Espasmo muscular: o que é, causas, sintomas e o que fazer

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
março 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. O que fazer
  5. Como prevenir

O espasmo muscular é uma contração involuntária e repentina do músculo, que ocorre de forma localizada em um músculo ou em um grupo muscular, e que pode aparecer em qualquer parte do corpo, como coxas, panturrilha, pés, braços ou abdômen, causando dor, desconforto ou enrijecimento do músculo afetado.

O espasmo muscular pode durar alguns segundos ou minutos, sendo mais comum de ocorrer como resultado da fadiga ou lesão muscular após atividades físicas intensas, estresse, ansiedade ou desidratação. Além disso, também pode acontecer devido a problemas de saúde como falta de minerais, diabetes ou hipotireoidismo, por exemplo.

Geralmente, o espasmo muscular não é grave, no entanto, quando são frequentes, surge mais de 1 vez por dia ou demora mais de 10 minutos para melhorar, é importante consultar o clínico geral, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Principais sintomas

O espasmo muscular pode causar sintomas que podem ser leves ou intensos, durar alguns segundos ou minutos, afetando um músculo ou um grupo muscular, como coxas, panturrilha, pés, braços, mãos, abdômen, costas, ou músculos entre as costelas.

Os principais sintomas do espasmo muscular são:

  • Dor intensa;
  • Desconforto no músculo afetado;
  • Enrijecimento muscular;
  • Fraqueza no músculo;
  • Dormência;
  • Sensação de agulhadas ou alfinetadas;
  • Paralisia do músculo;
  • Falta de coordenação muscular;
  • Movimentos lentos.

Em alguns casos, o espasmo muscular não causa dor ou desconforto, aparecendo apenas como uma sensação de vibração ou tremor no músculo, como o tremor nas pálpebras, por exemplo. Entenda o que é o tremor nas pálpebras e o que fazer.

Geralmente, o espasmo muscular passa em alguns minutos, desaparecendo sozinho, sem necessidade de tratamento. No entanto, é importante consultar o médico quando os sintomas causam grande desconforto, são frequentes, não melhoram após alguns minutos ou são acompanhados por inchaço, vermelhidão ou alterações da pele no local afetado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico do espasmo muscular é feito pelo clínico geral através da análise dos sintomas, duração e frequência do espasmo, além do exame físico ao palpar o músculo afetado.

Além disso, o médico pode solicitar exames como eletromiografia ou exames de sangue, para diagnosticar a causa do espasmo muscular, e assim, indicar o tratamento mais adequado. Veja como é feita a eletromiografia.

Causas de espasmo muscular

O espasmo muscular pode ser causado por algumas situações como:

  • Fadiga ou lesão muscular;
  • Desidratação;
  • Deficiência de minerais, como potássio, magnésio ou cálcio;
  • Praticar atividades físicas no calor;
  • Atividades físicas intensas;
  • Deficiência no suprimento de sangue para o músculo;
  • Descargas nervosas involuntárias, como na síndrome de fasciculação benigna;
  • Compressão de nervos;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Diabetes;
  • Hipotireoidismo;
  • Cirrose;
  • Insuficiência renal;
  • Fibromialgia;
  • Tétano;
  • Uso prolongado de remédios diuréticos que promovem a eliminação de minerais do corpo.
  • Consumo excessivo de cafeína;
  • Uso de drogas estimulantes, como as anfetaminas.

Além disso, o espasmo muscular pode ser causado por ficar na posição sentada ou em pé por longos períodos, ou falta de alongamento antes das atividades físicas.

Outra causa comum de espasmos muscular, é a gravidez, sendo comum a mulher apresentar cãibras durante a gestação devido ao aumento do peso, desidratação, problemas de circulação ou até mesmo por trombose. Veja outras causas de cãibras na gravidez.

O que fazer

O espasmo muscular geralmente melhora sem necessidade de tratamento, no entanto, no momento em que acontece, deve-se:

  • Parar a atividade que possa ter causado o espasmo;
  • Massagear o músculo afetado suavemente;
  • Alongar o músculo;
  • Aplicar compressas quente ou tomar um banho morno, para relaxar o músculo, no momento em que ocorre o espasmo muscular;
  • Aplicar compressas frias para aliviar a dor muscular, após passar a crise de espasmo muscular.

Essas medidas ajudam a aliviar o espasmo muscular, no entanto, se a dor muscular não melhorar, deve-se consultar o médico, que pode indicar o uso de remédios relaxantes musculares ou anti-inflamatórios para aliviar a dor e o desconforto muscular.

Já no caso do espasmo muscular ter sido causado por problemas de saúde, o tratamento deve ser indicado pelo médico para tratar a doença específica.

Além disso, em alguns casos, o médico pode recomendar fisioterapia, que deve ser realizada pelo fisioterapeuta, com exercícios de alongamento ou uso de aparelhos, como ultrassom terapêutico ou TENS. Veja como é feito o TENS.

Como prevenir

Para prevenir o surgimento do espasmo muscular, é importante alongar os músculos antes e após atividades físicas, evitar fazer exercícios em dias muito quentes e o consumo excessivo de cafeína. Além disso, deve-se manter o corpo hidratado, bebendo a quantidade de água recomendada de acordo com idade e peso. Calcule a quantidade de água que se deve beber por dia.

No caso do espasmo muscular ser causado devido a deficiências nutricionais, principalmente de minerais, é importante aumentar o consumo de alimentos ricos em potássio ou magnésio, como banana, maçã, kiwi, aveia, castanha do pará e água de coco, por exemplo.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin com dicas de alimentos para prevenir espasmos musculares:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em março de 2022. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Clínico Geral e Psicólogo, em março de 2022.

Bibliografia

  • MALANGA, G.; et al. Mechanisms and efficacy of heat and cold therapies for musculoskeletal injury. Postgrad Med. 127. 1; 57-65, 2015
  • GIURIATO, G.; et al. Muscle cramps: A comparison of the two-leading hypothesis. J Electromyogr Kinesiol. 41. 89-95, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • BORDONI, B.; SUGUMAR, K.; VARACALLO, M. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Muscle Cramps. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK499895/>. Acesso em 02 mar 2022
  • SCHWELLNUS, M. P. Cause of exercise associated muscle cramps (EAMC)--altered neuromuscular control, dehydration or electrolyte depletion?. Br J Sports Med. 43. 6; 401-8, 2009
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.

Tuasaude no Youtube

  • O QUE PODE CAUSAR CÃIBRAS? | Marcelle comenta #12

    01:34 | 36199 visualizações
  • O que comer para acabar com a cãibra

    02:04 | 274794 visualizações