Sangue grosso: o que é, sintomas e como é o tratamento

O sangue grosso, conhecido cientificamente por hipercoagulabilidade, acontece quando o sangue fica mais espesso que o normal, ocorrendo devido a alterações dos fatores de coagulação, acabando por dificultar a passagem do sangue nos vasos sanguíneos e aumentar o risco de complicações, como AVC ou trombose, por exemplo.

O tratamento do sangue grosso pode ser feito através de remédios anticoagulantes e de uma alimentação saudável, que deve ser prescrita pelo clínico geral ou hematologista com o objetivo de prevenir a formação dos coágulos e promover a qualidade de vida da pessoa.

Sangue grosso: o que é, sintomas e como é o tratamento

Sintomas de sangue grosso

O sangue grosso não tem sintomas, porém pode levar à formação de coágulos, aumentando o risco deles entupirem alguns vasos e levar à ocorrência de algumas doenças, como o AVC, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar. Assim, os sintomas de sangue grosso podem variar de acordo com a doença associada, sendo os mais comuns:

  • Dor e inchaço nas pernas, especialmente nas panturrilhas, geralmente de um lado só, no caso de trombose;
  • Alteração da coloração da pele da perna, o que pode ser indicativo de trombose;
  • Dor na cabeça, no caso de AVC ou derrame cerebral;
  • Perda da força em membros e alteração da fala, devido à AVC ou derrame;
  • Dor no peito e dificuldade em respirar fundo, no caso de tromboembolia pulmonar.

O diagnóstico geralmente ocorre quando o paciente apresenta alguma das complicações acima. Em alguns casos, pode-se detectar o sangue grosso em exames laboratoriais de rotina, como o coagulograma, que é um exame muito solicitado em consultas pré-operatórias.

Possíveis complicações

O sangue grosso é mais comum de acontecer em pessoas com obesidade, história de trombose na família, gravidez, uso de anticoncepcional oral e no período após alguma cirurgia, além de estar presente em pacientes portadores de doença hematológicas que levam a distúrbios da coagulação. Quando o sangue fica grosso, pode levar à formação de coágulos, que pode aumentar o risco de desenvolvimento de algumas doenças, como por exemplo:

1. Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O sangue grosso pode levar à formação de coágulos e favorecer a ocorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico, por exemplo, uma vez que há alteração no fluxo de sangue para o cérebro devido ao coágulo, que entope o vaso e dificulta a passagem do sangue com oxigênio, resultando em lesões nas células cerebrais e aparecimento de sintomas como dificuldade para falar ou sorrir, boca torta e perda de força em um dos lados do corpo. Saiba reconhecer outros sintomas do AVC isquêmico.

Caso sejam identificados os sintomas característicos de um AVC isquêmico é muito importante ligar para o 192, número de emergência no Brasil, ou 112, número de emergência em Portugal, para ser feita uma avaliação, o mais cedo possível, da situação da pessoa. Veja quais são os primeiros socorros para AVC.

2. Trombose Venosa Profunda (TVP)

O sangue grosso pode levar à formação de coágulos, o que pode levar ao entupimento de uma veia, impedindo a circulação do sangue e aumentando o risco de trombose, o que provoca sintomas como dor e inchaço no local, mais frequentemente nas pernas e alterações na coloração do local na pele. Confira outros sintomas de trombose venosa profunda.

Sangue grosso: o que é, sintomas e como é o tratamento

3. Embolia pulmonar

A embolia pulmonar ocorre quando um coágulo, que pode ser formado devido ao sangue grosso, bloqueia um vaso sanguíneo nos pulmões, diminuindo o fluxo de sangue que chega aos pulmões, o que causa dificuldade em respirar, sensação de falta de ar, dor no peito, tosse, batimentos cardíacos aumentados ou tonturas.

Caso existam pelo menos dois dos sintomas da embolia pulmonar, é recomendado ir ao pronto-socorro ou chamar uma ambulância para que o médico possa avaliar os sintomas e adequar o tratamento, o mais cedo possível, uma vez que pode levar a sequelas graves e levar à morte.

4. Infarto agudo do miocárdio

O infarto agudo do miocárdio, também conhecido como ataque cardíaco, acontece quando uma das artérias do coração fica entupida por um coágulo, que pode ser consequência do sangue grosso. Isso impede o transporte de oxigênio necessário para que os músculos do coração trabalhem. Dessa forma, os músculos cardíacos não funcionam de forma adequada, levando ao aparecimento de sintomas como dor forte e intensa do peito, que pode irradiar para o braço esquerdo, falta de ar e tontura. 

Na presença desses sintomas, é importante ir ao hospital ou pronto-socorro mais próximo para que possam ser feitos exames que ajudem a identificar o infarto e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado. 

5. Trombose da veia renal

A trombose da veia renal acontece quando existe uma obstrução de uma ou ambas as veias renais, devido a coágulos que podem ser devido ao sangue grosso, que resulta numa lesão nos rins, provocando dor repentina na região entre as costelas e o quadril ou presença de sangue na urina.

Sangue grosso: o que é, sintomas e como é o tratamento

Como é o tratamento

O tratamento para sangue grosso deve ser indicado pelo clínico geral ou hematologista e tem como objetivo tornar o sangue mais fino, sendo indicado para isso o uso de medicamentos anticoagulantes, como a varfarina, apixabo, clexane e xarelto, por exemplo. Esses medicamentos não devem ser iniciados sem orientação médica, pois pode haver aumento do riso de sangramentos importantes.

Além disso, é importante que a pessoa tenha cuidados com a alimentação, pois assim é possível que o tratamento com remédios seja mais eficaz e seja possível prevenir a formação de outros coágulos.

Cuidados com a alimentação

A alimentação para sangue grosso tem como objetivo melhorar a circulação sanguínea e prevenir a formação de coágulo e, para isso, é recomendado consumir alimentos ricos em vitamina C, D, E e K, já que essas vitaminas possuem efeito anticoagulante. No entanto, é importante que esses alimentos sejam consumidos de acordo com a recomendação do nutricionista, pois o consumo em quantidades elevadas pode diminuir a eficácia dos remédios usados, o que pode trazer complicações.

Assim, os alimentos ricos nessas vitaminas, como acerola, laranja, salmão, óleo de fígado de bacalhau, semente de girassol, avelã, espinafre e brócolis, devem fazer parte da alimentação diária e consumidos conforme a recomendação médica. Conheça outros alimentos que ajudam a melhorar a circulação sanguínea.

Além disso, durante o tratamento com anticoagulantes, é importante ter cuidado ao consumir alho, ginseng, castanha da índia, boldo, guaraná ou arnica, uma vez que podem interagir com os remédios e diminuir seu efeito.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BOOTH, Sarah L.; GOLLY, Ines; SACHECK, Jennifer; ROUBENOFF, Ronenn. Effect of vitamin E supplementation on vitamin K status in adults with normal coagulation status. American Journal of Clinical Nutrition. Vol 80. 1 ed; 143-148, 2004
  • CAGNOLATI, DANIEL; SANKARANKUTTY, AJITH K.; ROCHA, JOÃO P. S. ET AL. Hemostasia e distúrbios da coagulação. Disponível em: <https://sites.usp.br/dcdrp/wp-content/uploads/sites/273/2017/05/hemostasia_revisado.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • BANERJEE, Anindita; KHEMKA, Vineet K. Augmentation of anticoagulant effect with vitamin D: possible therapeutic target for venous thromboembolism. Int J Hematol Blo Dis. Vol 2. 1 ed; 1-5, 2017
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE CIRURGIA. Recomendações de Prevenção do Tromboembolismo Venoso em Cirurgia. 2012. Disponível em: <https://www.spcir.com/wp-content/uploads/2016/06/Vascular-Brochura-Prevencao.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • WASHINGTON STATE CLINICAL LABORATORY ADVISORY COUNCIL. Hypercoagulable State Practice Guidelines. 2010. Disponível em: <https://www.doh.wa.gov/Portals/1/Documents/2700/Hyprcoag.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • TARGHER, Giovanni; PICHIRI, Isabella; LIPPI, Giuseppe. Vitamin D, Thrombosis, and Hemostasis: More than Skin Deep. Seminars in Thrombosis and Hemostasis. Vol 38. 1 ed; 114-124, 2012
  • PROSCLAK, Mark P.; STAWICKI, Stanislaw P. Hypercoagulable states: A concise review. International Journal of Academic Medicine. Vol 3. 3 ed; 2017
  • SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE. Acidente Vascular Cerebral. Disponível em: <http://www.ulsm.min-saude.pt/mais-saude/acidente-vascular-cerebral-avc/>. Acesso em 31 Dez 2020
  • ACIDENTE VASCULARES CEREBRAL. Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares. Disponível em: <http://www.sbdcv.org.br/publica_avc.asp>. Acesso em 31 Dez 2020
  • MAIA, Ernesto; LEVY, Roger A. Câncer e trombose: uma revisão da literatura. Revista Brasileira de Cancerologia. Vol 53. 2 ed; 183-193, 2007
  • ORRA, HUSSEIN A. Trombose Venosa Profunda. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/docsupload/1340061483trombose.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • SILVA, A.S.; BRAZÃO, M.L.; GRANITO, S.; ESCÓRCIO, S. et al. Distúrbios pró-trombóticos/Trombofilias. Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. 2008
  • TERRA-FILHO, M.; MENNA-BARRETO, S. S. et al. Recomendações para o manejo da tromboembolia pulmonar. J Bras Pneumol. Vol 36. 1 ed; 2010
  • SOCIEDADE EUROPEIA DE CARDIOLOGIA. EP Aguda: Recomendações para o Diagnóstico e Tratamento da Embolia Pulmonar Aguda. 2019. Disponível em: <https://spc.pt/wp-content/uploads/2020/07/Embolia-pulmonar-aguda-definitivo.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • XIMENES, Ana Larissa P.; DAHER, Elizabeth F.; ROCHA, Francisco Eduardo S. et al. Recuperação da função renal após episódio de trombose de veia renal bilateral como complicação da glomerulopatia membranosa: relato de caso. Braz. J. Nephrol. (J. Bras. Nefrol.). Vol 39. 4 ed; 477-480, 2017
  • ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE NUTRIÇÃO. Alimentação e hipocoagulação oral. 2019. Disponível em: <https://www.apn.org.pt/documentos/ebooks/E_book_Hipocoagulacao_1.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • SATHLER, Plínio C.; LOURENÇO, André L.; SAITO, Max S.; ARÊAS, Ana P. G. et al. The antihemostatic profile of vitamin C: mechanisms that underlie the technical application of a physiological molecule. Arch Biol Sci. Vol 68. 2 ed; 325-331, 2016
  • LECHEVRETEL, Luvidine; SANTUCCI, Raoul; BURGIN-NOLL, Mélanie; CAILLE, Cécile et al. Effect of Vitamin E on the Anti-Coagulant Response. Global journal of Pharmacy & pharmaceutical Science. Vol 1. 3 ed; 2017
  • ARTENE, DIANA. Dietary supplements and herbal remedies affecting blood clotting. Disponível em: <http://www.efad.org/media/1954/dietary-supplements-and-herbal-remedies-affecting-blood-clotting__dianaartene_esdnonc.pdf>. Acesso em 31 Dez 2020
  • BOOTH, Sarah L.; GOLLY, Ines; SACHECK, Jennifer; ROUBENOFF, Ronenn. Effect of vitamin E supplementation on vitamin K status in adults with normal coagulation status. American Journal of Clinical Nutrition. Vol 80. 1 ed; 143-148, 2004
  • BANERJEE, Anindita; KHEMKA, Vineet K. Augmentation of anticoagulant effect with vitamin D: possible therapeutic target for venous thromboembolism. Int J Hematol Blo Dis. Vol 2. 1 ed; 1-5, 2017
  • TARGHER, Giovanni; PICHIRI, Isabella; LIPPI, Giuseppe. Vitamin D, Thrombosis, and Hemostasis: More than Skin Deep. Seminars in Thrombosis and Hemostasis. Vol 38. 1 ed; 114-124, 2012
Mais sobre este assunto: