O que é a Epifisiólise do quadril e como é feito o tratamento

Revisão médica: Dr. Francisco Couto Valente
Ortopedista
outubro 2019

A epifisiólise é o escorregamento da cabeça do fêmur, que se localiza na região da bacia, podendo causar deformação ou um crescimento assimétrico, já que é mais comum em crianças entre os 10 e os 13 anos de idade, para meninas, e 10 a 15 anos, para meninos.

Embora possa acontecer sem causa aparente, a epifisiólise é mais comum em meninos ou meninas com excesso de peso ou obesidade, mas também pode acontecer e em pessoas muito altas e magras, podendo afetar ambas as pernas.

Uma vez que pode causar deformidades, a epifisiólise é uma urgência médica que deve ser tratada o mais rápido possível através de cirurgia. Assim, sempre que existir suspeita desta condição, é importante consultar o pediatra ou um ortopedista pediatra, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

Quais os sintomas

Os sintomas de epifisiólise geralmente incluem dor na região do quadril por mais de 3 semanas, dificuldade para andar e rotação da perna para fora. Além disso, algumas crianças também podem referir dor na região do joelho, o que pode acabar atrasando o diagnóstico.

Possíveis causas

Não se conhece a causa específica que leva ao surgimento da epifisiólise, no entanto, parece estar relacionada com algum traumatismo no local ou até com fatores hormonais, especialmente em crianças que estão fazendo tratamento com hormônio de crescimento.

Como é feito o diagnóstico

Geralmente, a radiografia simples à bacia, comparando os dois lados, é suficiente para diagnosticar a epifisiólise, no entanto, em caso de dúvida, pode ser necessário realizar uma tomografia ou ressonância magnética.

Em que consiste o tratamento

A epifisiólise é uma urgência médica e, por isso, o tratamento deve ser feito o mais breve possível através de cirurgia, já que o escorregamento da cabeça do fêmur pode causar sérios danos, como artrose no quadril ou outras deformidades.

A cirurgia consiste na fixação do fêmur no osso do quadril através do uso de parafusos e, muitas vezes, essa cirurgia pode também ser realizada na outra perna, mesmo que não esteja afetada, já que, em mais de metade dos casos, ambos os lados acabam por ser afetados durante o crescimento.

Além disso, e para completar o tratamento, também é importante realizar sessões de fisioterapia e exercícios dentro da água, por exemplo, para recuperar os movimentos perdidos. Estas sessões apenas devem ser feitas após indicação do ortopedista.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em outubro de 2019. Revisão médica por Dr. Francisco Couto Valente - Ortopedista, em outubro de 2019.

Bibliografia

  • FERREIRA, Joana Zagalo Verella Baptista. EPIFISIÓLISE FEMORAL SUPERIOR. Tese de Mestrado, 2014. FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA.
  • BMJ BEST PRACTICE. Epifisiólise proximal do fêmur. Disponível em: <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/757>. Acesso em 26 set 2019
Mostrar bibliografia completa
  • REVISTA BRASILEIRA DE ORTOPEDIA. Epifisiólise. 2001. Disponível em: <http://rbo.org.br/detalhes/4/pt-BR>. Acesso em 26 set 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA COLÉGIO BRASILEIRO DE RADIOLOGIA. Epifisiólise: Diagnóstico e Tratamento das Formas de Apresentação Pré-deslizamento e Leve. 2012. Disponível em: <https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/epifisiolise_diagnostico_e_tratamento_das_formas_de_apresentacao_pre_deslizamento_e_leve.pdf>. Acesso em 26 set 2019
Ortopedista
Médico ortopedista formado pela Faculdade Souza Marques em 2011, com CRM.RJ 52.92679-5 e Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia.