Desenvolvimento do bebê - 39 semanas de gestação

Semana de gestação: 39 semanas

Equivale ao mês: 4ª semana do 9º mês

Equivale aos dias: 267 a 274 dias de gestação

Na 39ª semana de gestação, os órgãos do bebê estão completamente formados, mas os pulmões e o cérebro continuam a se desenvolver. O sistema imune do bebê está mais forte, à medida que os anticorpos da mulher são transferidos através da placenta, o que ajudará o bebê a se proteger de doenças e infecções.

Nesta fase da gestação, o bebê está mais gordinho, com uma camada saudável de gordura sobre a pele, e as unhas dos pés já chegam até as pontas dos dedos.

Durante essa semana, a mulher pode continuar a ter os sintomas de contrações de Braxton-Hicks, corrimento vaginal ou cansaço excessivo. Além disso, algumas mulheres podem se sentir ansiosas com a proximidade do parto.

A partir da 39ª semana da gestação e até a 40ª semana e 6 dias, o nascimento do bebê é considerado um parto a termo.

Desenvolvimento do bebê - 39 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 39ª semana da gestação, os órgãos do bebê estão completamente formados e capazes de funcionar normalmente fora do útero, no entanto, o cérebro e os pulmões continuam a se desenvolver.

O sistema imune está mais forte à medida que os anticorpos da mulher passam para o bebê através da placenta, o que ocorre desde a 13ª semana da gestação, no entanto, a maioria dos anticorpos são transferidos para o bebê nas últimas semanas da gravidez. Esses anticorpos são importantes para ajudar o bebê a se proteger de doenças e infecções.

Nesta semana da gestação, o bebê está mais gordinho, com uma camada saudável de gordura, e a sua pele é macia. As unhas dos pés já chegam às pontas dos dedos e a quantidade de cabelo que possui varia de bebê para bebê. Enquanto alguns nascem com muito cabelo, outros nascem carecas ou com pouco cabelo.

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do feto com 39 semanas de gestação é de cerca de 50.5 centímetros medidos da cabeça aos pés e cerca de 35.4 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de uma melancia. O peso do bebê nessa semana é cerca de 3,4 Kg.

Mudanças no corpo da mulher

Na 39ª semana de gravidez, é provável que o bebê esteja na posição do nascimento, de cabeça para baixo, exercendo pressão sobre o colo do útero, o que permite que o colo do útero amoleça, encurte e fique mais fino, preparando para o futuro parto. Para algumas mulheres, esse amolecimento e encurtamento do colo do útero, ocorrem lentamente e de forma contínua, mas para outras mulheres pode ocorrer de forma muito rápida durante o trabalho de parto.

Nesta semana da gestação, a mulher pode apresentar corrimento vaginal com pontinhos de sangue, chamado tampão mucoso, que tem uma consistência gelatinosa e a cor pode variar desde transparente até o marrom avermelhado. A saída do tampão mucoso é considerada normal e a sua saída pode indicar que o parto está mais próximo. Entenda melhor o que é o tampão mucoso e como identificar os sinais do parto.

Além disso, a mulher pode ter sintomas como contrações de Braxton-Hicks, diarréia e cansaço excessivo. Além disso, algumas mulheres podem se sentir ansiosas devido a proximidade do parto.

Cuidados durante a 39ª semana

Na 39ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como:

  • Corrimento vaginal (tampão mucoso): embora perder o tampão mucoso seja um sinal de que o corpo está se preparando para o trabalho de parto, isso não indica necessariamente que o parto está chegando, podendo demorar horas ou dias para ocorrer, mas deve-se sempre comunicar ao médico quando apresentar esse tipo de corrimento vaginal. No caso do sangramento ser intenso, a mulher apresentar contrações frequentes e regulares, rompimento da bolsa amniótica, ou diminuição ou ausência de movimentos fetais, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente e ir ao hospital mais próximo. Saiba identificar os sinais de trabalho de parto;
  • Contrações de Braxton-Hicks: beber um copo de água, fazer exercícios de relaxamento ou de respiração profunda, ou tomar um banho morno por até 30 minutos, podem ajudar a aliviar o desconforto das contrações. Além disso, é recomendado movimentar o corpo, mudando de posição, fazendo uma leve caminhada, ou descansar se a mulher estava muito ativa quando as contrações iniciaram. No entanto se a contração for forte, muito frequente ou acompanhada de outros sintomas como dor nas costas, sangramento vaginal ou corrimento líquido, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois a mulher pode ter entrado em trabalho de parto;
  • Diarréia: beber pelo menos 8 copos de água por dia para manter o corpo hidratado, dar preferência para alimentos cozidos ou grelhados como arroz com cenoura ou frango, frutas cozidas e sem casca como, maçã, pera ou banana. Além disso, deve-se evitar comer frituras, alimentos gordurosos e comidas muito condimentadas. No entanto, se a diarréia for intensa, ou se existirem outros sintomas como vômitos intensos e febre, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente e ir ao hospital mais próximo;
  • Cansaço excessivo: descansar durante o dia, se possível, ir para a cama um pouco mais cedo à noite, podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Ansiedade: dormir e descansar um pouco, buscar formas de relaxar, como fazer meditação, yoga, exercícios respiratórios ou escutar uma música relaxante, podem ajudar a reduzir a ansiedade.

Durante toda a gestação, é importante seguir as recomendações médicas, realizar as consultas pré-natais, e continuar tomando o ácido fólico ou suplementos e fazer atividades físicas recomendados pelo obstetra, pois permitem controlar melhor o peso, melhorar a qualidade do sono e fortalecer a musculatura.

Além disso, deve-se beber pelo menos 8 copos de água por dia e fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, para garantir o fornecimento de nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê e ajudar a controlar o aumento do peso durante a gravidez. Veja como deve ser a alimentação na gravidez.

Principais exames

Na 39ª semana da gestação, a mulher deve fazer outra consulta pré-natal para que o obstetra possa avaliar a pressão arterial da mulher, o peso, a altura do útero, a posição do bebê, os batimentos cardíacos e movimentos do feto, por exemplo. Entenda melhor como é feito o pré-natal. /pre-natal/

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. How Your Fetus Grows During Pregnancy. 2021. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/how-your-fetus-grows-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 27 Set 2021
  • PALMEIRA, P.; et al. IgG placental transfer in healthy and pathological pregnancies. Clin Dev Immunol. 2012. 985646, 2012
  • American College of Obstetricians and Gynecologists. Definition of term pregnancy. Committee Opinion No. 579. Obstet Gynecol. 122. 1139–40, 2013
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. How Your Fetus Grows During Pregnancy. 2021. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/how-your-fetus-grows-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 27 Set 2021
  • MICHIGAN MEDICINE. UNIVERSITY OF MICHIGAN. Cervical Effacement and Dilatation. 2019. Disponível em: <https://www.uofmhealth.org/health-library/zx3441>. Acesso em 27 Set 2021
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Braxton Hicks Contractions. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29262073/>. Acesso em 27 Set 2021
  • BODY, C.; CHRISTIE, J. A. Gastrointestinal diseases in pregnancy: Nausea, vomiting, hyperemesis gravidarum, gastroesophageal reflux disease, constipation, and diarrhea. Gastroenterol Clin North Am. 45. 2; 267-83, 2016
  • PARDI, Giorgio; CETIN, Irene. Human fetal growth and organ development: 50 years of discoveries. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 194. 1088–1099, 2006
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. 2016. Disponível em: <https://www.mds.gov.br/webarquivos/arquivo/crianca_feliz/Treinamento_Multiplicadores_Coordenadores/Caderneta-Gest-Internet(1).pdf>. Acesso em 27 Set 2021
  • TOIJONEN, A. E.; et al. A comparison of risk factors for breech presentation in preterm and term labor: A nationwide, population-based case-control study. Arch Gynecol Obstet. 301. 1; 393-403, 2020
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • LACROIX, G.; et al. The Cervicovaginal Mucus Barrier. Int J Mol Sci. 21. 21; 8266, 2020
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
Mais sobre este assunto: