Pomadas corticóides: para que servem e quando usar

As pomadas corticóides, como o acetato de dexametasona ou valerato de betametasona, são remédios para uso tópico, ou seja, uso sobre a pele, indicadas nos casos de dermatite, eczema, coceira, vermelhidão ou alergias da pele, por exemplo. Isto porque os corticóides possuem uma ação anti-inflamatória potente, controlando a inflamação da pele, por imitar os hormônios corticoides que são produzidos naturalmente pelo corpo pelas glândulas supra renais.

Além disso, as pomadas corticóides também diminuem a resposta do sistema imunológico, reduzem a renovação celular e diminuem a dilatação dos vasos sanguíneos, e por isso, podem ser usadas em casos de alergia ou vermelhidão da pele. Saiba identificar os sinais de alergia na pele.  

É importante ressaltar que as pomadas com corticóide podem ter indicações diferentes dependendo do tipo de corticóide presente na sua composição e, por isso, só devem ser usadas com indicação médica. Além disso, o uso de pomada corticóide para crianças só deve ser feito com orientação do pediatra.

Pomadas corticóides: para que servem e quando usar

Para que servem

As pomadas corticóides são indicadas em casos de inflamação na pele causadas por:

  • Dermatite alérgica;
  • Dermatite atópica;
  • Eczema;
  • Brotoeja;
  • Impetigo;
  • Picadas de inseto;
  • Psoríase;
  • Lupus eritematoso discóide.

Além disso, algumas pomadas corticóides podem ser usadas no caso de queimaduras solares ou inflamações no ouvido, como a otite externa, desde que não tenha perfuração do tímpano.

Como usar

As pomadas corticóides devem ser usadas sobre a pele, sempre nos horários estabelecidos pelo médico, sendo recomendado lavar as mãos e a pele afetada com água e sabonete neutro e secar bem antes de passar a pomada. Em seguida, aplicar a pomada em quantidade suficiente para cobrir a região afetada e massagear suavemente a pele para facilitar sua absorção.

A forma de usar as pomadas corticóides para adultos dependem do tipo de pomada utilizada e incluem:

  • Propionato de clobetasol: aplicar sobre a pele afetada de 1 a 2 vezes por dia por no máximo 4 semanas de tratamento;
  • Desonida: é recomendado aplicar a pomada sobre a pele afetada de 1 a 3 vezes por dia, até que ocorra melhora dos sintomas;
  • Acetato de hidrocortisona: aplicar sobre a pele afetada de 2 a 3 vezes por dia até que ocorra melhora dos sintomas; 
  • Acetato de dexametasona: aplicar sobre a pele afetada de 2 a 3 vezes por dia até a melhora dos sintomas;
  • Valerato de betametasona: aplicar sobre a pele afetada de 1 a 2 vezes por dia, por no máximo 4 semanas de tratamento. 

É importante lavar as mãos depois de usar a pomada corticóide, exceto nos casos em que a pomada é usada para tratar a pele das mãos. 

Além disso, não se deve cobrir a área da pele tratada, a menos que tenha sido orientado pelo médico, pois cobrir a pele pode aumentar a absorção da pomada causar efeitos colaterais.

Pomadas corticóides: para que servem e quando usar

Possíveis efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso das pomadas corticóides são ressecamento da pele, coceira, vermelhidão, sensação de queimação, ardência ou formação de bolhas na pele tratada, mudanças na cor da pele, hematoma ou formação de crostas ao redor dos pêlos.

Além disso, as pomadas corticóides podem ser absorvidas pela pele e causar efeitos colaterais em todo o corpo que devem ser comunicados ao médico e incluem visão embaçada, dor nos olhos, aumento da sede ou da vontade de urinar, boca seca, ganho de peso, inchaço no rosto, fraqueza muscular, depressão, ansiedade ou irritabilidade.

Quem não deve usar

As pomadas corticóides não devem ser usadas por crianças com menos de 1 ano de idade ou por pessoas que têm alergia aos corticóides como betametasona, hidrocortisona, clobetasol, desonida, dexametasona ou betametasona, por exemplo.

Essas pomadas também não devem ser usadas nos casos de:

  • Tuberculose na pele;
  • Infecção por fungos;
  • Herpes simples;
  • Varicela;
  • Perfuração no tímpano;
  • Rosácea;
  • Acne vulgar;
  • Feridas na pele;
  • Coceira na pele sem inflamação;
  • Coceira na região anal ou genital;
  • Dermatite na boca.

Além disso, mulheres grávidas ou em amamentação só devem utilizar pomadas com corticóides se indicado pelo médico, pois não existem estudos que comprovem que são seguros para utilizar nessas situações.

As pomadas com corticóides também não devem ser usadas nos olhos, devendo-se consultar um oftalmologista que deverá indicar pomadas específicas para aplicação nos olhos.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MEHTA, A. B.; et al. Topical corticosteroids in dermatology. Indian J Dermatol Venereol Leprol. 82. 4; 371-8, 2016
  • LEBRUN-VIGNES, B.; CHOSIDOW, O . Dermocorticoïdes [Topical corticosteroids]. . Ann Dermatol Venereol. 131. 1 Pt 1; 39-48, 2004
  • VATTI, R. R.; et al . Hypersensitivity reactions to corticosteroids. Clin Rev Allergy Immunol. 47. 1; 26-37, 2014
  • CHI, C. C.; WANG, S. H.; KIRTSCHIG, G. Safety of Topical Corticosteroids in Pregnancy. JAMA Dermatol. 152. 8; 934-5, 2016
  • DRUGS AND LACTATION DATABASE (LACTMED) [INTERNET]. BETHESDA (MD): NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE (US). Betamethasone, Topical. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK501160/>. Acesso em 01 Jun 2021
  • DRUGS AND LACTATION DATABASE (LACTMED) [INTERNET]. BETHESDA (MD): NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE (US). Dexamethasone, Topical. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK501758/>. Acesso em 01 Jun 2021
  • DRUGS AND LACTATION DATABASE (LACTMED) [INTERNET]. BETHESDA (MD): NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE (US). Hydrocortisone, Topical. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK501276/>. Acesso em 01 Jun 2021
  • Kahanek N, Gelbard C, Hebert A. . Desonide: a review of formulations, efficacy and safety. Expert Opin Investig Drugs. 17. 7; 1097-104, 2008
  • DEL ROSSO, J. Q . Topical Corticosteroid Therapy for Psoriasis-A Review of Clobetasol Propionate 0.025% Cream and the Clinical Relevance of Penetration Modification. J Clin Aesthet Dermatol. 13. 2; 22-29, 2020
Mais sobre este assunto: