Gastrostomia: o que é, como alimentar e cuidados com a sonda

A gastrostomia é uma cirurgia realizada para a colocação de um pequeno tubo flexível, conhecido como sonda, através da pele da barriga diretamente até ao estômago, para permitir a alimentação e fornecimento de nutrientes nos casos em que a pessoa não consegue se alimentar pela boca.

Esse tipo de cirurgia permite a alimentação adequada através da nutrição enteral, que pode ser preparada triturando alimentos ou usando fórmulas específicas. Idealmente, este tipo de nutrição deve ser orientada por um nutricionista, de acordo com as necessidades calóricas da pessoa. Saiba como preparar a nutrição enteral.

A gastrostomia deve sempre ser recomendada e realizada pelo gastroenterologista que deve fazer o acompanhamento da pessoa, além do enfermeiro que deve fornecer orientações sobre como cuidar da ferida e os cuidados com a sonda.

Gastrostomia: o que é, como alimentar e cuidados com a sonda

Quando é indicada

A principal indicação da gastrostomia é o fornecimento de nutrientes em pessoas que não conseguem fazer uma alimentação pela boca, ou não conseguem ingerir calorias suficientes pela dieta habitual, correndo o risco de desnutrição. 

No entanto, a gastrostomia só é indicada quando o intestino está funcionando corretamente para absorver os nutrientes.

Desta forma, a colocação de uma gastrostomia normalmente está indicada para o tratamento ou a prevenção de desnutrição em casos de:

  • AVC;
  • Hemorragia cerebral;
  • Paralisia cerebral;
  • Demência;
  • Tumores no cérebro, no esôfago ou na garganta;
  • Esclerose lateral amiotrófica;
  • Esclerose múltipla;
  • Doença de Parkinson;
  • Dificuldade grave para engolir; 
  • Fístula traqueo-esofágica congênita;
  • Doença de Chron;
  • Insuficiência renal crônica;
  • Descompressão gástrica;
  • AIDS.

Alguns destes casos podem ser temporários, como acontece em situações de AVC, em que a pessoa utiliza a gastrostomia até que consiga se alimentar novamente, mas em outros pode ser necessário manter a sonda por vários anos ou, até, por toda a vida.

Esta técnica pode ainda ser utilizada temporariamente após cirurgias, especialmente quando envolve o aparelho digestivo ou respiratório, por exemplo.

Como é feita

A gastrostomia é feita pelo cirurgião gástrico gastroenterologista e um cirurgião para inserir uma sonda diretamente no estômago, que é um tubo flexível, através de uma abertura pela pele.

Antes da cirurgia, a pessoa recebe uma anestesia geral, ou um remédio sedativo, para provocar sono e anestesiar a pele, permitindo que o tubo seja colocado sem causar qualquer tipo de desconforto.

Existem dois métodos usados para realizar a gastrostomia que são: a cirurgia convencional, em que o médico faz um corte no abdômen para alcançar o estômago e inserir o tubo; ou uma forma menos invasiva, que é a gastrostomia endoscópica percutânea (PEG), em que o tubo é inserido no estômago pela pele, por endoscopia, e guiado por radiografia ou ultrassonografia.

Como alimentar através da sonda

Antes de alimentar a pessoa com sonda de gastrostomia é muito importante colocá-la sentada ou com a cabeceira da cama elevada, de forma a evitar que a comida suba do estômago para o esôfago, provocando sensação de azia.

Depois, deve-se seguir o passo-a-passo:

  1. Examinar o tubo para garantir que não existem dobras que possam impedir a passagem da comida;
  2. Fechar o tubo, usando o clip ou dobrando a ponta, para que o ar não entre no tubo quando se retirar a tampa;
  3. Abrir a tampa da sonda e colocar a seringa de alimentação (100 mL) no tubo da gastrostomia;
  4. Desdobrar a sonda e puxar lentamente o êmbolo da seringa para aspirar o líquido que está dentro do estômago. Caso se consiga aspirar mais de 100 ml é recomendado alimentar a pessoa mais tarde, quando o conteúdo for inferior a esse valor. O conteúdo aspirado deve ser sempre colocado novamente no estômago.
  5. Voltar a dobrar a ponta da sonda ou fechar o tubo com o clip e depois retirar a seringa;
  6. Encher a seringa com 20 a 40 mL de água e voltar a colocar na sonda. Desdobrar a sonda e pressionar o êmbolo lentamente até que toda a água entre no estômago;
  7. Voltar a dobrar a ponta da sonda ou fechar o tubo com o clip e depois retirar a seringa;
  8. Encher a seringa com a comida triturada e coada, na quantidade de 50 a 60 mL;
  9. Voltar a repetir os passos para fechar o tubo e colocar a seringa na sonda, tendo sempre cuidado para não deixar o tubo aberto;
  10. Empurrar o êmbolo da seringa com cuidado, inserindo a comida lentamente no estômago. Repetir as vezes necessárias até administrar a quantidade recomendada pelo médico ou nutricionista, que geralmente não ultrapassa os 300 ml.

Após administrar toda a comida através da sonda é importante lavar a seringa e encher com 40 mL de água, voltando a colocar através da sonda para lavá-la e evitar que os pedaços de comida se acumulem, obstruindo o tubo.

Estes cuidados são muito semelhantes aos da sonda nasogástrica, por isso, assista o vídeo para observar como manter sempre a sonda sempre fechada, evitando que entre ar:

Como preparar a comida para a sonda

A comida deve ser sempre bem triturada e também não não conter pedaços muito grandes, sendo por isso recomendado coar a mistura antes de colocar na seringa. O plano alimentar deve ser sempre orientado por um nutricionista para garantir que não existem carências de vitaminas e, por isso, após a colocação da sonda, o médico pode encaminhar para consultas com o nutricionista. Veja algumas sugestões de como deve ser a alimentação para sonda.

Sempre que for necessário administrar remédios, deve-se triturar bem o comprimido e misturar na comida ou na água que será administrada. Porém, é aconselhado não misturar medicamentos na mesma seringa, já que alguns poderão ser incompatíveis.

Como administrar medicamentos pela sonda

Para administrar medicamentos pela sonda da gastrostomia, deve-se seguir algumas recomendações, que incluem:

  1. Lavar as mãos com água e sabonete neutro antes de preparar o medicamento;
  2. Colocar a pessoa sentada ou parcialmente sentada, elevando a cabeceira da cama;
  3. Interromper a administração da dieta, usando o clip da sonda;
  4. Desconectar a dieta da sonda, para conectar a seringa;
  5. Abrir a tampa da sonda e colocar a seringa com 30 mL de água para “lavar” o alimento que está dentro da sonda. O volume de água para lavar a sonda deve ser cerca de 30 mL para adultos ou 10 a 15 mL para crianças;
  6. Administrar o medicamento lentamente pela sonda;
  7. Lavar a sonda com água para “empurrar” todo o medicamento para dentro do estômago;
  8. Desconectar a seringa da sonda e fechar a sonda por meio do clip;
  9. Manter a posição elevada, por pelo menos 30 minutos, após administrar o remédio para evitar refluxo gástrico.

O preparo do medicamento deve ser feito imediatamente antes da aplicação pela sonda. Geralmente, o médico deve dar preferência para utilização de medicamentos líquidos, como xarope, solução em gotas ou suspensão. No entanto, se for necessário utilizar comprimidos ou cápsulas, deve-se triturar o comprimido ou abrir a cápsula antes do uso, e misturar com 10 a 15 mL de água até que o medicamento esteja completamente dissolvido.

Nos casos de utilização de mais de um medicamento, é recomendado lavar a sonda com cerca de 5 mL de água entre a administração de cada remédio. 

Como cuidar da ferida da gastrostomia

Nas primeiras 2 a 3 semanas, a ferida da gastrostomia é tratada por um enfermeiro no hospital, pois é preciso ter mais cuidados para evitar uma infecção e até avaliar o local constantemente. No entanto, depois de ter alta e voltar para casa é preciso manter alguns cuidados com a ferida, para evitar que a pele fique irritada e surja algum tipo de desconforto.

O cuidado mais importante é manter o local sempre limpo e seco e, por isso, é aconselhado lavar a região, pelo menos, 1 vez por dia com água morna, uma gaze limpa e sabão de pH neutro. Mas também é importante evitar roupas muito apertadas ou colocar cremes com perfumes ou produtos químicos no local.

Ao lavar a região da ferida deve-se ainda rodar a sonda ligeiramente, para evitar que acabe grudando na pele, aumentando as chances de uma infecção. Esse movimento de rodar a sonda deve ser feito 1 vez por dia, ou de acordo com a orientação do médico.

Possíveis complicações

A gastrostomia é um procedimento considerado seguro, no entanto, como em qualquer cirurgia, algumas complicações podem ocorrer, como:

  • Hemorragia;
  • Infecção no local do corte em que o tubo está inserido na pele, podendo causar sintomas como febre e calafrios;
  • Irritação ou vermelhidão da pele ao redor do tubo;
  • Peritonite, que é uma inflamação do peritônio, uma membrana que envolve a cavidade abdominal, devido ao vazamento dos alimentos do tubo na cavidade abdominal;
  • Deslocamento ou saída acidental do tubo;
  • Bloqueio ou obstrução do tubo;
  • Pneumonia por aspiração;
  • Perfuração do intestino.

É importante que a pessoa esteja atenta a sinais que possam indicar o aparecimento de complicações, como vermelhidão na pele, febre, calafrios, tosse ou vômitos, por exemplo. Nesses casos, deve-se comunicar imediatamente ao médico para que possam ser tratadas.

Quando ir ao médico

É muito importante ir ao médico ou ao hospital quando:

  • A sonda está fora do lugar;
  • A sonda está entupida;
  • Existem sinais de infecção na ferida, como dor, vermelhidão, inchaço e presença de pus;
  • A pessoa sente dor ao ser alimentada ou está vomitando;
  • A pessoa apresenta tosse, dificuldade para respirar ou dor no peito;
  • Presença de outros sintomas como dor ou inchaço abdominal, dor de cabeça ou muscular, tontura ou mal estar geral.

Além disso, dependendo do material da sonda, também pode ser preciso voltar no hospital para fazer a troca do tubo, no entanto, essa periodicidade deve ser combinada com o médico.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • NHS. Gastrostomy: information for parents and carers. 2017. Disponível em: <https://www.ouh.nhs.uk/patient-guide/leaflets/files/13895Pgastrostomy.pdf>. Acesso em 12 Mai 2020
  • ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DOS NUTRICIONISTAS. Guia para a gastrostomia endoscópica percutânea. 2015. Disponível em: <https://www.apn.org.pt/documentos/guias/Guia_para_a_gastrostomia_endoscopica_percutanea_APN_APPC.pdf>. Acesso em 12 Mai 2020
  • NHS. Living with a gastrostomy feeding device. Disponível em: <https://www.gosh.nhs.uk/medical-information/procedures-and-treatments/living-gastrostomy-feeding-device>. Acesso em 12 Mai 2020
  • RAHNEMAI-AZAR, A. A.; et al. Percutaneous endoscopic gastrostomy: indications, technique, complications and management. World J Gastroenterol. 20. 24; 7739-51, 2014
  • WILLIAMS, N. T. Medication administration through enteral feeding tubes. Am J Health Syst Pharm. 65. 24; 2347-57, 2008
Mais sobre este assunto: