Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Coma Alcoólico - Saiba os sinais de alerta e o que fazer

Atualizado em Outubro 2019

O coma alcoólico acontece quando a pessoa fica inconsciente devido aos efeitos do excesso de álcool no organismo. Geralmente, ele ocorre quando se bebe descontroladamente, ultrapassando a capacidade do fígado de metabolizar o álcool, o que leva à intoxicação do cérebro e de diversos órgãos do corpo. Quando é verificado mais que 3 gramas de álcool por litro de sangue, há maior risco de coma alcoólico.

Esta condição é considerada um estado grave, e caso não seja rapidamente tratada, pode levar à morte, devido à diminuição da capacidade respiratória, diminuição do ritmo dos batimentos cardíacos, além de queda dos níveis de glicose no sangue ou outras complicações como desenvolvimento de arritmias e coma acidótico, por exemplo. 

Ao se detectar sinais que indiquem coma alcoólico, como perda dos sentidos, sono profundo em que a pessoa não responde aos chamados e estímulos ou dificuldades para respirar, é importante chamar o SAMU ou uma ambulância o mais rápido possível, para evitar o agravamento da situação que pode causar a morte ou graves sequelas neurológicas. 

Coma Alcoólico - Saiba os sinais de alerta e o que fazer

Quando pode ser coma alcoólico 

Um sinal de coma alcoólico é ficar desacordado ou perder os sentidos apos um consumo excessivo de bebida alcoólica. Alguns sinais que podem surgir antes do coma alcoólico são:

  • Sonolência excessiva;
  • Desmaio ou perda de consciência;
  • Dificuldade em articular palavras ou frases;
  • Incapacidade de se concentrar;
  • Perda da sensibilidade e dos reflexos;
  • Dificuldade em andar ou se manter de pé.

Isto acontece pois apesar de, inicialmente, o álcool ter um efeito de desinibição, o consumo exagerado desta substância tem o efeito contrário, e acaba causando uma depressão do sistema nervoso. Após o excesso de álcool, a inibição excessiva do sistema nervoso central pode levar à incapacidade de manter a respiração, diminuição dos batimentos cardíacos e queda da pressão arterial, que pode levar à morte, caso o tratamento não seja feito adequadamente.

Estes sinais e sintomas surgem quando o figado, responsável por metabolizar e ajudar a eliminar o álcool, já não consegue metabolizar todo o álcool que é ingerido, o que leva ao aumento da concentração desta substância a níveis tóxicos no sangue. Confira também outros efeitos do álcool no organismo

O que fazer em caso de coma alcoólico

Em primeiro lugar, é muito importante estar atento ao surgimento de sintomas que antecedem o coma alcoólico, especialmente a dificuldade em articular palavras ou frases, desorientação, sono e vômitos, pois, caso a pessoa ainda tenha algum nível de consciência e consiga se alimentar, é possível prevenir a piora, através da hidratação com água e ingestão de alimentos, especialmente os açucarados. 

No entanto, caso identifique alguns dos sintomas que indicam o coma alcoólico é necessário chamar rapidamente o atendimento médico, como o SAMU 192, para que a pessoa possa ser socorrida o mais breve possível.

Além disso, até o SAMU chegar, deve-se manter a pessoa deitada de lado, na chamada posição lateral de segurança para evitar possíveis sufocamentos com o vômito. Para evitar a hipotermia, é importante garantir que a pessoa fique coberta e em um ambiente quente, em que não haja corrente de ar frio ou exposição a mudanças bruscas de temperatura.

Não é recomendado oferecer líquidos, alimentos ou medicações, caso a pessoa não esteja consciente, pois pode aumentar o risco de engasgar. Também não é indicado induzir o vômito na pessoa inconsciente e nem dar um banho de água fria para tentar acordá-la. Caso a pessoa apresente um parada da respiração ou dos batimentos cardíacos, é indicado iniciar a manobra de reanimação cardiopulmonar. Confira o que fazer na parada cardiorrespiratória

Como é feito o tratamento

O tratamento do coma alcoólico pela equipe médica é feito com soro diretamente na veia para hidratação, para ajudar a acelerar a eliminação do álcool e recuperação, além da glicose intravenosa, reposição de vitamina B1 e a regularização dos níveis de eletrólitos, caso estejam alterados. 

Além disso, se necessário, o médico poderá indicar a aplicação de medicamentos antieméticos ou anticonvulsivantes, de acordo com os sintomas apresentados pelo paciente. Será necessária uma monitorização contínua dos dados vitais da pessoa, pois é possível que haja piora do quadro e uma parada respiratória ou cardíaca. 

Após a recuperação, é indicado alertar o paciente e à família sobre os perigos do alcoolismo e, se for o caso, encaminhar a pessoa a um centro especializado em tratamento do alcoolismo. Saiba como pode ser feito o tratamento do alcoolismo.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem