Coma alcoólico: o que é, sintomas e o que fazer

O coma alcoólico acontece quando a pessoa fica inconsciente devido aos efeitos do excesso de álcool no organismo, o que acontece quando a pessoa consome bebidas alcoólicas de forma excessiva e descontroladamente, ultrapassando a capacidade do fígado de metabolizar o álcool, o que leva à intoxicação do cérebro e de diversos órgãos do corpo.

Os sintomas de coma alcoólico surgem quando existe mais que 3 gramas de álcool por litro de sangue, o que leva à diminuição do nível de consciência, confusão mental e, nos casos mais graves, diminuição da capacidade respiratória e dos batimentos cardíacos, o que pode colocar a vida da pessoa em risco.

Ao se detectar sinais que indiquem coma alcoólico, como perda dos sentidos, sono profundo em que a pessoa não responde aos chamados e estímulos ou dificuldades para respirar, é importante chamar o SAMU ou uma ambulância o mais rápido possível, para evitar o agravamento da situação que pode causar a morte ou graves sequelas neurológicas. 

Coma alcoólico: o que é, sintomas e o que fazer

Sinais e sintomas de coma alcoólico

Os sinais e sintomas do coma alcoólico surgem quando os níveis de álcool no sangue estão entre 0,3 e 0,4%, o que corresponde a cerca de 3 a 4 gramas de álcool por litro de sangue. Alguns sinais que podem indicar que a pessoa pode entrar em coma alcoólico são:

  • Sonolência excessiva;
  • Desmaio ou perda de consciência;
  • Dificuldade em articular palavras ou frases;
  • Incapacidade de se concentrar;
  • Perda da sensibilidade e dos reflexos;
  • Dificuldade em andar ou se manter de pé;
  • Convulsão;
  • Respiração irregular e lenta;
  • Hipotermia, em que a pessoa pode apresentar cor mais azulada e/ ou pálida.

Isto acontece pois apesar de, inicialmente, o álcool ter um efeito de desinibição, o consumo exagerado desta substância tem o efeito contrário, e acaba causando uma depressão do sistema nervoso. Após o excesso de álcool, a inibição excessiva do sistema nervoso central pode levar à incapacidade de manter a respiração, diminuição dos batimentos cardíacos, queda da pressão arterial e alteração no mecanismo de resfriamento do corpo, o que pode levar ao coma e à morte, caso o tratamento não seja feito adequadamente.

Estes sinais e sintomas surgem quando o fígado, responsável por metabolizar e ajudar a eliminar o álcool, já não consegue metabolizar todo o álcool que é ingerido, o que leva ao aumento da concentração desta substância a níveis tóxicos no sangue.

O que fazer em caso de coma alcoólico

Assim que forem identificados os sinais e sintomas possivelmente indicativos de coma alcoólico, é fundamental que o atendimento médico seja chamado imediatamente, como o SAMU 192, para que a pessoa possa ser socorrida o mais breve possível e seja possível evitar complicações mais graves.

Além disso, até o SAMU chegar, deve-se manter a pessoa deitada de lado, na chamada posição lateral de segurança para evitar possíveis sufocamentos com o vômito. Para evitar a hipotermia, é importante garantir que a pessoa fique coberta e em um ambiente quente, em que não haja corrente de ar frio ou exposição a mudanças bruscas de temperatura.

Não é recomendado oferecer líquidos, alimentos ou medicações, caso a pessoa não esteja consciente, pois pode aumentar o risco de engasgar. Também não é indicado induzir o vômito na pessoa inconsciente e nem dar um banho de água fria para tentar acordá-la. Caso a pessoa apresente um parada da respiração ou dos batimentos cardíacos, é indicado iniciar a manobra de reanimação cardiorrespiratória. Confira o que fazer na parada cardiorrespiratória

Como é feito o tratamento

O tratamento do coma alcoólico pela equipe médica é feito com soro diretamente na veia para hidratação, para ajudar a acelerar a eliminação do álcool e recuperação, além da glicose intravenosa, reposição de vitamina B1 e a regularização dos níveis de eletrólitos, caso estejam alterados. 

Além disso, se necessário, o médico poderá indicar a aplicação de medicamentos antieméticos ou anticonvulsivantes, de acordo com os sintomas apresentados pelo paciente. Será necessária uma monitorização contínua dos dados vitais da pessoa, pois é possível que haja piora do quadro e uma parada respiratória ou cardíaca. 

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • NATIONAL INSTITUTE ON ALCOHOL ABUSE AND ALCOHOLISM. Alcohol Overdose: The Dangers of Drinking Too Much . 2015. Disponível em: <https://pubs.niaaa.nih.gov/publications/AlcoholOverdoseFactsheet/overdoseFact.pdf>. Acesso em 20 Out 2021
Mais sobre este assunto: