Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é micose de unha (onicomicose), sintomas e como tratar

A micose de unha, cientificamente chamada de onicomicose, é uma infecção causada por fungos e que tem como consequência a mudança na cor, formato e textura na unha, podendo ser observado que a unha fica mais grossa, deformada e amarelada, sendo mais frequente de ser observado o acometimento das unhas dos pés. 

Geralmente, o tratamento da micose de unha é feito com esmaltes antifúngicos ou remédios antifúngicos orais receitados pelo dermatologista, como Fluconazol ou Itraconazol, por exemplo. Porém, alguns tratamentos caseiros para micose de unha como escalda-pés ou cremes e loções naturais também podem ajudar no tratamento.

A micose de unha do pé é contraída principalmente quando se anda descalço em piscinas ou banheiros públicos, ou se usa sapatos apertados, enquanto que a micose de unha da mão ocorre especialmente quando se partilha materiais de manicure.

O que é micose de unha (onicomicose), sintomas e como tratar

Como identificar a micose de unha

É sinal de onicomicose quando verifica-se que as unhas estão mais esbranquiçadas ou amareladas, grossas e que descolam da pele facilmente, além de também poderem ser percebidas deformidades. Nesses casos, o mais recomendado é ir ao dermatologista para que as unhas sejam observadas e seja feito o diagnóstico da micose.

Para diagnosticar a micose de unha, o dermatologista corta um pedaço da unha e faz uma raspagem de tudo o que se encontra debaixo da unha, que são enviados para o laboratório com o objetivo de identificar o fungo responsável. A identificação do fungo é importante para que o dermatologista possa indicar o tratamento mais adequado.

Como acabar com a micose

A micose de unha pode ser tratada com antifúngicos em forma de comprimidos, prescritos pelo dermatologista, como o Fluconazol ou o Itraconazol, ou através da aplicação de uma pomada ou esmalte diretamente na unha, como o Loceryl, a Micolamina ou o Fungirox, por exemplo.

Outra opção é o uso de laser, que normalmente é usado em casos de micose crônica, que surge frequentemente. Esta técnica elimina o fungo da micose através dos raios infra-vermelhos emitidos pelo laser e, por isso, é bastante eficaz, embora seja uma forma de tratamento mais cara.

Veja mais sobre as diferentes formas de tratamento para micose de unha.

Quanto tempo dura o tratamento?

O tratamento normalmente é bastante demorado, porque o fungo só é totalmente eliminado quando a unha cresce o suficiente. Por isso, a cura geralmente chega por volta dos 6 meses para a micose das unhas das mãos e 12 meses para os pés, quando é seguido corretamente.

Opções caseiras para tratar a micose

O tratamento caseiro para micose de unha pode ser feito com a aplicação de 2 a 3 gotas de óleo essencial de cravo-da-índia na unha afetada pelo menos 2 vezes ao dia, pois o cravo-da-índia possui ação antifúngica e cicatrizante. Porém, os óleos essenciais de orégano ou malaleuca também possuem excelente ação contra este tipo de fungos e, por isso, também pode ser usados.

Além disso, o tratamento caseiro também deve incluir a adoção de alguns cuidados como:

  • Evitar usar sapatos apertados;
  • Preferir meias de algodão;
  • Lavar e secar muito bem os pés, inclusive entre os dedos;
  • Usar sempre chinelos em piscinas ou banheiros públicos;
  • Usar materiais de manicure ou pedicure próprios e não partilhá-los.

Estes cuidados aceleram o tratamento da micose de unha e previnem uma nova infecção. Dessa forma, também podem ser feito mesmo quando se está fazendo o tratamento indicado pelo médico. Veja outras formas caseiras de tratar a micose usando alho e hortelã.

Bibliografia >

  • BARER, Michael R. et al. Medical Microbiology - A guide to microbial infections: pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 579-585.
  • GUIMARÃES, Claudia Maria D. S. Tratamento da onicomicose com laser Nd­YAG: resultados em 30 pacientes. Surg Cosmet Dermatol. Vol 6. 2 ed; 155-160, 2014
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem