Como tratar a unha encravada em casa

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
julho 2022

A unha levemente encravada pode ser tratada em casa, tentando-se levantar o canto da unha e inserindo um pedacinho de algodão ou gaze, para que a unha pare de crescer para o interior do dedo e acabe desencravando naturalmente.

No entanto, algumas vezes essas as medidas para tratar a unha encravada em casa podem não ser suficientes, geralmente quando a área em torno da unha está muito vermelha, inchada ou com pus, podendo indicar que existe uma infecção no local.

Neste caso, é importante consultar um profissional de saúde, geralmente um dermatologista, que poderá indicar a aplicação de uma pomada contendo antibióticos ou mesmo indicar a cirurgia para aliviar os sintomas.

Passo a passo para desencravar a unha

Para tratar a unha levemente encravada e inflamada deve-se seguir o passo-a-passo:

1. Deixar o pé ou a mão de molho em água morna

Primeiro, deve-se deixar o pé ou a mão de molho em água morna ou quente por 10 a 20 minutos para deixar a unha mais maleável e aliviar a dor.

2. Tentar manter elevada a parte da unha encravada

Quando a unha está mais maleável, deve-se levantar o canto que está encravado com uma pinça e colocar um pedacinho de algodão ou gaze entre a unha e a pele, para mantê-la elevada. Isso permite que a unha cresça para fora da pele e também permite que seja adequadamente cortada.

3. Limpar adequadamente o local

Por fim, deve-se passar alguma solução antisséptica no local, como iodopovidona, por exemplo, para evitar que a região infeccione.

O que não fazer

Em caso de unha encravada não se deve cortar a parte da unha encravada, cortar a unha em "v", nem colocar um curativo apertado. Estas medidas apenas pioram a unha encravada e aumentam o risco da unha encravar novamente.

Quando ir ao médico

É indicado procurar um dermatologista em caso de:

  • Diabetes;
  • Doença arterial periférica;
  • Problemas da coagulação do sangue;
  • Persistência da unha encravada;
  • Presença de inchaço, vermelhidão e/ou pus;
  • Dificuldade para andar devido à unha encravada.

Além disso, caso a unha encrave com muita frequência ou persista encravada por muito tempo apesar do tratamento, também é importante a avaliação por um dermatologista, uma vez que pode ser necessária cirurgia.

Tratamento da unha encravada com pus

O tratamento da unha encravada com pus geralmente envolve cirurgia e pomadas contendo antibióticos. Por isso, quando o dedo com a unha encravada apresentar pus além de dor, vermelhidão e inchaço, é importante a avaliação por um dermatologista. 

Quando a cirurgia é indicada

A cirurgia para unha encravada geralmente é indicada em caso de infecção com pus, recorrência da unha encravada e quando o tratamento com elevação da unha ou corte não são suficientes para resolver o problema. 

Nesse caso a cirurgia é feita com anestesia local e, na maioria dos casos, não é necessário retirar toda a unha. Em alguns casos, o médico ainda pode optar por aplicar um ácido, como o nitrato de prata, que destrói parte da unha que estava encravada, por exemplo.

Como evitar que as unhas encravem

Algumas medidas que evitam as unhas encravadas são:

  • Evitar cortar as unhas muito arredondadas ou curtas;
  • Preferir sapatos mais folgados;, 
  • Trocar de meias diariamente; 
  • Realizar a higiene dos pés adequadamente.

Além disso, é importante tratar adequadamente qualquer tipo de doença nas unhas, como as micoses, por exemplo. Veja mais algumas dicas sobre como evitar que a unha encrave.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em setembro de 2016.

Bibliografia

  • JUNIOR, E. J. M; CARTER, Charles; MURPHY, Tenley E. Ingrown Toenail Management. Am Fam Physician. Vol.100, n.3. 158-164, 2019
  • STATPEARLS. Ingrown Toenails. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK546697/>. Acesso em 19 jul 2022
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.