Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quando é necessário fazer Lavagem gástrica

A lavagem gástrica é uma técnica que permite lavar o interior do estômago, retirando o conteúdo que ainda não foi absorvido pelo organismo. Assim, este procedimento é geralmente utilizado em casos de ingestão de substâncias tóxicas ou irritantes, para as quais não existe antídoto ou não existe outra forma de tratamento. Entenda o que fazer imediatamente em caso de envenenamento.

Idealmente, a lavagem gástrica deve ser feita até 2 horas após a ingestão da substância e precisa ser feita no hospital por um enfermeiro ou outro profissional de saúde capacitado para evitar complicações como a aspiração de líquidos para o pulmão.

Quando é necessário fazer Lavagem gástrica

Quando é indicada

Na maior parte dos casos, a lavagem gástrica é usada para limpar o estômago em caso de ingestão de doses elevadas de substâncias ou remédios que podem ser tóxicos para o organismo, como:

  • Anti-hipertensores, como propranolol ou verapamil;
  • Antidepressivos tricíclicos, como Amitriptilina, Clamipramina ou Nortriptilina.

No entanto, nem todos os casos de ingestão exagerada de uma substância precisam de lavagem gástrica. A melhor forma de saber se realmente esse procedimento é necessário, e o que fazer para reduzir o risco de complicações, é consultar o Centro de Informações Antiveneno, através do número 0800 284 4343.

Menos frequentemente, a lavagem gástrica pode também ser usada para esvaziar o estômago antes de exames de diagnóstico, como a endoscopia, por exemplo. Saiba mais sobre a endoscopia e quando é feita.

Passo-a-passo da lavagem gástrica

A lavagem gástrica precisa ser feita no hospital por um enfermeiro ou outro profissional de saúde capacitado. Durante o procedimento, o profissional deverá seguir os seguintes passos:

  1. Inserir um tubo gástrico através da boca ou nariz até ao estômago;
  2. Deitar a pessoa e virá-la para o lado esquerdo, para facilitar o esvaziamento do estômago;
  3. Conectar uma seringa de 100 mL ao tubo;
  4. Remover o conteúdo do estômago utilizando a seringa;
  5. Colocar 200 a 300 mL de soro fisiológico aquecido a 38ºC no interior do estômago;
  6. Retirar novamente todo o conteúdo do estômago e voltar a inserir 200 a 300 mL de soro;
  7. Repetir estes passos até que o conteúdo retirado do estômago esteja transparente.

Normalmente, para obter uma correta lavagem gástrica é necessário usar até 2500 mL de soro fisiológico durante todo o procedimento. Já no caso das crianças, a quantidade necessário de soro pode variar entre 10 a 25 mL de soro por cada Kg de peso, até um máximo de 250 mL.

Após a lavagem, também é aconselhado inserir entre 50 a 100 gramas de carvão vegetal ativado no estômago, para evitar a absorção de qualquer resto de substância que ainda tenha ficado no estômago. No caso das crianças, essa quantidade deve ser apenas de 0,5 a 1 grama por Kg de peso.

Possíveis complicações da lavagem

Embora a lavagem gástrica seja uma técnica que pode salvar a vida de alguém que tomou uma dose muito elevada de uma substância tóxica, também pode causar algumas complicações. A mais comum é a aspiração de líquido para os pulmões, o que pode acabar provocando uma pneumonia, por exemplo. 

Para evitar esse risco, o procedimento deve ser feito por um enfermeiro e na posição sentada, já que existe menos chances de o líquido passar para as vias respiratórias. Outras complicações que podem acontecer incluem sangramento gástrico, espasmo da laringe ou prefuração do esôfago, que precisam ser tratadas o mais rápido possível no hospital.

Quem não deve fazer

A decisão de fazer a lavagem gástrica ou não deve ser sempre avaliada por uma equipe médica, no entanto, a lavagem gástrica está contraindicada em casos como:

  • Pessoa inconsciente sem intubação;
  • Ingestão de substâncias corrosivas;
  • Presença de varizes esofágicas grossas;
  • Volume exagerado de vômitos com sangue.

Além disso, caso se tenha feito uma cirurgia no trato gastrointestinal, a lavagem também precisa ser bem avaliada, já que existe maior risco de complicações.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar