7 dicas para deixar de roer as unhas

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
dezembro 2021

O ato de roer as unhas, conhecido cientificamente como onicofagia, é um hábito que afeta homens e mulheres, que pode iniciar desde criança e persistir durante a vida adulta, e está muito associado a ansiedade e sentimentos de insegurança.

Este hábito pode causar danos nos dentes e nos dedos, resultando em um aspecto descuidado, além de favorecer o desenvolvimento de infecções que devem ser tratadas.

Para deixar de roer as unhas, é recomendado controlar a ansiedade, que poderá ser a causa que está na raiz do problema. Entretanto, existem algumas dicas que podem ser seguidas para evitar este hábito, como:

1. Manter as unhas bem cortadas e lixadas

As unhas curtas evitam pontas que servem de tentação, evitando o hábito. Além disso, manter as unhas bem feitas e pintadas, semanalmente, com manicure, também é um estímulo a mais para querer manter as unhas bonitas e evitar mordiscar os dedos.

2. Pintar as unhas com esmalte especial

Os esmaltes para deixar de roer as unhas têm um gosto muito amargo, que fazem com que a pessoa evite colocar os dedos na boca. Eles são incolores, servindo para homens, mulheres e crianças acima de 4 anos, e podem ser comprados em farmácias.

3. Aplicar unhas falsas ou em gel

Cobrir as unhas com unhas postiças ou unhas em gel, além de melhorar a estética, diminui o impulso de roê-las, porque a pessoa ficar com receio de estragar a manicure.

Outra dica é cobrir uma ou algumas delas com curativo, e ao fim de uma semana, retirar e ver como a unha ficou mais bonita e saudável em comparação com as outras. 

4. Se distrair com uma bola anti-estresse

Adotar um novo hábito que substitua o de roer as unhas, como brincar com uma bola anti-estresse ou um elástico, por exemplo, são formas de ocupar a cabeça e as mãos com novas atividades ao invés de roer as unhas.

5. Mascar um chiclete

Principalmente nos momentos de maior ansiedade ou tédio, mascar um chiclete também é uma boa opção para evitar o vício.

6. Investir em um hobbie

Encontrar formas de aliviar a ansiedade, como ouvir música, conversar com alguém ou praticar atividades físicas após o trabalho, por exemplo, podem aliviar a ansiedade e fazer com que a pessoa tenha menos manias e hábitos viciantes, como roer as unhas.

7. Fazer uma alimentação equilibrada

Em alguns casos, o hábito de roer as unhas pode ser uma consequência de deficiências nutricionais, como falta de cálcio e/ou magnésio, por exemplo, que leva a pessoa a roer a unha, de forma a recuperar esses minerais.

Por isso, é importante manter uma dieta equilibrada, rica em vitaminas e minerais, de forma a evitar deficiências nutricionais.

Principais consequências

Algumas das principais consequências de roer unhas, que fazem com que seja importante abandonar este hábito, são:

  • Surgimento de ferimentos na pele dos dedos e nas cutículas, o que facilita a infecção por bactérias e fungos;
  • Deformações nas unhas, nos dedos e na pele ao redor, o que causa constrangimentos pelos efeitos estéticos;
  • Aumento das chances de desenvolver problemas gastrointestinais, como gastroenterites e gastrites;
  • Dificuldade para realizar algumas atividades, como tocar um instrumento musical, desenhar e escrever.

As unhas servem como proteção da parte superior dos dedos, para auxiliar na pressão que se exerce com os dedos, e como barreira para a entrada de micróbios no corpo e na corrente sanguínea, e, por isso, devem ser mantidas bem conservadas para impedir o adoecimento pelo contato com micro-organismos. Saiba o que fazer para fortalecer as unhas fracas.

Remédios naturais para não roer as unhas

Existem várias formas naturais que podem ser utilizadas nas unhas para evitar que sejam roídas e que exista danos aos dentes e aos dedos. Uma boa opção é esfregar nas unhas um dente de alho cortado, pois o odor forte irá tornar o ato de roer mais consciente, de forma que a pessoa pode diminuir a vontade para roer unha.

Outra opção é aplicar algumas gotas de óleo de melaleuca nas unhas, isso porque esse óleo tem um sabor repulsivo, de forma que faz com que a pessoa evite colocar a unha na boca, o que tem como resultado melhora no seu aspecto e crescimento saudável.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em dezembro de 2021. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Clínico Geral e Psicólogo, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • MAHELET, Jinnah; GASCA, Gabriela. Modificación conductual en un caso de onicofagia. Revista ADM . 70. 3; 151-153, 2013
  • CORTÉS, Eréndira; OROPEZA, Roberto. INTERVENCIÓN CONDUCTUAL EN UN CASO DE ONICOFAGIA . ENSEÑANZA E INVESTIGACIÓN EN PSICOLOGÍA. 16. 103-113, 2011
Mostrar bibliografia completa
  • RESTREPO, Claudia. Tratamiento de la onicofagia en niños. Revisión sistemática. Revista de Odontopediatría. 1. 93-101, 2011
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.