Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Fratura de Clavícula

A fratura de clavícula é um problema muito comum em atletas. Provoca muita dor ao se tentar movimentar o braço afetado, inchaço e até deformação no local da clavícula.

Geralmente, a fratura na clavícula é mais frequente em atletas, especialmente em ciclistas, mas pode surgir em qualquer idade devido a quedas sobre o ombro ou devido a uma pancada direta sobre a clavícula, por exemplo.

O tratamento para a fratura da clavícula depende do tipo de fratura, mas normalmente é feito com a imobilização do braço sem utilização de osso, para manter a estabilidade da clavícula. Além disso a fratura na clavícula também é muito comum no bebê logo após o nascimento, no entanto, não necessita de imobilização especial, pois a fratura se cura sozinha.

Veja como cuidar do bebê em: Como tratar a fratura da clavícula no bebê.

Tipóia de imbolizaçãoTipóia de imbolização
Outros tipos de imobilizaçãoOutros tipos de imobilização

Tratamento para fratura de clavícula

O tratamento para fratura de clavícula, geralmente, é feito com a imobilização do braço do lado da clavícula afetada com uma tipóia imobilizadora, por exemplo, para permitir que a clavícula se mantenha no local correto, acelerando a cicatrização do osso.

Geralmente, a imobilização deve ser mantida por cerca de 3 meses, no caso do adulto, ou até 2 meses no caso das crianças, embora o tempo de recuperação possa variar pois é necessário fazer sessões de fisioterapia durante 2 ou 3 meses para recuperar os movimentos normais do braço afetado.

Nos casos mais graves, em que a clavícula partiu em vários pontos ou ficou exposta, pode ser necessário fazer cirurgia para colocar pequenos estabilizadores de metal no osso para fixar os pequenos pedaços de osso e permitir a recuperação.

Como evitar sequelas da fratura de clavícula

Algumas sequelas, como a lesão de nervos, o surgimento de um calo no osso ou o atraso na cicatrização, podem ser evitadas quando o osso fica corretamente imobilizado, por isso algumas dicas para ter uma boa recuperação incluem:

  • Evitar atividades que possam movimentar o braço durante 2 semanas, como caminhar rápido ou correr;
  • Evitar conduzir durante as primeiras 3 semanas;
  • Utilizar sempre a imobilização de braço recomendada pelo ortopedista, especialmente durante o dia;
  • Dormir de barriga para cima com a imobilização, se possível, ou dormir com o braço ao longo do corpo e apoiado por travesseiro;
  • Utilizar roupas mais largas e fáceis de vestir, assim como sapatos sem cordões.

Além disso, para diminuir as dores durante a recuperação o médico pode prescrever analgésicos, como Paracetamol ou Dipirona Sódica, que devem ser utilizados quando surgem dores fortes.

Saiba mais sobre os tipos de tratamento disponíveis para fraturas em:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...