintomas.

Assim, se acha que pode estar com pedra, selecione os seus sintomas:

  1. 1. Dor forte no lado direito da barriga até 1 hora após comer
  2. 2. Febre acima de 38º C
  3. 3. Cor amarelada nos olhos ou na pele
  4. 4. Diarreia constante
  5. 5. Enjoos ou vômitos, especialmente após as refeições
  6. 6. Perda de apetite
Imagem que indica que o site está carregando

No entanto, os sintomas acontecem em poucos casos e, por isso, é possível descobrir a pedras na vesícula durante exames de rotina, como ultrassonografias abdominais. Assim, pessoas com maior risco de pedra na vesícula devem marcar uma consulta no gastroenterologista para manter vigilância e identificar o problema desde o início.

A vesícula biliar é responsável por armazenar a bile, um líquido esverdeado que ajuda na digestão das gorduras. No momento da digestão, a bile atravessa os canais biliares e chega ao intestino, mas a presença de pedras pode bloquear esse caminho, causando inflamação da vesícula e dor.

Também pode acontecer de as pedras serem pequenas e conseguirem atravessar os canais biliares até chegarem ao intestino, onde serão eliminadas juntamente com as fezes.

O que fazer em caso de suspeita

Em caso de surgirem os sintomas, deve-se procurar o clínico geral ou o gastroenterologista. Se a dor for constante ou se houver febre e vômitos além da dor, deve-se ir ao pronto socorro.

O diagnóstico de pedra na vesícula normalmente é feito através de ultrassom. No entanto, exames mais específicos como ressonância magnética, cintilografia ou tomografia computadorizada podem ser utilizados para identificar se a vesícula está ou não inflamada.

Principais causas

As pedras na vesícula são formadas por alterações na composição da bile, e alguns fatores que podem causar essas alterações são:

  • Dieta rica em gorduras e carboidratos simples, como pão branco e refrigerantes;
  • Dieta pobre em fibras, como alimentos integrais, frutas e verduras;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Falta de atividade física;
  • Hipertensão arterial;
  • Uso de cigarro;
  • Uso prolongado de anticoncepcionais:
  • Histórico familiar de pedra na vesícula.

Devido às diferenças hormonais, as mulheres têm uma maior tendência para ter pedras nas vesícula do que os homens. Saiba mais sobre as causas de pedra na vesícula.

Como é feito o tratamento

O tratamento para pedra na vesícula deve ser orientado por um gastroenterologista e é feito de acordo com o tamanho das pedras e a presença ou não de sintomas. Pessoas com pedras pequenas ou que não apresentem sintomas normalmente tomam medicamentos para desfazer as pedras, como o Ursodiol, mas pode levar anos até as pedras sumirem.

Por outro lado, pessoas que têm sintomas frequentes são indicadas para a cirurgia de retirada da vesícula. Existe também o tratamento com ondas de choque que quebram as pedras da vesícula em pedras menores, assim como é feito nos casos de pedras nos rins. Além disso, o paciente deve evitar fazer uma alimentação rica em gorduras, como frituras ou carnes vermelhas, e praticar atividade física regularmente. Veja mais detalhes sobre o tratamento para pedra na vesícula.

Saiba como deve ser a alimentação para pedra na vesícula assistindo:

Bibliografia >

  • FMRP-USP. Protocolo Clínico e de Regulação para Litíase Biliar e suas Complicações. Disponível em: <http://rca.fmrp.usp.br/wp-content/uploads/sites/176/2017/06/432_Digestiva_Pancreas_protocolo_clinico_e_de_regulacao_do_acesso_para_litiase_biliar.pdf>. Acesso em 10 Mar 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem