Dermatite alérgica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
outubro 2022

A dermatite alérgica, também conhecida como dermatite de contato alérgica, é uma reação alérgica que ocorre na pele devido ao contato com uma substância irritativa, como sabonetes, produtos cosméticos, bijuteria ou, até, picadas de pulga, produzindo manchas vermelhas e coceira no local que esteve em contato com a substância.

Geralmente, a dermatite alérgica não provoca problemas de saúde, nem coloca a vida em risco, no entanto, pode ser muito desconfortável ou provocar infecções na pele, caso não seja tratada adequadamente.

O tratamento da dermatite alérgica deve ser feito com orientação do dermatologista, que pode indicar o uso de pomadas corticóides ou antialérgicos orais, além de evitar o contato com a substância a que se é alérgico e, por isso, pode ser necessário fazer um teste de alergia, de forma a identificar a substância que está causando a dermatite.

Sintomas da dermatite alérgica

Os sintomas da dermatite alérgica são:

  • Bolhas na pele vermelhas ou brancas;
  • Vermelhidão local;
  • Manchas escuras na pele;
  • Coceira intensa; 
  • Sensação de queimação ou ardor;
  • Descamação da pele;
  • Inchaço do local;
  • Pele seca ou rachada;
  • Aumento da sensibilidade no local;
  • Formação de pequenas crostas na pele;
  • Bolhas com líquido.

Esses sintomas podem surgir imediatamente após estar em contato com a substância ou demorar até 24 a 72 horas para aparecer dependendo da intensidade da alergia, do sistema imune e do tempo que se esteve em contato com a substância.

Além disso, a dermatite de contato pode afetar qualquer parte do corpo que teve contato com a substância irritante, sendo mais comum no couro cabeludo, rosto, pálpebras, pescoço, axilas, tronco, mãos e pés, por exemplo, e ocorrer de forma isolada ou frequente, especialmente em pessoas que têm tendência a ter alergias.

Geralmente, esses sintomas costumam melhorar em 2 a 4 semanas, no entanto, caso não não melhore em cerca de 3 semanas, ou afete os olhos, órgãos genitais, boca ou lábios, é recomendado consultar o dermatologista, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da dermatite alérgica é feito pelo dermatologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e do contato com substâncias, além do exame físico da pele e exames de sangue.

Para identificar o tipo de substância que possa ter causado a alergia, o médico deve solicitar um teste alérgico, que é realizado no consultório médico aplicando diferentes substâncias na pele, para verificar o surgimento dos sintomas. Veja como é feito o teste de alergia

Possíveis causas

A dermatite alérgica é causada por uma inflamação na pele após o contato com substâncias ou objetos irritantes, que provocam a liberação de substâncias inflamatórias no corpo, levando ao surgimento dos sintomas.

As causas mais comuns da dermatite alérgica é o contato com:

  • Níquel, presente em bijuterias ou fivelas de cinto;
  • Tintas de cabelo, contendo parafenilenodiamina (PPD);
  • Produtos cosméticos ou protetor solar;
  • Perfumes, cremes dentais ou enxaguantes bucais que contenham bálsamo do peru;
  • Formol;
  • Sabonetes líquidos;
  • Látex, em luvas ou preservativos;
  • Pólen de ambrosia;
  • Picada de pulga;
  • Uso de cremes antibióticos contendo neomicina ou bacitracina;
  • Uso de pomada de benzocaína, para o tratamento do líquen escleroso.

Além disso, outra causa comum da dermatite alérgica é o contato com a planta hera venenosa, que possui urushiol na sua composição, uma substância altamente irritante e alergênica.

Como tratar a dermatite alérgica

O tratamento para dermatite alérgica deve ser orientado por um dermatologista, sendo normalmente recomendado evitar o contato com a substância que está provocando alergia, de forma a aliviar os sintomas e impedir que a dermatite volte a surgir. 

Além disso, o médico pode indicar o uso cremes hidratantes, para hidratar e manter a umidade da pele, aliviar o ressecamento, a sensação de pele áspera, a coceira ou irritação da pele, ou o uso de pomadas corticóides, como o propionato de clobetasol ou triancinolona, para reduzir a inflamação da pele e aliviar os sintomas.

Nos casos mais graves, o médico pode ainda indicar o uso de antialérgicos orais, como a hidroxizina, ou corticóides orais, como a prednisona ou prednisolona.

O tempo de tratamento com remédios ou pomadas deve sempre ser orientado pelo médico.

Cuidados durante o tratamento

Alguns cuidados são importantes durante o tratamento da dermatite alérgica, como:

  • Evitar o contato com a substância ou objeto que causou a alergia na pele;
  • Aplicar compressas frias de 2 a 4 vezes por dia, por cerca de 15 a 30 minutos de cada vez;
  • Evitar coçar o local da pele afetada;
  • Utilizar sabonete neutro para evitar irritação da pele;
  • Evitar passar perfume ou loções perfumadas na pele;
  • Aumentar a ingestão de alimentos anti-inflamatórios, como as sementes de chia, por exemplo, podem ajudar a desinflamar a pele. Veja uma lista completa dos alimentos para dermatite
  • Aplicar hidratantes indicados pelo médico.

Além disso, existem algumas opções de remédios caseiros que podem ajudar a aliviar os sintomas da dermatite alérgica ou complementar o tratamento indicado pelo médico, como cremes ou loções com ação calmante para a pele, como camomila ou alfazema, por exemplo. Veja outras opções de remédios caseiros para dermatite

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em outubro de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • OLUSEGUN, O. A.; MARTINCIGH, B. S. Allergic contact dermatitis: a significant environmental and occupational skin disease. Int J Dermatol. 60. 9; 1082-1091, 2021
  • BELLONI FORTINA, A.; et al. Allergic contact dermatitis in children. Expert Rev Clin Immunol. 16. 6; 579-589, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • DE GROOT, A. Allergic Contact Dermatitis From Topical Drugs: An Overview. Dermatitis. 32. 4; 197-213, 2021
  • NASSAU, S.; FONACIER, L. Allergic Contact Dermatitis. Med Clin North Am. 104. 1; 61-76, 2020
  • NOVAK-BILIC, G.; et al. Irritant and allergic contact dermatitis - skin lesion characteristics. Acta Clin Croat. 57. 4; 713-720, 2018
  • LITCHMAN, G.; NAIR, P. A.; ATWATER, A. R.; ET AL. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Contact Dermatitis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK459230/>. Acesso em 01 ago 2022
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.

Tuasaude no Youtube

  • 6 causas de COCEIRA e como tratar - com Dr. Aline Bressan Dermatologista

    08:27 | 8081 visualizações