Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

7 dúvidas comuns sobre anestesia no parto normal

O parto normal dói quando é feito sem anestesia, pois o corpo da mulher sofre grandes alterações para que o bebê possa passar através do canal de parto. No entanto, na maior parte dos casos, é possível colocar anestesia epidural pouco tempo após o início das contrações, assim que a mulher chega no hospital, aliviando imediatamente a dor.

Em algumas mulheres, a epidural, além de tirar completamente a dor, pode também alterar a sensibilidade às contrações e, por isso, o médico pode utilizar um aparelho para indicar quando a grávida está tendo uma contração, para que possa fazer força e ajudar o bebê a nascer.

A seguir, são esclarecidas algumas dúvidas sobre a anestesia durante o parto:

7 dúvidas comuns sobre anestesia no parto normal

1. Qual a anestesia que é dada no parto normal?

A anestesia que é administrada a grávidas durante o parto normal é a epidural, também conhecida por peridural, que é aplicada na região lombar, no espaço vertebral, de forma a atingir os nervos da região, proporcionando analgesia nesse local e da cintura para baixo.

Saiba mais sobre a anestesia peridural.

2. Como é feita a anestesia?

A anestesia peridural é administrada com a grávida sentada ou deitada de lado, com os joelhos e o queixo dobrado. O anestesista abre os espaços entre as vértebras da coluna vertebral com a mão, e insere a agulha e um tubo fino de plástico, chamado de catéter, que passa através do centro da agulha, que é por onde o médico injeta o remédio anestésico.

3. Como sei que a anestesia está a fazer efeito?

Quando a anestesia começa a fazer efeito, a grávida começa a sentir perda de sensibilidade progressiva, calor, sensação de peso nas pernas e formigamento. Entretanto, o anestesista vai verificando o nível da anestesia para perceber se a grávida está pronta para o parto.

4. Quanto tempo dura o efeito da anestesia?

Os efeitos da anestesia podem durar uma a duas horas após o nascimento do bebê, que é quando é retirado o catéter, e a mulher pode sentir dormência nos membros inferiores.

5. A anestesia tem contra-indicações?

A anestesia epidural é contra-indicada para mulheres com alergia ao medicamento anestésico, com próteses de coluna, doenças de coagulação, que tomam anti-coagulantes, que têm infecções nas costas ou um baixo nível de plaquetas no sangue.

Além disso, também não deve ser administrada caso o médico não consiga detetar o espaço epidural, ou caso o parto se dê muito rapidamente, que impossibilite a administração da anestesia. 

6. A anestesia tem efeitos colaterais?

O efeito colateral mais comum da analgesia é a diminuição da pressão arterial. Além disso, outros efeitos que podem ocorrer são dor lombar, lesões na pele, na região onde foi administrada a anestesia, dor de cabeça, que pode surgir umas horas após o parto, tremores, náuseas e vômitos, coceira e retenção urinária.

7. A dor do parto pode ser aliviada de forma natural?

Embora a eficácia seja muito diferente daquela obtida com a anestesia epidural, para as grávidas que não querem usar anestesia durante o parto normal, existem algumas técnicas naturais que ajudam a controlar a dor e que incluem:

  • Massagens realizadas pelo companheiro, no momento do parto, no intervalo entre as contrações;
  • Respirar profundamente no momento de maior dor e fazer força para o bebê nascer;
  • Utilizar técnicas como acupuntura ou acupressão para aliviar a dor;
  • Ter a liberdade de movimentar-se durante as contrações.

Veja uma lista mais completa de dicas para aliviar a dor do trabalho de parto.

Além disso, é muito importante que a grávida tire todas as dúvidas com o obstetra durante o período pré-natal para que no momento do parto sinta confiança na equipe médica e saiba o que vai acontecer, facilitando o relaxamento.

Bibliografia >

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. ANESTESIA PARA O PARTO NORMAL E PARA A CESARIANA. 2015. Disponível em: <https://anestesiologia.paginas.ufsc.br/files/2015/06/Informativo4.pdf>. Acesso em 21 Ago 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem