Como fazer contagem de carboidratos (com listas de porções)

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
abril 2022
  1. Como fazer
  2. Cálculo da insulina
  3. Benefícios

A contagem de carboidratos é uma forma de planejar as refeições para saber a quantidade de insulina que deve ser administrada antes ou após as refeições, ajudando a manter níveis adequados de açúcar no sangue de pessoas com diabetes 1, evitando, assim, possíveis complicações como hipoglicemia, lesão nos rins e problemas no coração.

Além disso, é importante também verificar a informação nutricional presente nos rótulos dos produtos para verificar a quantidade de carboidratos por porção dos alimentos. No entanto, deve-se sempre levar em consideração o tipo de insulina recomendada pelo endocrinologista, que pode variar de acordo com a prática de atividade física e o estado geral de saúde da pessoa. Conheça os diferentes tipos de insulina

A contagem de carboidratos é útil também para pessoas com diabetes tipo 2 e pré-diabetes, ajudando assim a melhorar o controle dos níveis de glicose no sangue, ajudando a evitar a necessidade de medicamentos e insulina. Veja outras dicas de alimentação para controlar a diabetes tipo 2.

Como fazer a contagem de carboidratos

Para fazer a contagem de carboidratos é fundamental os seguintes aspectos devem ser levados em consideração:

1. Alimentos que contêm carboidratos

Os carboidratos são a principal fonte de energia usada pelo corpo e são metabolizados principalmente como glicose na corrente sanguínea, precisando da liberação de insulina para equilibrar os níveis de glicose normais no sangue. Os alimentos que contêm carboidratos são:

  • Cereais, como arroz, trigo, aveia, milho, pão, macarrão, bolachas e amido de milho;
  • Leguminosas, como feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha e favas;
  • Tubérculos, como batata, aipim, inhame e batata doce;
  • Vegetais, como cenoura, beterraba, berinjela, tomate, brócolis, couve-flor, feijão verde, couve, couve de Bruxelas, alface, espinafre e cogumelos,;
  • Alguns laticínios, como leite e iogurte;
  • Frutas frescas, em conserva e sucos de fruta;
  • Bebidas vegetais, como soja, aveia e amêndoa; 
  • Alimentos ricos em açúcar, como doces, açúcar, mel, bolos, marmelada, sorvetes, refrigerantes, balas, biscoitos e chocolate.

É fundamental distribuir os alimentos com carboidratos ao longo do dia entre as refeições para controlar os níveis de glicose no sangue.

No entanto, os carboidratos devem ser distribuídos de acordo com o tipo de insulina indicada pelo médico. Quando a insulina rápida é administrada, as pessoas não são obrigadas a aderir a um horário rígido, número de refeições e tipos de alimentos, portanto, a insulina é administrada de acordo com a contagem de carboidratos.

2. Quantidade de carboidratos nos alimentos

Para facilitar a contagem de carboidratos, geralmente é utilizado o sistema de troca de alimentos, onde 1 porção de cada alimento contém 15 g de carboidratos, exceto vegetais sem amido que contêm de 3 a 5 g de carboidratos. Com isso em mente, os alimentos devem ser agrupados em porções como esta:

Porção de alimentos para cada 15g de carboidratos

1 porção de cereais:

1 fatia de pão de forma branco ou integral

4 bolachas tipo água ou integral

3 colheres de sopa de milho cozido

2 colheres de sopa de aveia em flocos

3 colheres de sopa de arroz branco ou integral cozido

1 porção de fruta:

1 banana prata média

1 laranja lima média 

120 ml de suco de laranja

1 unidade média de tangerina

15 morangos médios

1 maçã pequena

2 fatias grandes de melão

2 unidades médias de figo

15 uvas

½ mamão papaia médio

1 porção de leguminosas:

7 colheres de sopa de feijão fradinho cozido

7 colheres de sopa de feijão preto cozido

5 colheres de sopa de lentilha cozida

4 colheres de sopa de grão-de-bico

1 porção de leite ou iogurte:

1 copo (200g) de iogurte integral ou desnatado natural 

1 copo (240ml) de leite desnatado ou integral

1 porção de bebida vegetal:

1 copo (240 ml) de bebida vegetal de arroz, aveia, soja ou amêndoa

1 porção de tubérculos:

2 colheres de sopa cheias de purê de batata

1 e ½ colher de sopa de batata doce cozida picada

2 colheres de sopa de cará cozido picado

2 colheres de sopa de inhame cozido picado

1 porção de alimentos ricos em açúcar:

1 colher de sopa de açúcar mascavo

1 colher de sopa de geleia de frutas

2 colheres de sopa de geleia de damasco diet

1 colher de sopa de doce de abóbora com coco

1/2 xícara de sorvete com baixo teor de gordura

É importante também ler o rótulo dos produtos, para escolher os alimentos mais adequados e controlar a quantidade de carboidratos consumidos. As informações nutricionais nos rótulos dos alimentos informam o total de carboidratos em cada porção. De acordo com isso, deve-se calcular a quantidade desse alimento que contém 15 gramas de carboidratos.

Além disso, ter uma balança pequena também pode ser muito útil para ajudar a calcular as porções dos alimentos com maior facilidade.

3. Alimentos que não precisam ser contados

Os vegetais como alface, abobrinha, tomate, vagem, berinjela, cebola e brócolis possuem baixo teor de carboidratos e são ricos em fibras, contendo um índice glicêmico muito baixo e, por isso, não precisam ser contados, quando consumidos até 1 xícara do vegetal cru ou ½ xícara do vegetal cozido.

Outros alimentos que também não precisam ser contados são: bebidas sem açúcar, como água, chás, café; adoçantes; alimentos ricos em proteínas, incluindo todos os tipos de carnes e ovos; alimentos ricos em gordura, como nozes, óleos vegetais, queijos; e condimentos.

4. Quantidade de carboidratos para comer

As necessidades de carboidratos para um adulto são geralmente entre 45% a 65% do total de calorias da dieta. As quantidades das porções de carboidratos variam de acordo com o peso, o sexo, o estado de saúde e a prática de atividade física.

As recomendações gerais de consumo de carboidrato são:

  • Entre 50 e 70 g de carboidratos no café da manhã, almoço e jantar;
  • Entre 20 e 30 gramas de carboidratos nos pequenos lanches.

É recomendado consumir no mínimo 130 gramas de carboidratos por dia para evitar hipoglicemia, que é uma condição causada pela baixa ingestão de carboidratos ou uso excessivo de medicamentos, como insulina, podendo causar sintomas como dor de cabeça, fraqueza e tontura. Conheça outros sintomas de hipoglicemia.

Exemplo para contagem de carboidratos

A tabela a seguir contém o exemplo de contagem de carboidratos para o café da manhã:

Porção de alimentos

Quantidade de carboidratos

1 copo de leite

15 g

2 fatias de pão de forma integral

30 g

1 maçã pequena

15 g

Total de carboidratos

60 g

Dessa forma, é possível calcular a quantidade de carboidratos da refeição para saber a quantidade de insulina que deverá ser administrada e, assim, controlar os níveis de açúcar no sangue.

Como calcular a quantidade de insulina

A contagem de carboidratos é usada geralmente por pessoas com diabetes e que fazem uso de insulina, que pode ser de ação lenta e prolongada, ou de ação rápida, por exemplo, dependendo da indicação do médico. Saiba mais sobre os tipos de insulina.

Geralmente é recomendado administrar 1 unidade de insulina para cada 15 g de carboidratos consumido. No entanto, o médico também pode indicar 1 unidade de insulina para cada 10 g de carboidratos da refeição.

Para saber a quantidade total de insulina que deve ser aplicada, devem ser seguidos os  seguintes passos:

  1. Monitorar a glicemia antes de cada refeição;
  2. Calcular as unidades de insulina rápida de acordo com a ingestão de carboidratos;
  3. Ajustar a dose de insulina já calculada, de acordo com o valor da glicemia anterior à ingestão.

A tabela a seguir mostra como ajustar a insulina rápida de acordo com a  glicemia calculada antes da refeição:

Glicemia antes da refeição 

Ajuste de insulina rápida 

< 50 mg/dl

Diminuir de 2 a 3 unidades de insulina do calculado pela ingestão

50 a 70 mg/dl

Diminuir 1 unidade de insulina do calculado para a refeição

70 a 130 mg/dl

De acordo com as unidades de insulina calculadas pela ingestão

130 a 150 mg/dl

De acordo com a ingestão + 1 unidade de insulina

150 a 200 mg/dl

De acordo com a ingestão + 2 unidades de insulina

Exemplo para calcular a quantidade de insulina

Seguindo o exemplo anterior, se uma pessoa vai comer 60 g de carboidratos no café da manhã, a glicose também é medida antes do almoço e mostra 140 mg/dl. Assim, tendo em conta que a cada 15 g de hidratos de carbono deve ser administrada 1 unidade de insulina, deve ser feito o seguinte cálculo:

1. Dividir 60 g de carboidratos por 15 g, resultando em 4 unidades de insulina de acordo com a ingestão;

2. Se a pessoa estiver com 140 mg/dl, deve-se adicionar 1 Unidade de Insulina, resultando em um total de 5 Unidades de insulina.

Portanto, essa pessoa deve aplicar um total de 5 Unidades de insulina para poder comer o cardápio indicado e manter os níveis de glicose estáveis.

Benefícios da contagem de carboidratos

Os benefícios de realizar o teor de carboidratos são os seguintes:

  • Maior liberdade na escolha das refeições;
  • Melhor controle dos níveis de glicose no sangue;
  • Flexibilidade na vida social;
  • Facilidade no controle do peso.

Além disso, a contagem de carboidratos também reduz as chances de complicações, como hipoglicemia, lesões nos rins, problemas nos olhos e doenças cardiovasculares. Saiba mais sobre as complicações do diabetes.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em abril de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em abril de 2022.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Manual de contagem de carboidratos para pessoas com diabetes. 2016. Disponível em: <https://diabetes.org.br/wp-content/uploads/2021/05/manual-de-contagem-de-carbo.pdf>. Acesso em 06 abr 2022
  • Cassie Rowe, Jamila R. Lepore, and Wendy J. Dahl. Conteo de carbohidratos: Comidas para la Diabetes1. IFAS Departamento de Ciencia de Alimentos y Nutrición Humana, Servicio de Extensión Cooperativa de la Florida, Instituto de Alimentos y Ciencias Agrícolas, Universidad de la Florida (UF/IFAS Extension. 2017
Mostrar bibliografia completa
  • María Elena Saínz de la Maza Viadero1. CONTEO DE HIDRATOS DE CARBONO: ¿QUÉ ES Y CÓMO SE APLICA? . Revista Cubana de Alimentación y Nutrición. 2020
  • Maria Elena Torresani, María Inés Somoza . Lineamientos para el cuidado nutricional. 3. ed. Buenos Aires, Argentina: Eudeba, 2009.
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • 8 Melhores frutas para DIABETES

    16:43 | 391085 visualizações
  • Alimentação para DIABÉTICO

    03:14 | 1273604 visualizações