Desenvolvimento do bebê - 37 semanas de gestação

Semana de gestação: 37 semanas

Equivale ao mês: 2ª semana do 9º mês

Equivale aos dias: 253 a 259 dias de gestação

Na 37ª semana de gestação, o bebê continua crescendo e acumulando gordura sobre a pele que servirá para regular a temperatura do corpo fora do útero, após o nascimento. Os reflexos de sucção e deglutição estão cada vez mais desenvolvidos, preparando o bebê para a futura amamentação.

Nesta fase da gestação, o líquido amniótico ingerido pelo bebê, continua a ser absorvido pelo intestino, formando o mecônio, que são as primeiras fezes do bebê ao nascer.

Durante essa semana, a  mulher pode continuar a ter os sintomas de vontade frequente de urinar, contrações de Braxton-Hicks ou inchaço nas mãos ou nos pés. Além disso, pode apresentar corrimento vaginal, também chamado de tampão mucoso, que é considerado normal e não indica necessariamente que o trabalho de parto irá começar, podendo levar até 3 semanas para isto acontecer, embora precise estar atenta a outros sinais de trabalho de parto.

Nesta fase, é importante que a mulher tenha tudo preparado para ir para o hospital e também a se preparar para a futura amamentação. Saiba como se preparar para amamentar.

Desenvolvimento do bebê - 37 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 37ª semana da gestação, o bebê continua acumulando gordura sobre a pele, chamada gordura marrom, que servirá para regular a temperatura do corpo fora do útero, após o nascimento. 

O bebê faz cada vez mais os movimentos de sucção e deglutição, bebendo o líquido amniótico. Esses movimentos servirão para a futura amamentação e estarão totalmente amadurecidos próximo à 38ª semana da gravidez.

O intestino continua absorvendo os nutrientes do líquido amniótico ingerido pelo bebê, e armazenando o mecônio, que são as primeiras fezes do bebê, que vão se formando desde as 12 semanas, até o nascimento.

Nesta fase da gestação, é esperado que o bebê já se encontre na posição do nascimento, virado de cabeça para baixo, chamada posição cefálica. Caso não esteja nesta posição, o obstetra pode fazer uma versão cefálica externa, que consiste em virar o bebê através de manobras específicas na barriga da gestante. Confira como são feitas as manobras da versão cefálica externa.

A partir desta semana, se o bebê nascer será considerado um bebê a termo e não um prematuro. 

Tamanho do bebê

O tamanho do feto com 37 semanas de gestação é de cerca de 48 centímetros medidos da cabeça aos pés e cerca de 33.8 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de uma abóbora d’água. 

Mudanças no corpo da mulher

Na 37ª semana de gravidez, o colo do útero começa a se preparar para o futuro parto e a mulher pode apresentar corrimento vaginal com pontinhos de sangue, chamado tampão mucoso, que tem uma consistência gelatinosa e a cor pode variar desde transparente até o marrom avermelhado. 

A saída do tampão mucoso é considerada normal e não indica necessariamente que o trabalho de parto irá começar, podendo levar até 3 semanas para isto acontecer. Entenda melhor o que é o tampão mucoso e como identificar os sinais do parto.

Nesta semana da gestação, a mulher pode continuar a ter sintomas de contrações de Braxton-Hicks, inchaço nas pernas ou nos pés ou vontade frequente de urinar, além de outros sintomas como dor pélvica, sensação de falta de ar, dificuldade para dormir ou insônia. Confira outros sintomas que podem ocorrer no final da gravidez e o que fazer.

Cuidados durante a 37ª semana

Na 37ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como: 

  • Corrimento vaginal (tampão mucoso): embora perder o tampão mucoso seja um sinal de que o corpo está se preparando para o trabalho de parto, isso não indica necessariamente que o parto está chegando, podendo demorar horas, dias ou até 3 semanas para ocorrer, mas deve-se sempre comunicar ao médico quando apresentar esse tipo de corrimento vaginal. No caso do sangramento ser intenso, a mulher apresentar contrações frequentes e regulares, rompimento da bolsa amniótica, ou diminuição ou ausência de movimentos fetais, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente e ir ao hospital mais próximo. Saiba identificar os sinais de trabalho de parto;
  • Contrações de Braxton-Hicks: beber um copo de água, fazer exercícios de relaxamento ou de respiração profunda, ou tomar um banho morno por até 30 minutos, podem ajudar a aliviar o desconforto das contrações. Além disso, é recomendado movimentar o corpo, mudando de posição, fazendo uma leve caminhada, ou descansar se a mulher estava muito ativa quando as contrações iniciaram. No entanto se a contração for forte, muito frequente ou acompanhada de outros sintomas como dor nas costas, sangramento vaginal ou corrimento líquido, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois a mulher pode ter entrado em trabalho de parto;
  • Inchaço nas pernas ou nos pés: não ficar muito tempo de pé, e colocar os pés mais altos que o corpo, apoiando os pés quando precisar sentar, ajudam a melhorar a circulação sanguínea das pernas e ajuda a evitar o inchaço nas pernas ou nos pés. Além disso, praticar exercício físico regular, como caminhada ou natação, conforme orientado pelo médico, podem ajudar a diminuir esse desconforto. No entanto, se o inchaço não melhorar, começar de forma repentina ou apresentar inchaço nas mãos e no rosto, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois pode ser sinal de pré-eclâmpsia. Saiba mais sobre pré-eclâmpsia e como é feito o tratamento;
  • Vontade frequente de urinar: não prender a urina, pois deixar a urina retida na bexiga pode aumentar o risco de infecção urinária. Além disso, apesar do aumento da frequência urinária devido ao peso do útero sobre a bexiga, a mulher não deve reduzir a ingestão de água pois a desidratação aumenta o risco de parto prematuro; 
  • Dor pélvica: tomar um banho morno ou usar uma cinta de gestante para dar suporte à barriga, podem ajudar a melhorar o desconforto. No entanto, se a dor não melhorar, ou se tiver febre, deve-se entrar em contato com o médico imediatamente;
  • Sensação de falta de ar: deve-se mudar de posição tentando ficar o mais reta possível para dar um pouco mais de espaço para os pulmões se expandirem, e dormir deitada do lado esquerdo ajuda a melhorar a circulação, e podem ajudar a melhorar esse desconforto. No entanto, se surgir intensa falta de ar, dificuldade para respirar, respiração rápida ou ofegante, dor no peito, lábios ou dedos azulados ou dormência nas mãos ou nos pés, deve-se procurar ajuda médica o mais rápido possível ou o pronto socorro mais próximo;
  • Dificuldade para dormir ou insônia: dormir com um travesseiro entre as pernas e deitada de lado ou em uma posição que a mulher se sinta confortável ajudam a reduzir o desconforto que dificulta o sono. Além disso, é importante criar uma rotina de sono e um ambiente calmo e confortável para dormir, e evitar dormir durante o dia para não atrapalhar o sono noturno.

Durante toda a gestação, é importante seguir as recomendações médicas, realizar as consultas pré-natais, tomar o ácido fólico ou suplementos e fazer atividades físicas recomendados pelo obstetra, pois permitem controlar melhor o peso, melhorar a qualidade do sono e fortalecer a musculatura. 

Além disso, deve-se beber pelo menos 8 copos de água por dia e fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, para garantir o fornecimento de nutrientes essenciais para o desenvolvimento do bebê e ajudar a controlar o aumento do peso durante a gravidez. Veja como deve ser a alimentação na gravidez.

Principais exames

Na 37ª semana da gestação, a mulher deve fazer outra consulta pré-natal para que o obstetra possa avaliar a pressão arterial da mulher, o peso, a altura do útero, a posição do bebê, os batimentos cardíacos e movimentos do feto, por exemplo.  Entenda melhor como é feito o pré-natal.

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BLACKBURN, S. Maternal, Fetal, & Neonatal Physiology E-Book: A Clinical Perspective. 5ed. Elsevier Health Sciences; 2017, 2017. 720p.
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • American College of Obstetricians and Gynecologists. Definition of term pregnancy. Committee Opinion No. 579. Obstet Gynecol. 122. 1139–40, 2013
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • TOIJONEN, A. E.; et al. A comparison of risk factors for breech presentation in preterm and term labor: A nationwide, population-based case-control study. Arch Gynecol Obstet. 301. 1; 393-403, 2020
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Preeclampsia and High Blood Pressure During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/preeclampsia-and-high-blood-pressure-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 20 Ago 2021
  • HASHMI, Ali M.; et al. Insomnia during pregnancy: Diagnosis and Rational Interventions. Pak J Med Sci. 32. 4; 1030-7, 2016
  • STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Braxton Hicks Contractions. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29262073/>. Acesso em 09 Set 2021
  • VITRAL, G. L. N.; et al. Skin thickness as a potential marker of gestational age at birth despite different fetal growth profiles: A feasibility study. PLoS One. 13. 4; 2018
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Preeclampsia and High Blood Pressure During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/preeclampsia-and-high-blood-pressure-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 09 Set 2021
  • LACROIX, G.; et al. The Cervicovaginal Mucus Barrier. Int J Mol Sci. 21. 21; 8266, 2020
  • BASTHOLM, S. K.; et al. The viscoelastic properties of the cervical mucus plug. Acta Obstet Gynecol Scand. 93. 2; 201-8, 2014
Mais sobre este assunto: