Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é a recuperação da Fratura de Clavícula

A recuperação da fratura da clavícula requer paciência e sessões de fisioterapia para recuperação ampla dos movimentos do ombro, mas é possível se recuperar completamente entre 2-3 meses. 

A fratura de clavícula provoca muita dor ao se tentar movimentar o braço afetado, inchaço e até deformação no local da clavícula, em alguns casos. Geralmente, a fratura na clavícula é mais frequente em atletas, especialmente em ciclistas, mas pode surgir em qualquer idade devido a quedas sobre o ombro ou devido a uma pancada direta sobre a clavícula, por exemplo.

O tratamento para a fratura da clavícula depende do tipo de fratura, mas normalmente é feito com a imobilização do braço com tala, para manter a estabilidade da clavícula. Além disso a fratura na clavícula também é muito comum no bebê logo após o nascimento, no entanto, não necessita de imobilização especial, pois a fratura se cura sozinha. Veja como cuidar do bebê em: Como tratar a fratura da clavícula no bebê.

Os tipos de fratura na clavícula podem ser:

  • Cominutiva: onde se parte em vários pedaços, havendo necessidade de cirurgia;
  • Transversa: mais fácil de consolidar, havendo necessidade de apenas usar imobilização; 
  • Oblíqua: dependendo do ângulo, pode haver necessidade de cirurgia.

De acordo com a região onde ocorreu a fratura pode-se classificar a área como sendo: terço medial, médio ou lateral, sendo que o terço médio representa mais de 70% das fraturas claviculares por ser uma região onde o osso é mais fino e fica mais desprotegido, por não estar tão recoberto por músculos. 

Para saber qual tipo de fratura a pessoa teve para poder decidir qual o tratamento mais indicado é sempre recomendado realizar radiografia em 2 posições diferentes, ântero-posterior (de frente) e lateral. 

Como é a recuperação da Fratura de Clavícula

Tratamento para fratura de clavícula

O tratamento para fratura de clavícula, geralmente, é feito com a imobilização do braço com uma tipoia imobilizadora, colocada em 8, por exemplo, para permitir que a clavícula se mantenha no local correto, acelerando a cicatrização do osso. A imobilização deve ser mantida por cerca de 4-5 semanas, no caso do adulto, ou até 2 meses no caso das crianças. 

Nos casos mais graves, há necessidade de cirurgia para colocar pequenos estabilizadores de metal no osso para fixar os pequenos pedaços de osso e permitir a recuperação completa. Algumas situações que indicam necessidade de cirurgia são desvio do osso, encurtamento do osso maior que 2 cm entre fragmentos ósseos, em caso de fratura exposta, assim como o risco de lesionar algum nervo ou artéria. Apesar da complexidade da cirurgia a recuperação é mais rápida da cirurgia do que ao usar imobilizadores. 

Embora o tempo de recuperação possa variar de uma pessoa para outra pode ser necessário fazer sessões de fisioterapia durante 8-12 semanas para recuperar os movimentos normais do braço afetado. 

Fratura na clavícula deixa sequelas?

A fratura na clavícula pode deixar algumas sequelas, como a lesão de nervos, o surgimento de um calo no osso ou o atraso na cicatrização, que podem ser evitadas quando o osso fica corretamente imobilizado, por isso algumas dicas para ter uma boa recuperação incluem:

  • Evitar atividades que possam movimentar o braço durante 4 semanas, como andar de bicicleta ou correr;
  • Não dirigir as primeiras 3 semanas;
  • Usar sempre a imobilização de braço recomendada pelo ortopedista, especialmente durante o dia;
  • Dormir de barriga para cima com a imobilização, se possível, ou dormir com o braço ao longo do corpo e apoiado por travesseiros;
  • Utilizar roupas mais largas e fáceis de vestir, assim como sapatos sem cardaços.

Além disso, para diminuir as dores durante a recuperação o médico pode prescrever analgésicos, como Paracetamol ou Dipirona Sódica, que devem ser utilizados quando surgem dores fortes.

Fisioterapia para fratura clavicular

A reabilitação varia muito de acordo com os sintomas que o indivíduo apresenta, no entanto, os objetivos do tratamento fisioterapêutico incluem diminuir a dor, promover o movimento normal do ombro, sem dor, fortalecer a musculatura até que a pessoa seja capaz de realizar suas atividades rotineiras e laborais normalmente.

Para isso, o fisioterapeuta deve avaliar se a região está consolidada, se existe dor, qual a limitação do movimento e as dificuldades que a pessoa apresenta, e então indicar o tratamento necessário. 

Inicialmente, nas primeiras sessões de fisioterapia pode ser indicado uso de compressas de gelo para diminuir a dor e o inchaço, e podem ser usados equipamentos como ultrassom e tens. Exercícios são indicados desde o início do tratamento, sendo mais indicado iniciar o programa de reabilitação com movimentos tipo pêndulo e rotacionais nessa primeira fase. Após cerca de 8-10 semanas também podem ser usados exercícios com polia, faixa elástica, e pesinhos para fortalecer os músculos do braço e ombro. 

Normalmente após 12 semanas são recomendados exercícios com mais peso, exercícios diagonais de kabat e o treino proprioceptivo para o ombro até a alta. Veja alguns exercícios de propriocepção para o ombro

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem