Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cirurgia para úlcera

A cirurgia para úlcera gástrica é utilizada em poucos casos, pois, normalmente, é possível tratar este tipo de problema apenas com o uso de remédios, como antiácidos e antibióticos, e cuidados alimentares. Veja mais em: Tratamento para úlcera.

Assim, a cirurgia para úlcera gástrica pode ser necessária apenas nos casos mais graves em que há perfuração do estômago ou sangramento intenso que não possa ser tratado de outra forma, por exemplo. Além disso, outras situações que podem levar à necessidade de cirurgia incluem:

  • Mais de 2 episódios de úlceras hemorrágicas;
  • Úlcera gástrica com suspeita de câncer;
  • Recorrências graves frequentes de úlceras pépticas.

As úlceras podem voltar a surgir após a cirurgia, por isso, é importante evitar o excesso de peso e a má alimentação, rica em açúcar e gordura. Veja como fazer uma alimentação correta e evitar úlceras em: 3 dicas para uma alimentação saudável.

Como é feita a cirurgia para úlcera

A cirurgia para úlcera é feita no hospital com anestesia geral e dura cerca de 2 horas, sendo que o paciente pode precisar ficar internado no hospital durante mais de 3 dias.

Geralmente, esta cirurgia, é feita por videolaparoscopia, mas também pode ser feita com um corte na barriga, para permitir que o médico chegue até o estômago. A seguir, o médico localiza a úlcera e retira a parte afetada do estômago, juntando novamente as partes saudáveis para fechar o estômago.

Após a cirurgia, o paciente deve ficar internado até que não exista risco de desenvolver complicações, como hemorragia ou infecção, por exemplo, e, por isso, pode voltar a casa cerca de 3 dias, mas deve ter alguns cuidados especiais com a alimentação e exercícios durante a recuperação. Saiba quais em: Gastrectomia vertical.

Riscos da cirurgia para úlcera

Os principais riscos da cirurgia para úlcera gástrica são fistula, que é uma ligação anormal entre o estômago e a cavidade abdominal, infecções ou hemorragia. No entanto, estas complicações são raras, especialmente depois de o paciente ter alta.

Veja como complementar o tratamento da úlcera para evitar a necessidade de cirurgia em:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...