Desenvolvimento do bebê - 40 semanas de gestação

Semana de gestação: 40 semanas

Equivale ao mês: final do 9º mês

Equivale aos dias: 275 a 280 dias de gestação

Na 40ª semana de gestação, o desenvolvimento do bebê está completo e ele está pronto para nascer. Todos os órgãos estão completamente formados, o coração bate aproximadamente de 120 a 160 vezes por minuto e o parto pode começar a qualquer momento.

Durante essa semana, a mulher pode continuar a ter os sintomas de cansaço excessivo e inchaço nas mãos ou nos pés. Além disso, a mulher deve estar atenta aos sinais do trabalho de parto, como rompimento da bolsa amniótica, contrações regulares que aumentam de intensidade e não melhoram com o movimento do corpo, e a presença do corrimento vaginal, chamado tampão mucoso.

Até a 40ª semana e 6 dias, o nascimento do bebê é considerado um parto a termo. No entanto, é possível que o bebê nasça até a 41ª semana e 6 dias, sendo chamada de termo tardio, ou até as 42 semanas ou mais, sendo considerada pós termo.

Desenvolvimento do bebê - 40 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 40ª semana da gestação, o desenvolvimento do bebê está completo, todos os órgãos estão completamente formados, o coração bate aproximadamente de 120 a 160 vezes por minuto e ele está pronto para nascer. 

A pele do bebê é lisa, com dobrinhas de gordura nas pernas e nos braços e pode haver ainda alguma vernix. O bebê pode ter muito cabelo ou com poucos fios, mas é provável que alguns caiam nos primeiros meses após o nascimento.

Os músculos e as articulações estão fortes e o bebê reage ao som e ao movimento, sendo capaz de reconhecer sons familiares, especialmente a voz da mãe e do pai.

O sistema nervoso está completamente pronto e suficientemente maduro para que o bebê sobreviva fora do útero, mas células cerebrais vão continuar se multiplicando nos primeiros anos de vida da criança.

O sistema respiratório está maduro e assim que o cordão umbilical seja cortado, o bebê poderá começar a respirar sozinho.

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do bebê com 40 semanas de gestação é de cerca de 51.2 centímetros medidos da cabeça aos pés, e cerca de 36.3 centímetros da cabeça ao bumbum, sendo equivalente ao tamanho de uma jaca. O peso do bebê nessa semana é cerca de 3,5 Kg. 

Mudanças no corpo da mulher

Na 40ª semana de gravidez, a mulher pode ter sintomas de cansaço e inchaço que apesar de ser mais aparente nas pernas e nos pés, pode afetar o corpo todo. 

É provável que o bebê nasça, e a mulher deve estar atenta aos sinais do trabalho de parto como contrações regulares a cada 5 a 10 minutos, que aumentam de intensidade com o passar do tempo, ou corrimento vaginal com pontinhos de sangue, chamado tampão mucoso, que tem uma consistência gelatinosa e a cor pode variar desde transparente até o marrom avermelhado.

Outro sinal que a mulher deve estar atenta é o rompimento da bolsa amniótica, que pode ser percebido pela liberação de um líquido transparente ou amarelo claro e sem cheiro pela vagina, que pode sair em pequenas quantidades como um gotejamento ou sair em grandes quantidades e de forma constante. Confira outros sinais do trabalho de parto.

No entanto, se o trabalho de parto não iniciar espontaneamente até as 41 semanas, é possível que o obstetra opte pela indução do parto, que consiste em administrar ocitocina na corrente sanguínea da mãe, no hospital, para estimular as contrações uterinas, ou realizar a cesariana. Veja quando a cesárea é indicada.

Em alguns casos, é possível que a gestação se prolongue até às 42 semanas. 

Cuidados durante a 40ª semana

Na 40ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como: 

  • Cansaço excessivo: descansar durante o dia, se possível, ir para a cama um pouco mais cedo à noite, podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Inchaço nas pernas ou nos pés: não ficar muito tempo de pé, e colocar os pés mais altos que o corpo, apoiando os pés quando precisar sentar, ajudam a melhorar a circulação sanguínea das pernas e ajuda a aliviar o inchaço nas pernas ou nos pés. No entanto, se o inchaço não melhorar, começar de forma repentina ou apresentar inchaço nas mãos e no rosto, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois pode ser sinal de pré-eclâmpsia. Saiba mais sobre pré-eclâmpsia e como é feito o tratamento;
  • Corrimento vaginal (tampão mucoso): perder o tampão mucoso nesta semana da gestação pode ser um sinal de que o corpo está se preparando para o trabalho de parto, e deve-se sempre ser comunicado. No caso do sangramento ser intenso, a mulher apresentar contrações frequentes e regulares, rompimento da bolsa amniótica, ou diminuição ou ausência de movimentos fetais, deve-se ir imediatamente ao hospital mais próximo ou à maternidade;
  • Contrações: deve-se comunicar ao obstetra imediatamente quando as contrações se iniciam e ir para a maternidade ou hospital. Além disso, é importante respirar lenta e profundamente, para oxigenar melhor o corpo, manter-se em movimento, pois além de estimular a dilatação, também alivia a dor, principalmente em posições de pé, pois auxiliam na descida do bebê pelo canal de parto;
  • Rompimento da bolsa: deve-se comunicar ao obstetra imediatamente e ir para o hospital ou maternidade para ter assistência dos profissionais de saúde. Quando a bolsa rompe é esperado que as contrações uterinas que marcam o início do trabalho de parto surjam em pouco tempo, ocorrendo geralmente cerca de 5 horas após a ruptura da bolsa. No entanto, as contrações podem demorar até 48 horas para aparecer, todavia, é aconselhado ir para a maternidade após 6 horas do rompimento da bolsa porque este rompimento permite a entrada de microrganismos no útero aumentando o risco de infecções na mulher e no bebê.

Durante toda a gestação, é importante seguir as recomendações médicas, realizar as consultas pré-natais, e continuar tomando o ácido fólico ou suplementos e fazer atividades físicas recomendados pelo obstetra. 

Além disso, deve-se beber pelo menos 8 copos de água por dia e fazer uma alimentação nutritiva e balanceada, incluindo frutas, verduras e legumes frescos, para garantir o fornecimento de nutrientes essenciais para o bebê e ajudar a controlar o aumento do peso durante a gravidez. Veja como deve ser a alimentação na gravidez.

Principais exames

Na 40ª semana da gestação, a mulher deve fazer outra consulta pré-natal para que o obstetra possa avaliar a pressão arterial da mulher, o peso, a altura do útero, a posição do bebê, os batimentos cardíacos e movimentos do feto, por exemplo.  

No caso da mulher ter entrado em trabalho de parto, o médico pode fazer o teste de estresse durante a contração, para avaliar os batimentos cardíacos do bebê enquanto acontece uma contração e avaliar a saúde da placenta, já que durante uma contração a placenta deve ser capaz de manter o fluxo de sangue correto, mantendo o ritmo cardíaco do bebê. Entenda melhor o que é o teste de estresse e como é feito.  

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BLACKBURN, S. Maternal, Fetal, & Neonatal Physiology E-Book: A Clinical Perspective. 5ed. Elsevier Health Sciences; 2017, 2017. 720p.
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • THE AMERICAN COLLEGE OF OBSTETRICIANS AND GYNECOLOGISTS. Preeclampsia and High Blood Pressure During Pregnancy. Disponível em: <https://www.acog.org/womens-health/faqs/preeclampsia-and-high-blood-pressure-during-pregnancy?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int>. Acesso em 29 Set 2021
  • LACROIX, G.; et al. The Cervicovaginal Mucus Barrier. Int J Mol Sci. 21. 21; 8266, 2020
  • TOIJONEN, A. E.; et al. A comparison of risk factors for breech presentation in preterm and term labor: A nationwide, population-based case-control study. Arch Gynecol Obstet. 301. 1; 393-403, 2020
  • SIBIUDE, J. Rupture des membranes à terme avant travail. Recommandations pour la pratique clinique du CNGOF — Faut-il déclencher ? [Term Prelabor Rupture of Membranes: CNGOF Guidelines for Clinical Practice - Timing of Labor Induction]. Gynecol Obstet Fertil Senol. 48. 1; 35-47, 2020
  • ROTA, A.; et al. Timing of hospital admission in labour: latent versus active phase, mode of birth and intrapartum interventions. A correlational study. Women Birth. 31. 4; 313-318, 2018
  • SHIVER, EUNICE KENNEDY. NATIONAL INSTITUTE OF CHILD HEALTH AND HUMAN DEVELOPMENT. What are the stages of labor?. 2017. Disponível em: <https://www.nichd.nih.gov/health/topics/labor-delivery/topicinfo/stages>. Acesso em 29 Set 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal. 2017. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf>. Acesso em 29 Set 2021
  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Cuidados no Trabalho de Parto e Parto: Recomendações da OMS. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/556-cuidados-no-trabalho-de-parto-e-parto-recomendacoes-da-oms>. Acesso em 29 Set 2021
Mais sobre este assunto: