Fratura por estresse: o que é, sintomas, causas e tratamento

Atualizado em fevereiro 2024

Fratura por estresse é uma pequena rachadura ou microfratura que surge no osso, geralmente na canela ou no pé, causando sintomas como dor, inchaço ou aumento da sensibilidade no local.

Esse tipo de fratura, também chamada de fratura de estresse, é causada por uma fadiga óssea devido a uma sobrecarga no osso sendo mais comum em atletas de competição, corredores, militares ou dançarinos, por exemplo.

Leia também: 9 principais causas de dor na corrida (e o que fazer para evitar) tuasaude.com/principais-causas-de-dor-na-corrida

O tratamento da fratura por estresse é feito pelo ortopedista e normalmente envolve repouso, imobilização da região afetada, remédios para aliviar os sintomas ou até cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de fratura por estresse

Os principais sintomas de fratura por estresse são:

  • Dor no local afetado que se inicia lentamente;
  • Inchaço ao redor do local afetado;
  • Piora progressiva da dor após o exercício físico;
  • Melhora da dor ao repousar;
  • Dor na manhã seguinte após o treino;
  • Aumento da sensibilidade no local afetado.

Os sintomas da fratura por estresse são mais comuns na tíbia ou fíbula, que são os ossos da canela, nos metatarsos no pé, no osso calcâneo no calcanhar ou no colo do fêmur no quadril.

No entanto, apesar de ser mais raro, também pode ocorrer na coluna lombar, geralmente relacionado a espondilólise ou espondilolistese, podendo não ter sintomas ou causar dor na lombar. Entenda o que é a espondilolistese.

É importante consultar o ortopedista sempre que surgirem sintomas d efratura por estresse, para que seja feito o diagnóstico e indicado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da fratura por estresse é feito pelo ortopedista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e de exercícios físicos, e do exame físico.

Marque uma consulta com o ortopedista na região mais próxima de você:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Ortopedistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Para confirmar o diagnóstico, o médico pode pedir um raio X, no entanto, nem sempre é possível visualizar a fratura por estresse no raio X, podendo levar de 2 a 3 semanas para estar evidentes nesse tipo de exame.

Por esse motivo, o médico pode pedir outros exames de imagem que apresentam maior sensibilidade, como ressonância magnética, tomografia computadorizada ou cintilografia óssea, por exemplo.

Possíveis causas

A fratura por estresse é causada por uma fadiga no osso devido ao aumento da intensidade do exercício físico de alto impacto, resultando em aumento da absorção óssea e redução da produção de novas células que forma o osso.

As principais causas da fratura por estresse são:

  • Esportes de alto impacto, como corrida, vôlei, basquete, futebol, atletismo, dança ou ginástica olímpica;
  • Fadiga nos músculos, que se tornam incapazes de absorver o impacto do treino;
  • Aumento do tempo, intensidade e frequência dos treinos;
  • Correr na esteira e passar a correr na rua;
  • Utilizar tênis inadequados, que não absorvem impacto;
  • Osteoporose;
  • Deficiência de cálcio ou vitamina D.

Além disso, a ingestão nutricional inadequada, a perda de massa muscular ou desequilíbrios hormonais em atletas, principalmente a diminuição de estrogênio ou de testosterona, também aumentam o risco de fratura por estresse.

A fratura por estresse também é muito comum em pessoas que tinham estilo de vida sedentário e passam a praticar exercícios físicos sem orientação médica ou do profissional de educação física.

Leia também: 6 passos para sair do sedentarismo (e ter uma vida mais saudável) tuasaude.com/sair-do-sedentarismo

Como é feito o tratamento

O tratamento da fratura por estresse deve ser feito com orientação do ortopedista com o objetivo de promover a cicatrização do osso e aliviar os sintomas.

Os principais tratamentos que podem ser indicados pelo médico são:

1. Repouso

O repouso é indicado para aliviar a dor e o desconforto da fratura por estresse e permitir a cicatrização do osso, devendo ser feito com a interrupção dos treinos e evitando atividades de impacto.

O tempo de repouso para a fratura por estresse deve ser orientado pelo ortopedista e varia com a gravidade da fratura.

2. Compressas frias

Aplicar compressas frias sobre o local com a fratura por estresse, pode ser indicado pelo ortopedista para ajudar a diminuir a dor e reduzir o inchaço.

Para fazer a compressa fria, deve-se colocar gelo dentro de uma bolsa térmica ou colocar um saco de gel no congelador para resfriar, e depois envolver a bolsa ou o saco de gel, em uma toalha limpa e seca, e aplicar na região afetada, deixando agir por 15 a 20 minutos, de 2 a 3 vezes por dia.

3. Imobilização

A imobilização pode ser indicada pelo médico para reduzir a pressão sobre o osso afetado, manter o osso na posição correta e permitir a cicatrização.

Essa imobilização pode ser feita com o uso de bota ortopédica ou uso de muletas, por exemplo, por 2 a 6 semanas, mas o tempo pode variar de acordo com a localização e gravidade da fratura por estresse.

4. Remédios

Os remédios para fratura por estresse que podem ser indicados pelo médico são anti-inflamatórios ou analgésicos, como ibuprofeno ou paracetamol para ajudar a reduzir a dor e o inchaço da fratura.

Esses remédios só devem ser usado com indicação do ortopedista, por um curto período de tempo conforme orientado pelo médico.

Além disso, os suplementos de vitamina D ou cálcio podem ser indicados pelo médico nos casos de deficiências nutricionais. Saiba como tomar o suplemento de cálcio e vitamina D.

Leia também: Dieta rica em cálcio: como fazer e cardápio tuasaude.com/dieta-rica-em-calcio

5. Fisioterapia

A fisioterapia é outro tratamento para fratura por estresse que pode ser indicado pelo médico para ajudar a estimular a cicatrização óssea e acelerar a recuperação

Esse tratamento deve ser feito pelo fisioterapeuta que pode usar aparelhos como o ultrassom pulsátil de baixa intensidade que atua no tecido ósseo e tecidos em volta. Veja como é feito o tratamento com ultrassom na fisioterapia.

6. Cirurgia

A cirurgia para fratura óssea pode ser feita pelo ortopedista com a fixação do osso com pinos, placas de metal ou parafusos, nos casos com alto risco de deslocamento da articulação ou de não cicatrização do osso.

Esse tipo de cirurgia normalmente é indicada nos casos de fratura por estresse no colo do fêmur no quadril, na tíbia anterior na canela, osso navicular do tarso, sesamoides ou metatarsos no pé, por exemplo. 

Leia também: Fratura no fêmur: sintomas, tratamento e recuperação tuasaude.com/fratura-de-femur